Buscar

 

RI UFLA (Universidade Federal de Lavras) >
DFP - Departamento de Fitopatologia >
DFP - Programa de Pós-graduação >
DFP - Agronomia/Fitopatologia - Mestrado (Dissertações) >

Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.ufla.br/jspui/handle/1/505

Title: Suprimento de nitrogênio e de potássio na intensidade da mancha branca do milho
???metadata.dc.creator???: Dornelas, Gabriel Avelar
???metadata.dc.contributor.advisor1???: Souza, Paulo Estevão de
???metadata.dc.contributor.referee1???: Costa, Rodrigo Veras da
Pozza, Adélia Aziz Alexandre
???metadata.dc.description.concentration???: Fitopatologia
Keywords: Estresse nutricional
Zea maydis
Doença foliar
Relação nutrição-patógeno-hospedeiro
Nutriente mineral
Zea maydis
Leaf diseases
Nutrient stress
???metadata.dc.date.submitted???: 2012
Issue Date: 2013
???metadata.dc.description.sponsorship???: Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Minas Gerais, FAPEMIG
Citation: DORNELAS, G. A. Suprimento de nitrogênio e de potássio na intensidade da mancha branca do milho. 2012. 58 p. Dissertação (Mestrado em Fitopatologia)-Universidade Federal de Lavras, Lavras, 2012.
???metadata.dc.description.resumo???: Com o objetivo de avaliar o efeito da adubação nitrogenada e potássica na intensidade da mancha branca do milho, foram conduzidos dois experimentos, em duas localidades, em Minas Gerais, em condição de campo, sendo um na fazenda Palmital no município de Ijaci e outro na estação experimental da Embrapa Milho e Sorgo, em Sete Lagoas. Foi utilizada a cultivar suscetível 30P70. No experimento 1 foi utilizado um esquema fatorial com 5 doses de N (20; 40; 80; 150; 190 kg ha-1 de N) e cinco doses de K (15; 30; 60; 120; 180 kg ha-1 de K) e, no segundo, também em esquema fatorial, com as mesmas doses de N (20; 40; 80; 150; 190 kg ha-1 de N) e cinco doses de K (8,75; 17,5; 35; 50; 100 kg ha-1 de K), conforme recomendações das análises de solo. No plantio foram utilizados 25% das doses de N e 50% das doses de K, sendo o restante em duas coberturas, aos 35 dias após a semeadura e 15 dias após a primeira. O delineamento experimental foi em blocos casualizados, com os tratamentos dispostos em arranjo fatorial, conforme descrito acima, com quatro repetições. As avaliações de severidade da doença se iniciaram a partir do aparecimento dos primeiros sintomas da doença, o que ocorreu aos 43 DAE, no primeiro experimento e aos 56 DAE, no segundo. Não houve interação significativa entre N e K, em ambos os experimentos. Para o fator N, foi detectada significância no teste F (P ≤ 0,05), quando analisadas as variáveis: área abaixo da curva de progresso da doença (AACPD) e produtividade dos dois experimentos. Com o aumento das doses de N foi observado, também, aumento dos valores de AACPD. Em ambos os experimentos, doses de N foram significativas (P ≤ 0,01) para a análise de regressão em relação à AACPD, se enquadrando no modelo linear com o aumento de 2,8%, 8,4%, 18,2% e 23,8%, no experimento 1 e 6,1%, 18,3%, 39,6% e 51,7%, no experimento 2, nas doses 40, 80, 150 e 190 kg N ha-1, respectivamente, comparada à menor dose de N (20 kg ha-1). As maiores produtividades foram observadas nas maiores doses de N, onde no experimento 1 enquadrando-se ao modelo de regressão quadrática (P ≤ 0,01) com máxima produtividade na dose de 170,5 kg ha-1 de N. O experimento 2 se enquadrou no modelo de regressão linear (P ≤ 0,01)n com aumento de 0,56% na produtividade (t ha-1) para cada kg de N aplicado no solo. A produtividade nas maiores doses de N foi abaixo do esperado, com perdas de 9% e 10%, nas últimas doses, nos experimentos 1 e 2, respectivamente, o que pode ser explicado pela maior severidade da doença nas parcelas que receberam as maiores doses. Para o nutriente K não foi observado efeito significativo para as variáveis AACPD e produtividade de grãos (T ha-1). Portanto, conclui-se que o N está diretamente relacionado com a severidade da mancha branca, com tendência de aumento desta com os incrementos das doses desse nutriente.
