Buscar

 

RI UFLA (Universidade Federal de Lavras) >
DAG - Departamento de Agricultura >
DAG - Programa de Pós-graduação >
DAG - Agronomia/Fitotecnia - Doutorado (Teses) >

Por favor, utilize esse identificador para citar este item ou usar como link: http://repositorio.ufla.br/jspui/handle/1/4438

Título: Doses de molibdênio foliar, nitrogênio e inoculação com Rhizobium spp. no feijoeiro-comum cv. BRS MG Madrepérola
Título Alternativo: Doses of foliar Molybdenium, Nitrogen and inoculation with Rhizobium spp. in common bean BRSMG Madreperola cultivar
Autor(es): Fonseca, Guilherme Godoy
Orientador: Andrade, Messias José Bastos de
Membro da banca: Moreira, Fátima Maria de Souza
Morais, Augusto Ramalho de
Andrade, Alex Teixeira
Soares, Bruno Lima
Área de concentração: Produção Vegetal
Assunto: Phaseolus vulgaris
Adubação molíbdica
FBN
Rhizobium
Molybdenum fertilization
Data de Defesa: 9-Mai-2014
Data de publicação: 2014
Agência de Fomento: Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES)
Referência: FONSECA, G. G. Doses de molibdênio foliar, nitrogênio e inoculação com Rhizobium spp. no feijoeiro-comum cv. BRS MG Madrepérola. 2014. 182 p. Tese (Doutorado em Agronomia/Fitotecnia) – Universidade Federal de Lavras, Lavras, 2014.
Resumo: In order to verify the response of common bean cv. BRS - MG Madrepérola face to the increasing supply of molybdenum and to the seed inoculation with two Rhizobium strains, three field experiments were conducted, two of them during the spring-summer crop of 2011/2012, in Patos de Minas and Pitangui, respectively, in the Alto Paranaíba and Midwest regions of Minas Gerais State, and another one during the spring-summer crop of 2012/2013, in Lavras, at the south of Minas Gerais. The experimental design was a randomized block design with three replications and a factorial scheme (5 x 2) + 3, in Patos de Minas, involving five doses of molybdenum (0, 40, 80, 120 and 160 g ha-1) and two inoculants (inoculation with Rhizobium tropici strain (CIAT 899T) and Rhizobium etli strain (UFLA 02-100), three additional treatments (absence of N, 20 kg ha-1 of N at topdressing and 40 kg ha-1 of N at sowing + 40 kg ha-1 of N at topdressing). In Lavras and Pitangui, the experimental design was a randomized block design with three replications and a factorial scheme (5 x 2) + 4, involving five doses of molybdenum (0, 40, 80, 120 and 160 g ha-1) and two inoculants (inoculation with Rhizobium tropici strain (CIAT 899T) and Rhizobium etli strain (UFLA 02-100), four additional treatments (absence of N, 20 kg ha-1 of N at sowing, 20 kg ha-1 of N at topdressing and 40 kg ha-1 of N at sowing + 40 kg ha-1 of N at topdressing), applied without inoculation and molybdenum. Each experimental plot consisted of 6 rows of 4 m length and 0,5 m spacing between rows, using as floor area four central lines, for a total of 8 m2. The inoculants were prepared at the Laboratory of Soil Microbiology of the Department of Soil Science in UFLA. The strains were inoculated into an Erlenmeyer flask containing sterilized YM medium semisolid. After 4 days of growth log phase, the material was transferred to another erlemmeyer containing peat autoclaved for 20 minutes. The resulting mixture (inoculant) in the proportion 3:2 peat:culture was used on the basis of 10 g per kg of seed. The inoculant quality was monitored by counting, with the legal minimum number of viable cells (about 109 cells per gram of Rhizobium inoculant on the seed) was observed. At flowering (R6 stage of the bean cycle) 10 plants were sampled to evaluate the number of nodules, nodules dry mass, shoots dry mass and content and accumulation of nitrogen (N) in the shoots. At harvest (stage R9), at 2 