Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.ufla.br/jspui/handle/1/48037
metadata.artigo.dc.title: The Quintuple Helix Model and the Future of Mobility: The role of Autonomous Vehicles in a Developing Country
metadata.artigo.dc.title.alternative: O modelo da Quíntupla Hélice e o futuro da mobilidade urbana: o caso dos veículos autônomos em um país em desenvolvimento
metadata.artigo.dc.creator: Gandia, Rodrigo Marçal
Veroneze, Ricardo Braga
Antonialli, Fabio
Cavazza, Bruna Habib
Sugano, Joel Yutaka
Nicolaï, Isabelle
metadata.artigo.dc.subject: Quintuple helix model
Urban mobility
Autonomous vehicles
Modelo da quíntupla hélice
Mobilidade urbana
Veículos autônomos
metadata.artigo.dc.publisher: Universidade Federal Fluminense
metadata.artigo.dc.date.issued: May-2020
metadata.artigo.dc.identifier.citation: GANDIA, R. M. et al. The Quintuple Helix Model and the Future of Mobility: The role of Autonomous Vehicles in a Developing Country. Revista Administração, Sociedade e Inovação (RASI), Volta Redonda, v. 6, n. 2, p. 52-70, mai./ago. 2020. DOI: https://doi.org/10.20401/rasi.6.2.410.
metadata.artigo.dc.description.resumo: Este artigo descritivo, de abordagem qualitativa, teve como objetivo compreender se o Modelo Quíntuplo de Hélice (MQH) pode promover positivamente avanços na mobilidade urbana a partir da inserção dos Veiculos Autônomos (VAs) na sociedade, bem como discutir a dinâmica do MQH no contexto brasileiro. A sinergia entre os agentes propostos pelo modelo é essencial para minimizar os impactos no desenvolvimento da inovação. É necessário entender o desenvolvimento dos VAs não apenas como uma inovação tecnológica que trará conforto para a sociedade, mas para perceber que essa inovação radical pode transformar o futuro da mobilidade urbana no mundo. No contexto brasileiro, observamos uma necessidade de melhoraria em muitos aspectos. Os brasileiros tendem a ser os primeiros a adotar tecnologia e o país possui boas redes móveis, mas precisará melhorar os regulamentos, a inovação local e a qualidade da estrada para aproveitar os VAs (KPMG, 2018). Finalmente, MQH pode corroborar com essa melhoria e nosso arcabouço teórico proposto pode explicar como essa dinâmica funciona.
metadata.artigo.dc.identifier.uri: http://repositorio.ufla.br/jspui/handle/1/48037
metadata.artigo.dc.language: en
Appears in Collections:DAE - Artigos publicados em periódicos



This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons