Buscar

 

RI UFLA (Universidade Federal de Lavras) >
DCF - Departamento de Ciências Florestais >
DCF - Programa de Pós-graduação >
DCF - Engenharia Florestal - Mestrado (Dissertações) >

Por favor, utilize esse identificador para citar este item ou usar como link: http://repositorio.ufla.br/jspui/handle/1/4683

Título: Análise proteômica em sementes condicionadas de eucalipto submetidas a estresse salino
Autor(es): Silva, Natália Cristina Nogueira
Orientador: José, Anderson Cleiton
Coorientador(es): Faria, José Marcio Rocha
Membro da banca: Guimarães, Renato Mendes
Área de concentração: Ciências Florestais
Assunto: Condicionamento fisiológico
Estresse abiótico
Proteina
Eucalyptus urophylla
Physiological conditioning
Abiotic stress
Proteins
Data de Defesa: 30-Jun-2014
Data de publicação: 26-Nov-2014
Agência de Fomento: Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq)
Referência: SILVA, N. C. N. Análise proteômica em sementes condicionadas de eucalipto submetidas a estresse salino. 2014. 86 p. Dissertação (Mestrado em Engenharia Florestal) - Universidade Federal de Lavras, Lavras, 2014.
Resumo: O condicionamento fisiológico é uma importante técnica que induz maior tolerância das sementes a estresses abióticos como o estresse hídrico, salino, oxidativo e aquele causado por temperaturas extremas. Estes estresses possuem, muitas vezes, vias de sinalização e respostas celulares semelhantes. Assim, o condicionamento ao ativar uma dessas vias, favorece uma resposta de defesa e tolerância das sementes a um estresse posterior de forma mais rápida e intensa. Objetiva-se com este trabalho induzir maior toleância de sementes de Eucalyptus urophylla e do híbrido E. urophyllax E. grandis ao estresse salino através do condicionamento osmótico realizado com PEG.Para isto, foi testado dois potenciais de condicionamento, -1,0 e -1,5Mpa por dois períodos, 1 ou 3 dias. Posteriormente as sementes foram colocadas para germinar em estresse salino em solução de NaCl nos potenciais 0,0 (controle)-0,5, -0,75 e -1,0 Mpa a 25°C com luz constante. Como E. urophylla mostrou-se mais tolerante ao estresse salino, apresentando maiores porcentagens de germinação em todos os potenciais testados, e o osmocondicionamento a -1,0 MPa por três dias foi o mais indicado para induzir maior tolerância à germinação sob estresse mais severo (-1MPa), tais tratamentos foram selecionados para avaliação proteômica. Proteínas totais foram extraídas e separadas pelo método de eletroforese em gel bidimensional dos tratamentos compostos por: sementes secas, sementes condicionadas a -1,0 MPa por três dias, sementes em processo de germinação em água por 6h, sementes em processo de germinação em -1,0MPa de NaCl por 6h, sementes em processo de germinação em água por 6h após o condicionamento e sementes em processo de germinação em -1,0MPa de NaCl por 6h após condicionamento. O perfil proteômico revelou a presença de cerca de 415 pontos de proteínas nos géis corados com azul de Comassie, dos quais foram selecionados 21 pontos diferencialmente expressos. Tais proteínas podem estar relacionadas com as proteínas de reserva ou com a quebra destas, com o reparo ou defesa de danos celulares, envolvidas no ciclo celular, dentre outras.
Abstract: The physiological conditioning is an important technique which induces greater tolerance of seeds to abiotic stresses such as hydric, salt, oxidative, as well as that caused by extreme temperatures. The signalling pathways and cellular responses of these kind of stresses are often similar. Then, when activating one of these pathways, the conditioning favours a defense response and tolerance of seeds to a subsequent stress in a quick and intense way. In this work, we aimed to induce greater tolerance of seeds of Eucalyptus urophylla and of the hybrid E. urophylla x E. grandis to salt stress through osmotic conditioning performed with polyethylene glycol. We tested two osmotic potentials (-1.0 and -1.5 Mpa) for 1 and 3 days. Subsequently, seeds were germinated under salt stress in NaCl solution at potentials of 0.0 (control), -0.5, -0.75 and -1.0 Mpa at 25oC under constant light. The treatment of E. urophylla was found to be more tolerant to salt stress, showing higher germination percentages under all tested potentials. In addition, the osmotic conditioning at -1.0 Mpa for three days was found to be the most indicated to induce greater tolerance to germination under the most acute stress. Thus, these treatments were selected for proteomic analysis. Total proteins were isolated and separated by the 2D gel electrophoresis from the following six samples: one of dry seeds, one of seeds conditioned at -1.0 Mpa for three days, and four of seeds in the germination process (in water and at -1.0 Mpa in NaCl, these for 6 hours and for 6 hours after conditioning).The proteomic profile revealed the presence of around 415 protein spots into gels stained using Coomassie brilliant blue, from which 21 spots differentially expressed were selected. Such proteins may be associated with reserve proteins or breaking of these proteins, with the repair or defense of cellular damages, involved in cell cycle, among others.
Informações adicionais: Dissertação apresentada à Universidade Federal de Lavras, como parte das exigências do Programa da Pós-Graduação em Engenharia Florestal, área de concentração em Ciências Florestais, para a obtenção do título de Mestre.
URI: http://repositorio.ufla.br/jspui/handle/1/4683
Publicador: UNIVERSIDADE FEDERAL DE LAVRAS
Idioma: pt_BR
Aparece nas coleções: DCF - Engenharia Florestal - Mestrado (Dissertações)

Arquivos neste Item:

Arquivo Descrição TamanhoFormato
DISSERTACAO_Análise proteômica em sementes condicionadas de eucalipto submetidas a estresse salino.pdf1,09 MBAdobe PDFVer/abrir

Itens protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, Salvo indicação em contrário.


Mostrar estatísticas

 


DSpace Software Copyright © 2002-2007 MIT and Hewlett-Packard - Feedback