rows of the plot, the final stand, grain yield and its primary components (number of pods per plant, number of seeds per pod and weight of 100 grains) were evaluated and, in Lavras and Pitangui, was also evaluated the content and accumulation of N in the grains. Increasing doses of N up to 80 kg ha-1 (40 kg ha-1 at sowing and 40 kg ha-1 in topdressing) provides bean growth and an increase in the number of pods in Madrepérola cultivar. Inoculation with UFLA 02-100 strain increases the number of pods per common bean plant. The shoots dry mass and grain yield of common bean are influenced by the foliar doses of molybdenum applied. Doses up to 88 g ha-1 of molybdenum increase shoots dry mass of the common bean. Grain yield increases linearly with molybdenum supply. About the tests in Lavras e Pitangui, nodulation, final stand and nitrogen accumulation in grains are greater in Lavras. The dose of 80 kg ha-1 of N (40 kg ha-1 of N at sowing and 40 kg ha-1 of N at topdressing) provides greater plant growth in Lavras. In Pitangui, doses of N did not influence the shoots dry matter production. The treatments without inoculation provide values of NN and MSPA equivalent to the inoculated treatments, indicating good efficiency of the native populations of rhizobia. In Lavras, increasing doses of molybdenum supply results in significant gains in the nitrogen content in the grains until the dose of 110 g ha-1 of Mo. Inoculation with UFLA 02-100 strain provides higher grain yield in Pitangui and, in Lavras, does not differ from the reference strain CIAT 899. The grain yield rises with increasing doses up to 63 g Mo ha-1 when using CIAT 899 strain. The molybdenum fertilization provides reduced productivity when seeds are inoculated with UFLA 02-100 strain, even with the application of minimum doses. Under the conditions of this study, nitrogen fertilization up to 80 (40 + 40) kg of N ha-1 does not interfere with grain yield of common bean.
Com o objetivo de verificar a resposta do feijoeiro-comum cv. BRS-MG Madrepérola ao fornecimento crescente de molibdênio e à inoculação das sementes com duas estirpes de rizóbio, foram conduzidos três experimentos a campo, dois deles durante a safra primavera-verão 2011/2012, em Patos de Minas e Pitangui, respectivamente, nas regiões do Alto Paranaíba e Centro-oeste mineiro, e outro durante a safra primavera-verão 2012/2013, em Lavras, região do Sul de Minas Gerais. O delineamento estatístico foi blocos ao acaso, com três repetições e esquema fatorial (5 x 2) + 3, em Patos de Minas, envolvendo cinco doses de molibdênio (0, 40, 80, 120 e 160 g ha-1), duas inoculações (sementes inoculadas com as estirpes CIAT 899T de Rhizobium tropici e UFLA 02–100 de Rhizobium etli), mais três tratamentos adicionais isentos de inoculação e de Mo (ausência de nitrogênio - N; 20 kg ha-1 de N em cobertura e 40 kg ha-1 de N na semeadura + 40 kg ha-1 de N em cobertura). Em Lavras e Pitangui, o fatorial utilizado foi (5 x 2) + 4, envolvendo cinco doses de molibdênio via foliar (0, 40, 80, 120 e 160 g ha-1) e dois inoculantes (inoculação com a estirpe CIAT 899T de Rhizobium tropici e UFLA 02–100 de Rhizobium etli), mais quatro tratamentos adicionais (ausência de N; 20 kg ha-1 de N na semeadura; 20 kg ha-1 de N em cobertura e 40 kg ha-1 de N na semeadura + 40 kg ha-1 de N em cobertura), aplicados sem inoculação e molibdênio. Cada parcela experimental foi composta por seis linhas de 4 m de comprimento e espaçamento de 0,5 m entre linhas, tomando-se como área útil as quatro linhas centrais, em um total de 8 m2. Os inoculantes foram preparados no Laboratório de Microbiologia do Solo do Departamento de Ciência do Solo da UFLA. As estirpes foram inoculadas em