Buscar

 

RI UFLA (Universidade Federal de Lavras) >
Revistas UFLA >
Ciência e Agrotecnologia >

Por favor, utilize esse identificador para citar este item ou usar como link: http://repositorio.ufla.br/jspui/handle/1/6021

Título: Caracterização da piscicultura na região do Vale do Ribeira - SP
Título Alternativo: Characterization of fish farming in the Ribeira Valley region - SP
Autor(es): Castellani, Daniela
Barrella, Walter
Assunto: Cultivo de peixes
Espécies cultivadas
Espécies introduzidas
Fish farming
Cultivated species
Introduced species
Publicador: Editora da Universidade Federal de Lavras
Publicação: 1-Fev-2005
Referência: CASTELLANI, D.; BARRELLA, W. Caracterização da piscicultura na região do Vale do Ribeira - SP. Ciência e Agrotecnologia, Lavras, v. 29, n. 1, p. 168-176, jan./fev. 2005.
Resumo: Este trabalho buscou caracterizar a piscicultura na Região do Vale do Ribeira quanto aos sistemas de manejo. Estudaram-se quarenta e duas pisciculturas sendo que, destas, 36 praticam o sistema semi-intensivo e seis o sistema intensivo, com os seguintes objetivos: engorda de peixes, produção de alevinos e pesque-pagues. Foram listadas 41 espécies de peixes cultivadas. Apenas 6 espécies são nativas da Bacia do Rio Ribeira de Iguape: lambari (Astyanax sp Linneaus, 1758), traíra (Hoplias malabaricus Bloch, 1794), robalo (Centropomus ssp Cuvier e Valenciennes, 1928), jundiá (Rhamdia quelen Quoy e Gaimard, 1824), cascudo (Hypostomus sp Marschall, 1873) e cará (Geophagus brasiliensis Quoy e Gaimard, 1824). Em 95% das pisciculturas foram verificadas fugas de peixes exóticos e alóctones dos cultivos. A tilápia nilótica (Oreochromis niloticus Linneaus, 1758) foi a espécie mais freqüente em escapes, e também é a segunda mais cultivada pelos piscicultores, perdendo somente para o pacu (Piaractus mesopotamicus Halmberg, 1887). Foi possível verificar mediante o cálculo da conversão alimentar, que há um desperdício anual de cerca de 32% da ração utilizada nos cultivos pesquisados. A piscicultura encontra-se em plena expansão nesta região, e já representa a atividade agropecuária mais importante após a bananicultura.
Abstract: The aim of this work was to characterize the fish farming in the Ribeira de Iguape Basin, southern São Paulo State (Brazil), in relation to the management systems. Forty two farms were studied. A semi-intensive system is used by 36 farmers, while an intensive system is used only by 6 studied farmers. Their objectives were raising fish, juvenile fish production and sportive fishery. Forty one fish species were found to be cultivated, but only six were native species from Ribeira Valley: lambari (Astyanax sp Linneaus, 1758), traíra (Hoplias malabaricus Bloch, 1794), robalo (Centropomus ssp Cuvier and Valenciennes, 1928), jundiá (Rhamdia quelen Quoy and Gaimard, 1824), cascudo (Hypostomus sp Marschall, 1873) and cará (Geophagus brasiliensis Quoy and Gaimard, 1824). Fish escapes were observed in 95% of farms studied, with Nile tilapia (Oreocrhomis niloticus Linneaus, 1758) being the most frequent. The pacu (Piaractus mesopotamicus Halmberg, 1887) and Nile tilapia were the most cultivated species. According to estimation of food conversion, around 32% of food supplied was wasted yearly. The fish farming is an activity in expansion in the Ribeira Valley and account for the second regional economic activity after banana cultivation.
Outras Identificações: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1413-70542005000100021
Idioma: pt
Aparece nas coleções: Ciência e Agrotecnologia

Arquivos neste Item:

Não há arquivos associados para este Item.

Itens protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, Salvo indicação em contrário.


Mostrar estatísticas

 


DSpace Software Copyright © 2002-2007 MIT and Hewlett-Packard - Feedback