Buscar

 

RI UFLA (Universidade Federal de Lavras) >
DMV - Departamento de Medicina Veterinária >
DMV - Programa de Pós-graduação >
DMV - Ciências Veterinárias - Mestrado (Dissertações) >

Por favor, utilize esse identificador para citar este item ou usar como link: http://repositorio.ufla.br/jspui/handle/1/651

Título: Ambiente térmico em confinamentos de gado leiteiro no Brasil
Autor(es): Neri, Jardel
Orientador: Pereira, Marcos Neves
Coorientador(es): Pereira, Renata Apocalypse Nogueira
Membro da banca: Salvador, Sandro César
Andrade, Gustavo Augusto de
Área de concentração: Ciências Veterinárias
Assunto: Estresse térmico
Índice de temperatura e umidade
Bovino de leite - Confinamento (Animais)
Dairy catlle
Confinamento (Animais) - Temperatura
Bovino de leite - Temperatura corporal
Data de Defesa: 31-Jul-2012
Data de publicação: 2013
Agência de Fomento: Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Minas Gerais - FAPEMIG
Referência: NERI, J. Ambiente térmico em confinamentos de gado leiteiro no Brasil. 2012. 77 p. Dissertação (Mestrado em Ciências Veterinárias) - Universidade Federal de Lavras, Lavras, 2012.
Resumo: O estresse térmico pode afetar negativamente a produtividade e longevidade de vacas leiteiras. O objetivo deste experimento foi avaliar a temperatura corporal de vacas e novilhas holandês, e o ambiente em estábulos leiteiros adotando equipamentos para controle ambiental no Brasil. A temperatura e umidade do ar dos estábulos foi mensurada a intervalos de 30 min por data loggers (EasyLog®) em: Verão 1 (18/01/11 a 23/03/11), Inverno (25/06/11 a 27/08/11), e Verão 2 (18/01/12 a 16/02/12). No Verão 1, os dados foram coletados no tie stall de vacas em lactação e no free stall de novilhas da Fazenda São Francisco, em Ijaci, MG. No Inverno, os dados foram do tie stall da mesma fazenda. No Verão 2, os dados foram do tie stall da Fazenda São Francisco, de dois free stall de vacas em lactação da Fazenda Agrindus, em Descalvado, SP e de dois free stall de vacas em lactação da Fazenda Frankana, em Carambeí, PR. No Verão 1, foi avaliada a temperatura vaginal de 24 vacas em lactação (24,9±7,1 kg de leite/d) no tie stall e de 18 novilhas (475±55 kg) no free stall da Fazenda São Francisco por sensores intravaginais (i-button®). No Inverno, foi mensurada a temperatura vaginal de 28 vacas (30,5±0,3 kg de leite/d). Houve perfil cúbico de variação circadiana na temperatura, umidade e Índice de Temperatura e Umidade (THI) dos estábulos. No período da tarde, de máxima temperatura e THI, ocorreu menores valores de umidade. Os valores máximos de THI foram observados entre 15:27h e 16:00h. Na Fazenda São Francisco, a ocorrência de THI acima de 68 foi ao redor de 80% do tempo no verão, e ao redor de 30% do tempo no inverno. No Verão 2, os estábulos tiveram THI maior que 68 por 66 a 78% do tempo. O coeficiente de correlação linear entre a média diária de temperatura do ar e o THI foi sempre positivo e maior que 0,97. Dias de THI baixo tiveram alta umidade, induzido pela ocorrência de chuvas. O relacionamento entre THI e umidade também foi negativo ao longo do dia. No Verão 2, o THI 68 foi observado quando a temperatura do ar estava entre 20,0 e 20,6 oC, de ocorrência entre 04:56h e 08:30h. No Inverno da Fazenda São Francisco, o THI 68 foi observado quando a temperatura do ar foi 22 oC, às 12:37h. As temperaturas vaginais tiveram variação ao longo do dia semelhante à variação na temperatura do estábulo, o valor máximo foi observado ao redor das 18:00h. As novilhas abrigadas em free stall sem ventiladores e aspersores tiveram maior temperatura vaginal que as vacas em lactação. Temperaturas vaginais ao redor de 39 oC foram observadas em vacas e novilhas no Verão 1, mas isto não foi observado nas vacas no Inverno. A temperatura superficial das vacas, mensurada com uma câmera termográfica, não teve alta correlação com a temperatura vaginal. A ocorrência de THI acima de 68 sugere que houve propensão a estresse calórico em todos os estábulos.