With the objective of evaluating the effect of nitrogen and potassium fertilization on the intensity of maize white spot, two experiments were conducted in two locations in Minas Gerais, under field condition, one on the Palmital farm in the municipality of Ijaci-MG and another in the Embrapa Maize and Sorghum experimental station (Embrapa Milho e Sorgo) in Sete Lagoas - MG. The susceptible cultivar 30P70 was used. In experiment 1, a factorial scheme with fives doses of N (20, 40, 80, 150, 190 kg N ha-1) and five doses of K (15, 30, 60, 120, 180 kg ha-1 K) was used and in the second, also in a factorial scheme with the same doses of N (20, 40, 80, 150, 190 kg ha-1 N) and five doses of K (8.75, 17.5, 35, 50; 100 kg ha-1 K) according to the soil analysis recommendations. At planting, 25% of the doses of N and 50% of the doses of K were utilized and the remainder being in topdressings, that is, 35 days after sowing and 15 days after the first one. The experimental design was in randomized blocks with the treatments arranged in a factorial design as described above, with four replications. The evaluations of the disease severity started from the appearance of the first symptoms of the disease, which occurred at 43 DAE in the first experiment and at 56 DAE in the second experiment. There was no significant interaction between N and K in both the experiments. As to the N factor, significance in the F test (P ≤ 0.05) was detected, when the following variables were surveyed: area bellow the disease progress curve (AACPD) and yield of the two experiments. With increasing the doses of N, increase of the values of AACPD was also found. In both the experiments, doses de N were significant (P ≤ 0,01) to the regression analysis in relation to the AACPD, fitting into the linear model with the increase of 2.8%, 8.4%, 18.2% and 23.8% in experiment 1 and 6.1%, 18.3%, 39.6% and 51.7%, in experiment 2 at the doses 40, 80, 150 and 190 kg N ha-1, respectively, compared with the lowest dose of N (20 kg ha-1). The highest yields were found with the greatest doses of N, where in experiment 1 by fitting into the quadratic regression model (P ≤ 0.01) with maximum yield at the dose of 170.5 kg ha-1 of N. Experiment 2 fitted into the linear regression model (P ≤ 0.01) with an increase of 0.56%in yield (t ha-1) for each kg of N applied in soil. The yield at the highest doses of N was bellow the expected with losses of both 9% and 10%, in the latest doses in experiments 1 and 2, respectively, which may be explained by the increased disease severity in the pots which were given the highest doses. For the nutrient K, no significant effect for the variables AACPD and grain yield was found (T ha-1). Therefore, it follows that N is directly related to the severity of white spot, increasing trend of this with the rises of the doses of that nutrient.
Description: Dissertação apresentada à Universidade Federal de Lavras, como parte das exigências do Programa de Pós-Graduação em Agronomia, área de concentração em Fitopatologia, para a obtenção do título de Mestre.
URI: http://repositorio.ufla.br/jspui/handle/1/505
Publisher: UNIVERSIDADE FEDERAL DE LAVRAS
???metadata.dc.language???: pt_BR
Appears in Collections:DFP - Agronomia/Fitopatologia - Mestrado (Dissertações)

Files in This Item:

File Description SizeFormat
DISSERTAÇÃO Suprimento de nitrogênio e de potássio na intensidade da mancha branca do milho.pdf356.06 kBAdobe PDFView/Open

Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.


View Statistics

 


DSpace Software Copyright © 2002-2010  Duraspace - Feedback