Buscar

 

RI UFLA (Universidade Federal de Lavras) >
DBI - Departamento de Biologia >
DBI - Programa de Pós-graduação >
DBI - Ecologia Aplicada - Doutorado (Teses) >

Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.ufla.br/jspui/handle/1/4429

Title: Cães domésticos como espécie invasora na Mata Atlântica: sentinelas de saúde ecológica
???metadata.dc.creator???: Curi, Nelson Henrique de Almeida
???metadata.dc.contributor.advisor1???: Passamani, Marcelo
???metadata.dc.contributor.referee1???: Gennari, Solange Maria
Barçante, Joziana Muniz de Paiva
Chiarello, Adriano Garcia
Pompeu, Paulo dos Santos
???metadata.dc.description.concentration???: Ecologia e Monitoramento de Ecossistemas Sob Interferência Antrópica
Keywords: Cão doméstico
Carnívoro silvestre
Doenças
Fatores de risco
Mata Atlântica
Medicina da conservação
Parasita
Saúde
Zoonose
Domestic dog
Wild carnivore
Disease
Risk factor
Atlantic Forest
Parasites
Health
Zoonosis
Conservation medicine
???metadata.dc.date.submitted???: 11-Aug-2014
Issue Date: 2014
???metadata.dc.description.sponsorship???: Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES)
Citation: CURI, N. H. de A. Cães domésticos como espécie invasora na Mata Atlântica: sentinelas de saúde ecológica. 2014. 123 p. Tese (Doutorado em Ecologia Aplicada) - Universidade Federal de Lavras, Lavras, 2014.
???metadata.dc.description.resumo???: A importância da saúde e das doenças para a conservação da biodiversidade é reconhecida mundialmente há décadas. Contudo, no Brasil, apenas recentemente esta preocupação permeou a comunidade científica e conservacionista. Apesar da falta de dados sobre o real impacto das doenças na fauna do país, algumas espécies apresentam características ecológicas e epidemiológicas que podem torná-las boas ‘sentinelas’ de saúde em certos cenários, sendo também alvos para prevenção de surtos ou mortalidade induzida por doenças em populações ameaçadas. Cães domésticos (Canis lupus familiaris) são considerados uma espécie invasora com alto potencial de impactos negativos sobre a vida silvestre. Eles agem como mesopredadores eficientes, interferem competitivamente e são os principais reservatórios de patógenos e doenças para carnívoros silvestres. São também importantes fontes de zoonoses, e estudos recentes mostram que existe forte presença deles no interior de áreas protegidas Brasileiras. Porém, pouco se sabe sobre seu potencial como reservatório de doenças para humanos e animais silvestres em áreas de interface entre humanos, animais domésticos e animais silvestres no país. Menos conhecidos ainda são os fatores associados a este potencial. Assim, os objetivos do estudo foram avaliar a ocorrência e a prevalência de agentes infecciosos e parasitas importantes para a conservação animal, particularmente de mamíferos carnívoros, e para a saúde humana, nas populações de cães domésticos do entorno de reservas de Mata Atlântica, e também levantar fatores de risco associados a estas doenças. Estes podem ser, por fim, manejáveis para a proteção da saúde de animais e humanos nessas áreas. Utilizamos uma abordagem epidemiológica seccional para realizar um levantamento sorológico dos cães domésticos para doenças como leishmaniose, cinomose, parvovirose, adenovirose, coronavirose e parasitas gastrintestinais, e testamos associações entre a soropositividade e vários fatores individuais e ambientais que podem interferir na transmissão destas doenças entre animais domésticos, humanos e animais silvestres. Para tal, utilizamos ferramentas estatísticas como regressões logísticas e modelos lineares generalizados mistos, dependendo do tipo de patógeno. Os fatores ecológicos associados à presença de doenças foram então listados, e medidas de manejo preventivo caso-a-caso foram sugeridas. Entre eles estão os hábitos de vida livre e a falta de manejo adequado dos cães. Estes resultado são importantes para a proteção da saúde humana nestes cenários. E principalmente, fornecem diretrizes para a ação conservacionista visando a minimização de um importante e negligenciado fator de extinção e ameaça para os carnívoros silvestres brasileiros: as doenças introduzidas e mantidas por populações ubíquas de cães domésticos. Esperamos que os resultados estimulem práticas, políticas públicas e legislações que objetivem reduzir o impacto ecológico e epidemiológico dos cães em áreas ricas em biodiversidade.
The importance of health and diseases for biodiversity conservation is worldwide recognized since decades ago. However, in Brazil, only recently this concern has entered the scientific and conservationist community. Despite the lack of data on the real impact of diseases over the Brazilian wildlife, some species shows ecological and epidemiological traits that may make them good health sentinels in certain scenarios, being also targets for prevention of outbreaks or disease-induced mortality in threatened populations. Domestic dogs (Canis lupus familiaris) are considered an invasive species with high negative impact over wildlife. They act as efficient mesopredators, competitively interfere and are the main reservoirs of pathogens to wild carnivores. They are also an important source of zoonosis, and recent studies demonstrate that they are strongly present inside Brazilian protected areas. However, little is known about their potential as disease reservoirs for humans and animals in wildlife/domestic animal/human interface zones in the country. Even less is known about the factors associated with this potential. With this background in mind, the aims of this study were to assess the occurrence and prevalence of infectious agents and parasites important for conservation (especially of mammal carnivores) and for human health in rural dog populations living around and near Atlantic Forest fragments, and also to raise disease-related risk factors. Such factors can be ultimately manageable to protect human and animal health in these areas. We used a cross-sectional epidemiological approach to perform a serologic inquiry of dogs for several diseases, such as leishmaniasis, canine distemper, parvovirosis, adenovirosis, coronavirosis and gastrointestinal parasites, and tested associations between seropositivity versus individual and environmental features involved with disease transmission between domestic animals, humans and wildlife. For this end, we used statistical tools such as logistic regressions and generalized linear mixed models, depending on pathogen type. We then listed the factors associated with disease presence, and suggested preventive measures in a case basis. Free-roaming behavior and poor management practices were among them. These results are important for human health protection in these scenarios. And, principally, provide guidelines for conservation action targeting a reduction of an important but neglected cause of extinction and threatening of wild carnivores in Brazil: diseases introduced and maintained by ubiquitous domestic dog populations. We hope the results stimulate practices, public policies and legislation to reduce the ecological and epidemiological impact of domestic dogs in biodiversity-rich areas.
Description: Tese apresentada a Universidade Federal de Lavras, como parte das exigências do Programa de Pós-Graduação em Ecologia Aplicada, área de concentração em Ecologia e Monitoramento de Ecossistemas Sob Interferência Antrópica, para a obtenção do título de Doutor.
URI: http://repositorio.ufla.br/jspui/handle/1/4429
Publisher: UNIVERSIDADE FEDERAL DE LAVRAS
???metadata.dc.language???: pt_BR
Appears in Collections:DBI - Ecologia Aplicada - Doutorado (Teses)

Files in This Item:

File Description SizeFormat
TESE_Cães domésticos como espécie invasora na Mata Atlântica _.pdf2.29 MBAdobe PDFView/Open

Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.


View Statistics

 


DSpace Software Copyright © 2002-2010  Duraspace - Feedback