Buscar

 

RI UFLA (Universidade Federal de Lavras) >
Revistas UFLA >
Ciência e Agrotecnologia >

Por favor, utilize esse identificador para citar este item ou usar como link: http://repositorio.ufla.br/jspui/handle/1/5830

Título: Resposta e níveis críticos de potássio para o arroz cultivado em solos de várzea inundados
Autor(es): Cabbau,Andrei Rodrigo
Faquin,Valdemar
Fernandes,Luiz Arnaldo
Andrade,Alex Teixeira
Lima Sobrinho,Rodrigo Reis de
Assunto: K trocável
K não-trocável
K total
solo de várzea
Oryza sativa
Publicador: Editora da Universidade Federal de Lavras
Publicação: 1-Fev-2004
Outras Identificações: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1413-70542004000100010
Informações adicionais: O presente trabalho foi conduzido em casa-de-vegetação do Departamento de Ciência do Solo da Universidade Federal de Lavras, no período de fevereiro a junho de 2002, com os objetivos de avaliar para o arroz (Oriza sativa L. cv. Jequitibá), cultivado em solos de várzea inundados, a resposta à adubação potássica e a contribuição das formas de K na nutrição, e estimar os níveis críticos do nutriente nos solos e na planta. O delineamento experimental utilizado foi o inteiramente casualizado, em esquema fatorial 4x5, com quatro repetições, sendo quatro solos de várzea [Neossolo Flúvico (RU), Gleissolo Háplico (GX), Gleissolo Melânico (GM) e Organossolo Mésico (OY)] e cinco níveis de saturação por K da CTC potencial (natural, 4, 6, 8 e 10%). As saturações naturais foram de 1,49, 1,65, 1,30 e 1,55% para os solos RU, GX, GM e OY, respectivamente. Inicialmente, amostras suficientes de 4 dm³ dos solos receberam correção com calcário para elevar a V a 50% e incubados por 30 dias. Em seguida, amostras de 3 dm³ dos solos receberam os tratamentos com potássio e uma adubação básica com macro e micronutrientes e foram incubados por mais 30 dias em vasos com capacidade para 5 dm³. No final desse período, os solos foram inundados onde se cultivaram duas plantas de arroz por vaso, nas quais avaliaram-se os teores foliares de K no florescimento e a produção de grãos no final do ciclo. Em subamostras obtidas dos solos dos vasos antes e após o cultivo, analisaram-se as formas de potássio: K total (Ktot), K não-trocável (Knt), K trocável (Ktr), K em solução (Ksol) e K disponível pelo extrator Mehlich 1 (K M1). Pelos resultados, verificou-se que o arroz respondeu em produção de grãos à adubação potássica em todos os solos estudados. Houve aproveitamento do Knt pela cultura, embora o Ktr tenha sido a forma que mais contribuiu no suprimento do nutriente. As saturações críticas por K para 90% da produção máxima foram 4,0, 8,1, 7,8 e 4,4% para os solos RU, GX, GM e OY, respectivamente. Da mesma forma, os níveis críticos foliares de K foram 9,6, 11,1, 10,2 e 11,5 g kg-1.
Idioma: pt
Aparece nas coleções: Ciência e Agrotecnologia

Arquivos neste Item:

Não há arquivos associados para este Item.

Itens protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, Salvo indicação em contrário.


Mostrar estatísticas

 


DSpace Software Copyright © 2002-2007 MIT and Hewlett-Packard - Feedback