erlenmeyer contendo meio semissólido YM esterilizado. Após quatro dias de crescimento, na fase log, o material foi transferido para outro erlemmeyer contendo turfa esterilizada em autoclave por 20 minutos. A mistura resultante (inoculante), na proporção 3:2 turfa:cultura, foi empregada na base de 10 g por kg de semente. A qualidade do inoculante foi monitorada por meio de contagem, sendo que o número mínimo legal de células viáveis (em torno de 109 células de Rhizobium por grama de inoculante na semeadura) foi observado. Na floração (estádio R6 do ciclo do feijoeiro), foram amostradas 10 plantas para avaliação do número de nódulos, massa seca de nódulos, massa seca de parte aérea e teor e acúmulo de nitrogênio (N) na parte aérea. Na colheita (estádio R9), em duas linhas da parcela, foram avaliados o rendimento de grãos e seus componentes primários (número de vagens por planta, número de grãos por vagem e peso de 100 grãos) e, em Lavras e Pitangui, foram também avaliados o teor e acúmulo de N nos grãos. Em Patos de Minas, a aplicação de doses crescentes de N até 80 kg ha-1 (40 kg ha-1 na semeadura e 40 kg ha-1 em cobertura) proporciona o crescimento do feijoeiro e o incremento do número de vagens na cultivar Madrepérola. A inoculação com a estirpe UFLA 02-100 eleva o número de vagens por planta de feijoeiro-comum. A massa seca de parte aérea e o rendimento do feijoeiro são influenciados pelas doses de molibdênio aplicadas via foliar. Doses de até 88 g ha-1 elevam a massa seca de parte aérea do feijoeiro. O rendimento de grãos aumenta linearmente com o fornecimento de molibdênio. Com relação aos ensaios de Lavras e Pitangui, é maior a nodulação, o estande final e o acúmulo de nitrogênio nos grãos em Lavras. A dose de 80 kg ha-1 de N (40 kg ha-1 de N na semeadura e 40 kg ha-1 de N em cobertura) proporciona maior crescimento do feijoeiro em Lavras. Em Pitangui, as doses de N não influenciam na produção de matéria seca da parte aérea. Os tratamentos sem inoculação propiciam valores de número de nódulos e matéria seca de parte aérea equivalentes aos dos tratamentos inoculados, indicando boa eficiência das populações nativas de rizóbio. Em Lavras, o fornecimento de doses crescentes de molibdênio resulta em ganhos significativos do teor de nitrogênio nos grãos até a dose de 110 g ha-1 Mo. A inoculação com a estirpe UFLA 02-100 proporciona maior rendimento de grãos de feijão em Pitangui e, em Lavras, não difere da estirpe de referência CIAT 899. O rendimento de grãos do feijoeiro se eleva com o aumento das doses de Mo até 63 g ha-1 quando se utiliza a estirpe CIAT 899. A adubação molíbdica proporciona redução da produtividade quando se inocula as sementes de feijão com a estirpe UFLA 02-100, mesmo com a aplicação de doses mínimas. Nas condições do estudo, a adubação nitrogenada de até 80 (40 + 40) kg ha-1 de N não interfere no rendimento de grãos do feijoeiro.
Informações adicionais: Tese apresentada à Universidade Federal de Lavras, como parte das exigências do Programa de Pós-Graduação em Agronomia/Fitotecnia, área de concentração em Produção Vegetal, para a obtenção do título de Doutor.
URI: http://repositorio.ufla.br/jspui/handle/1/4438
Publicador: UNIVERSIDADE FEDERAL DE LAVRAS
Idioma: pt_BR
Aparece nas coleções: DAG - Agronomia/Fitotecnia - Doutorado (Teses)

Arquivos neste Item:

Arquivo Descrição TamanhoFormato
TESE Doses de molibdênio foliar, nitrogênio e inoculação com Rhizobium spp. no feijoeiro-comum cv. BRS MG Madrepérola.pdf1,32 MBAdobe PDFVer/abrir

Itens protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, Salvo indicação em contrário.


Mostrar estatísticas

 


DSpace Software Copyright © 2002-2007 MIT and Hewlett-Packard - Feedback