Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.ufla.br/jspui/handle/1/5282
Full metadata record
DC FieldValueLanguage
dc.creatorSilva, Érika Oliveira da-
dc.date.accessioned2015-03-26T14:11:51Z-
dc.date.available2015-03-26T14:11:51Z-
dc.date.issued2015-
dc.date.submitted2015-02-20-
dc.identifier.citationSILVA, E. O. da. Óleos essenciais no controle da pinta bacteriana (pseudômonas syringae pv. tomato) do tomateiro: épocas de aplicação, concentração e indução de resistência. 2015. 68p. Dissertação (Mestrado em Agronomia/Fitopatologia) - Universidade Federal de Lavras, Lavras, 2015.pt_BR
dc.identifier.urihttp://repositorio.ufla.br/jspui/handle/1/5282-
dc.description.sponsorshipFundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Minas Gerais (FAPEMIG)pt_BR
dc.languagept_BRpt_BR
dc.publisherUNIVERSIDADE FEDERAL DE LAVRASpt_BR
dc.rightsacesso abertopt_BR
dc.subjectControle alternativopt_BR
dc.subjectAlternative controlpt_BR
dc.subjectSolanum lycopersicumpt_BR
dc.subjectPseudomonas syringae pv. tomatopt_BR
dc.titleÓleos essenciais no controle da pinta bacteriana (pseudômonas syringae pv. tomato) do tomateiro: épocas de aplicação, concentração e indução de resistênciapt_BR
dc.title.alternativeEssential oils for the control of bacterial speck (Pseudomonas syringae pv tomato.) in tomato crop: application times, concentration and induction of resistence.pt_BR
dc.typedissertaçãopt_BR
dc.publisher.programDFP - Departamento de Fitopatologiapt_BR
dc.publisher.initialsUFLApt_BR
dc.publisher.countryBRASILpt_BR
dc.description.concentrationFitopatologiapt_BR
dc.contributor.advisor1Alves, Eduardo-
dc.contributor.referee1Alves, Eduardo-
dc.contributor.referee1Gomes, Luiz Antônio Augusto-
dc.contributor.referee1Teixeira, Hudson-
dc.description.resumoA pinta bacteriana tem como agente etiológico a bactéria Pseudomonas syringae pv. tomato (Pst) e está entre as doenças mais importantes do tomateiro, pois reduz o tamanho dos frutos e a qualidade pelo aparecimento de manchas. As perdas causadas por esta doença resultam da redução da produtividade em decorrência direta dos sintomas, do custo dos produtos químicos utilizados como estratégia de controle e de sua aplicação às lavouras. Os princípios ativos que estão contidos nos produtos registrados no Brasil para o controle da pinta bacteriana são o cobre e os antibióticos estreptomicina e oxitetraciclina. No entanto, vários trabalhos demonstram a baixa eficácia da estreptomicina e dos produtos cúpricos em lavouras de tomate. Assim os óleos essenciais surgem como uma alternativa para o controle da pinta bacteriana. Diante do exposto, este trabalho foi realizado com os objetivos de: (i) avaliar o efeito in vitro dos óleos essenciais de canela (CA), citronela (CI), capim-limão (CL), cravo-da- índia (CR), tomilho (TO), eucalipto (EU), árvore-de-chá (ME), copaíba (CO) e erva-cidreira (EC); (ii) avaliar o efeito destes óleos e das épocas de sua aplicação no controle da pinta bacteriana; (iii) avaliar a melhor concentração dos óleos essenciais mais promissores para o controle da pinta bacteriana e (iv) avaliar o potencial do óleo essencial de citronela e capim-limão e do acibenzolar-S-metil na redução da pinta bacteriana e na ativação de algumas respostas bioquímicas de defesa de planta de tomate. Na concentração 1,0%, os óleos essenciais de CA, CI, CL e EU promoveram inibição do crescimento de Pst in vitro. Em relação à influência entre épocas de aplicação e controle da doença, a aplicação de óleos essenciais somente uma vez antes da inoculação apresentou maior eficiência de controle. Os melhores tratamentos foram o ASM e os óleos essenciais de CI, CL e TO. Os óleos essenciais de CI 2.000 µL L-1 e CL 1.500 µL L-1, e o ASM 0,2g L-1 foram eficientes contra a pinta bacteriana do tomateiro quando aplicados uma única vez sete dias antes da inoculação. O óleo essencial de CI e o acibenzolarS-metil conferiram capacidade parcial de proteção em plantas de tomateiro desafiadas por P. syringae pv. tomato. Estes também promoveram o aumento na quantidade de fenol total e lignificação da parede celular.pt_BR
dc.description.resumoThe bacterial speck has as etiologic agent the bacterium Pseudomonas syringae pv. tomato (Pst) and it is among the most important tomato diseases because it reduces the fruit size and quality by the appearance of spots. The losses caused by this disease result from the reduced productivity as a direct result of the symptoms, the cost of chemicals used as control strategy and its application to crops. The active ingredients that are contained in the products registered in Brazil for the control of bacterial speck are copper, streptomycin and oxytetracycline. However, several studies have shown the low efficacy of streptomycin and cupric products in tomato crops. Thus the essential oils appear as an alternative for the control of bacterial specks. As a consequence, this study was conducted with the following objectives: (i) to evaluate the in vitro effect of cinnamon (CA), citronella (CI), lemongrass (CL), clove (CR) , thyme (TO), eucalyptus (US), tea tree (ME), copaiba (CO) and lemon balm (EC) essential oils; (ii) evaluate the effect of these oils and the seasons of their application in the bacterial speck control (iii) evaluate the best concentration of the most promising essential oils for the bacterial speck control and (iv) evaluate the essential oil potential of citronella, lemon grass and acibenzolar-S-methyl in reducing bacterial specks and in the activation of some plant defense biochemical responses. In the concentration 1.0%, the essential oils of CA, CI, CL and EU promoted in vitro Pst growth inhibition. Regarding the influence of application times and disease control, the application of essential oils only once before inoculation presented higher control efficiency. The best treatments were the ASM and the essential oils of CI, CL and TO. Essential oils of CI 2.000 µL L-1 and CL 1.500 µL L-1, and ASM 0,2g L-1 were effective against tomato bacterial speck when applied only once seven days before inoculation. The essential oil of CI and acibenzolar-S-methyl conferred partial protection capacity in tomato plants challenged by P. syringae pv. tomato. They also promoted the increase in the total amount of phenol and the cell wall lignification.pt_BR
dc.subject.cnpqCNPQ_NÃO_INFORMADOpt_BR
Appears in Collections:DFP - Agronomia/Fitopatologia - Mestrado (Dissertações)



Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.