Buscar

 

RI UFLA (Universidade Federal de Lavras) >
Revistas UFLA >
Ciência e Agrotecnologia >

Por favor, utilize esse identificador para citar este item ou usar como link: http://repositorio.ufla.br/jspui/handle/1/5840

Título: Alimentação e comportamento de larvas de pacu, Piaractus mesopotamicus (Holmberg, 1887)
Título Alternativo: Feeding and behavior of pacu, Piaractus mesopotamicus (Holmberg, 1887) larvae
Autor(es): Beerli, Eduardo Lopes
Logato, Priscila Vieira Rosa
Freitas, Rilke Tadeu Fonseca de
Assunto: Peixe
Larvicultura
Piscicultura
Dieta
Fish
Diet
Aquaculture
Larviculture
Publicador: Editora da Universidade Federal de Lavras
Publicação: 1-Fev-2004
Referência: BEERLI, E. L.; LOGATO, P. V. R.; FREITAS, R. T. F. de. Alimentação e comportamento de larvas de pacu, Piaractus mesopotamicus(Holmberg, 1887). Ciência e Agrotecnologia, Lavras, v. 28, n. 1, p. 149-155, jan./fev. 2004.
Resumo: Conduziu-se este trabalho com o objetivo de avaliar o efeito da utilização de dietas naturais e artificiais sobre o desempenho e comportamento de larvas de pacu (Piaractus mesopotamicus), entre o 2º e o 10º dia de vida. Foram utilizadas 30 caixas plásticas, cada uma com 30 litros de água e renovação contínua, onde as larvas foram mantidas durante o período experimental. Cada caixa recebeu 10 larvas por litro, totalizando 300 larvas/caixa. Foram testados 6 tratamentos, cada qual com 5 repetições. Os tratamentos foram: T1-ração, T2-plâncton, T3-artêmia, T4-plâncton + ração, T5-artêmia + ração e T6-artêmia + plâncton. As larvas foram alimentadas 6 vezes ao dia, nos horários de 4, 8, 12, 16, 20 e 24 horas. A temperatura da água foi mantida constante a 27ºC, o oxigênio dissolvido permaneceu na faixa de 6,16 ± 0,34 e o pH, entre 7,16 ± 0,22. Aos 2, 4, 6, 8 e 10 dias de vida, foram coletadas amostras de 30 larvas para determinação do comprimento total e peso. No final do experimento (10º dia), as larvas que receberam artêmia + plâncton (T6) alcançaram os maiores valores de comprimento total (8,35 mm) e peso corporal (3518 µg), em relação a todas as outras dietas testadas. As larvas devem permanecer em laboratório por um período de 6 dias após a eclosão, recebendo alimento do terceiro ao sexto dia. A partir do sexto dia, as larvas estão com a vesícula gasosa completamente inflada e apresentam nado contínuo.
Abstract: The objective of this research was to evaluate the effect of natural and artificial diets on the development and behavior of pacu (Piaractus mesopotamicus) larvae, between the 2nd and 10th day post hatch. The larvaes were kept in 30L - plastic boxes (n = 30 boxes), in constant flow-through. The larvae density was 10 post-larvae/L (300 larvae/box). Six diets with 4 sampling days (4, 6, 8 and 10 days post-hatch, n = 30 larvae) using 5 repetitions were tested. The diets were: T1- commercial feed, T2- plancton, T3- artemia, T4- plancton + feed, T5- artemia + feed and T6- artemia + plancton. Larvaes were fed 6 times a day: 4, 8, 12, 16, 20 and 24 hours. The water temperature was kept constant at 27ºC, dissolved oxigen was kept between 6.16 ± 0.34 and pH between 7,16 ± 0,22. At the end of the experiment (10th day post-hatch), the larvaes that received diet containing artemia + plancton (T6) were longer (8.35 mm) and heavier (3518 µg body weight), compared to the larvae fed with the other tested diets. The larvae should be in the laboratory for 6 days after hatch, being feed from the 3rd day after hatch. Before the 6th day, the larvae have the gas bladder completely full and swim continuously.
Outras Identificações: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1413-70542004000100020
Idioma: pt
Aparece nas coleções: Ciência e Agrotecnologia

Arquivos neste Item:

Não há arquivos associados para este Item.

Itens protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, Salvo indicação em contrário.


Mostrar estatísticas

 


DSpace Software Copyright © 2002-2007 MIT and Hewlett-Packard - Feedback