Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.ufla.br/jspui/handle/1/42582
metadata.artigo.dc.title: Resistência natural da madeira tratada de Hevea brasiliensis em ensaios de deterioração de campo
metadata.artigo.dc.creator: Faria, Douglas Lamounier
Eugenio, Tony Matheus Carvalho
Cruz, Thiago Moreira
Duarte, Paulo Junio
Pereira, Tamires Galvão Tavares
Mesquita Júnior, Laércio
Faria, Caik Elisio Tonelli
Mendes, Lourival Marin
Guimarães Junior, José Benedito
metadata.artigo.dc.subject: Seringueira - Resistência natural
Biodeterioração
Borato de cobre cromatado
Rubber tree - Natural resistance
Biodeterioration
Chromed copper borate
metadata.artigo.dc.publisher: Companhia Brasileira de Produção Científica
metadata.artigo.dc.date.issued: Aug-2020
metadata.artigo.dc.identifier.citation: FARIA, D. L. et al. Resistência natural da madeira tratada de Hevea brasiliensis em ensaios de deterioração de campo. Revista Ibero-Americana de Ciências Ambientais, Aracaju, v. 11, n. 5, ago/set. 2020.
metadata.artigo.dc.description.resumo: O objetivo desse trabalho foi avaliar a resistência natural da madeira de Hevea brasiliensis tratada com CCA, CCB e piretróide, em ensaios de deterioração de campo. Após 20 dias da aplicação dos preservantes, foi determinado o teor de extrativos totais, a massa específica básica, a porosidade e o potencial de resistência natural da madeira de Hevea brasiliensis. Os corpos de prova foram submetidos em dois ambientes: campo aberto, livre de vegetação rasteira e em floresta nativa. Periodicamente, a cada trinta dias, durante um ano, foram retirados seis corpos de prova por tratamento em cada ambiente estudado para determinação da massa seca residual. De acordo com os resultados, a madeira de Hevea brasiliensis apresentou um baixo teor de extrativos (<4%) e um baixo potencial de resistência natural. Apenas os tratamentos preservativos realizados com CCA e CCB apresentaram diferenças estatísticas significativas, sendo que no ambiente floresta as amostras apresentaram menor massa seca residual. O índice de deterioração no ambiente floresta chegou a 70% nas madeiras não tratadas e tratadas com piretróide e a 90% nas madeiras tratadas com CCA e CCB, indicando que o tratamento com esses dois últimos preservantes é eficaz para diminuir a deterioração da madeira de Hevea brasiliensis.
metadata.artigo.dc.identifier.uri: http://www.sustenere.co/index.php/rica/article/view/4164
http://repositorio.ufla.br/jspui/handle/1/42582
metadata.artigo.dc.language: pt_BR
Appears in Collections:DEG - Artigos publicados em periódicos

Files in This Item:
There are no files associated with this item.


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.