Use este identificador para citar ou linkar para este item: repositorio.ufla.br/jspui/handle/1/6554
Título: Germinação in vitro e ex vitro de Inga vera Willd. subsp. affinis (DC.) T.D. Penn.
Título(s) alternativo(s): Germination in vitro and ex vitro of Inga vera Willd. subsp. affinis (DC.) T.D. Penn.
Autor: Stein, Vanessa Cristina
Paiva, Renato
Soares, Fernanda Pereira
Nogueira, Rairys Cravo
Silva, Luciano Coutinho
Emrich, Eduardo
Palavras-chave: Espécies frutíferas
Substratos
GA3
Propagação de sementes
Fruity trees
Substrates
Seed propagation
Publicador: Editora da Universidade Federal de Lavras
Data: 1-Dez-2007
Referência: STEIN, V. C. et al. Germinação in vitro e ex vitro de Inga vera Willd. subsp. affinis (DC.) T.D. Penn. Ciência e Agrotecnologia, Lavras, v. 31, n. 6, p. 1702-1708, nov./dez. 2007.
Resumo: O Inga vera Will subsp. affinis (DC). T.D. Penn. é uma espécie frutífera nativa do Cerrado, importante na recuperação de matas ciliares degradadas. Entretanto, apresenta sua propagação dificultada pelo fato de suas sementes serem recalcitrantes, ou seja, não tolerarem a perda de água. O objetivo deste trabalho foi estudar aspectos da germinação ex vitro e in vitro de ingazeiro. Para tanto, foram avaliados os efeitos de diferentes substratos: areia, Plantmax® e Areia+ Plantmax®; diferentes concentrações de sais: WPM, WPM/2, MS e MS/2, e diferentes concentrações de GA3 (0, 5, 10, 17 e 20 µM) no meio de cultura. Observou-se que, na germinação ex vitro, o substrato Plantmax® proporcionou maior porcentagem de germinação (82%). Com relação à germinação in vitro, a maior percentagem de germinação foi obtida utilizando-se meio de cultura WPM/2 (96%). A adição de GA3 no meio de cultura não foi estatisticamente significativa, no entanto, a concentração de 20 µM de GA3 proporcionou um aumento na germinabilidade de sementes de ingazeiro.
Abstract: The Inga vera Will subsp. affinis (DC). T.D. Penn. is fruit native specie from cerrado, commonly for recovering devastated areas. However, its propagation is complicated due to the fact that the seeds are recalcitrant and does not support water loss. The objective of this work was to study Inga vera Willd. subsp. affinis (DC.) T.D. Penn. ex vitro and in vitro germination aspects. For this purpose, different substrates: sand, Plantmax® and sand+ Plantmax®; different salt concentrations: WPM, WPM/2, MS and MS/2, and different GA3 concentrations (0, 5, 10, 17 and 20 µM) were evaluated. The results showed that, in the ex vitro germination, the use of Plantmax® provided the highest germination percentage (82%). Regarding the in vitro germination, highest percentage was observed using WPM/2 (96%). The addition of GA3 was not statistically significant although the concentration of 20 µM promoted an increase in the germination of Inga vera seeds.
Outras Identificações : http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1413-70542007000600015
Idioma: pt
Aparece nas coleções:Ciência e Agrotecnologia

Arquivos associados a este item:
Não existem arquivos associados a este item.


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.