Heat stress may negatively affect productivity and longevity of dairy cows. The objective of this experiment was to evaluate the body temperature of Holstein cows and heifers, and the environment of dairy barns adopting equipment for environmental control in Brazil. The air temperature and humidity of the barns were recorded at 30 min intervals with data loggers (EasyLog®) in: Summer 1 (01/18/11 to 03/23/11), Winter (06/25/11 to 08/27/11), and Summer 2 (01/18/12 to 02/16/12). In Summer 1, data was collected from the lactating cow tie stall, from the heifer free stall of the São Francisco Farm, in Ijaci, MG. In Winter, data was from the tie stall of the same farm. In Summer 2, data was from the tie stall of the São Francisco Farm, from two lactating cow free stalls of the Agrindus Farm, in Descalvado, SP, and from two lactating cow free stalls of the Frankana Farm, in Carambeí, PR. In Summer 1, the vaginal temperature was evaluated in 24 lactating cows (24.9±7.1 kg of milk/d) in the tie stall and in 18 heifers (475±55 kg) in the free stall of the São Francisco Farm with intra-vaginal sensors (i-button®). In Winter, the vaginal temperature was measured in 28 cows (30.5±0.3 kg of milk/d). There was a cubic circadian variation in temperature, humidity and THI of the barns. In the afternoon, of maximum temperature and THI, occurred the lowest humidity values. Maximum THI values were observed between 15:27h and 16:00h. In the São Francisco Farm, the occurrence of THI above 68 was around 80% of the time in summer, and around 30% of the time in winter. In Summer 2, the barns had THI above 68 for 66 to 78% of the time. The linear correlation coefficient between the mean daily air temperature and THI was always positive and greater than 0.97. Days of low THI had high humidity, induced by the occurrence of rain. The relationship between THI and humidity was also negative along the hours of the day. In Summer 2, a THI 68 was observed when air temperature was between 20.0 and 20.6 oC, of occurrence between 04:56h and 08:30h. In winter of the São Francisco Farm, a THI 68 was observed when air temperature was 22 oC, at 12:37h. Vaginal temperatures had variation along the day similar to the variation in barn temperature, the maximum value was observed around 18:00h. The heifers housed in the free stall without fans and sprinklers had greater vaginal temperature than the lactating cows. Vaginal temperatures around 39 oC were observed in cows and heifers in Summer 1, but it was not observed in cows in Winter. The surface temperature of the cows, measured with a thermographic camera, did not have a high correlation with the vaginal temperature. The occurrence of THI above 68 suggests a propensity for heat stress in all barns.
Informações adicionais: Dissertação apresentada à Universidade Federal de Lavras, como parte das exigências do Programa de Pós-Graduação em Ciências Veterinárias, área de concentração em Ciências Veterinárias, para a obtenção do título de Mestre.
URI: http://repositorio.ufla.br/jspui/handle/1/651
Publicador: UNIVERSIDADE FEDERAL DE LAVRAS
Idioma: pt_BR
Aparece nas coleções: DMV - Ciências Veterinárias - Mestrado (Dissertações)

Arquivos neste Item:

Arquivo Descrição TamanhoFormato
DISSERTAÇÃO_Ambiente térmico em confinamentos de gado leiteiro no Brasil.pdf1,19 MBAdobe PDFVer/abrir

Itens protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, Salvo indicação em contrário.


Mostrar estatísticas

 


DSpace Software Copyright © 2002-2007 MIT and Hewlett-Packard - Feedback