Buscar

 

RI UFLA (Universidade Federal de Lavras) >
Revistas UFLA >
Ciência e Agrotecnologia >

Por favor, utilize esse identificador para citar este item ou usar como link: http://repositorio.ufla.br/jspui/handle/1/6723

Título: Enraizamento de estacas lenhosas de pessegueiro e clones de umezeiros submetidos à aplicação de AIB
Título Alternativo: Rooting of peach and clones of japanese apricot cutting treated with IBA
Autor(es): Chagas, Edvan Alves
Pio, Rafael
Bettiol Neto, José Emílio
Sobierajski, Graciela da Rocha
Campo Dall´Orto, Fernando Antônio
Signorini, Guilherme
Assunto: Prunus mume
Propagação
Porta-enxerto
Propagation
Rootstock
Publicador: Editora da Universidade Federal de Lavras
Publicação: 1-Jun-2008
Referência: CHAGAS, E. A. et al. Enraizamento de estacas lenhosas de pessegueiro e clones de umezeiros submetidos à aplicação de AIB. Ciência e Agrotecnologia, Lavras, v. 32, n. 3, p. 986-991, maio/jun. 2008.
Resumo: A utilização do umezeiro ou damasqueiro-japonês (Prunus mume Sieb & Zucc.) como porta-enxerto de Prunus sp. vem despertando grande interesse em função de sua rusticidade, resistência a pragas e doenças, adaptação e, principalmente, por reduzir o porte de pessegueiros e nectarineiras. Visto que trabalhos prévios constataram baixo enraizamento de alguns clones de umezeiro e um estímulo a este processo em estacas herbáceas com uso de 2000 mg.L-1 de AIB, objetivou-se no presente trabalho estudar o enraizamento de estacas de pessegueiro e clones selecionados de umezeiros tratados com diferentes concentrações de ácido indolbutírico (AIB) na forma líquida. Estacas lenhosas do pessegueiro 'Okinawa' e dos clones de umezeiro Clone IAC-2, Clone IAC-X, Clone IAC-10 e Clone IAC-XIX, foram padronizadas com 25 cm de comprimento, ausentes de folhas e 5 cm de suas bases tratadas com AIB, nas concentrações 0, 1000, 2000, 3000 e 4000 mg.L-1, por cinco segundos. As estacas foram colocadas em leito de areia umedecido, coberto com sombrite 50% de luminosidade. As avaliações ocorreram após 90 dias após o estaqueamento, avaliou-se a porcentagem de estacas vivas, com calos, enraizadas, brotadas e o número médio de raízes por estacas. Concluiu-se que a concentração de 2000 mg.L-1 de AIB promoveu os melhores resultados para a porcentagem de estacas enraizadas, com calos e número médio de raízes por estacas. De uma forma geral, o Clone IAC-X demonstrou-se superior entre os demais no enraizamento de suas estacas.
Abstract: The use of the japanese apricot (Prunus mume Sieb & Zucc.) as rootstock of Prunus sp. has raised a great interest due to its rusticity, resistance to plagues and diseases, adaptation and mainly for reducing the peach and nectarines. Since previous works had evidenced low cut of rooting of some clones of japanese apricot and stimulation to this process in herbaceous of cut using 2000 mg.L-1 of AIB, the objective of the present work was to study the rooting clones of peach and japanese apricot cutting treated with different concentrations of indolbutyric acid (IBA). Woody cutting of the peach tree 'Okinawa' and clones of japanese apricot Clone IAC-2, Clone IAC-X, Clone IAC-10 and Clone IAC-XIX, were standardized with 25 cm of length, absent of leaves and treated with IBA (0, 1000, 2000, 3000 and 4000 mg.L-1) for five seconds. The cuttings were placed under nursery conditions with 50% of brightness. After 90 days, the alive cutting, rooting, callous and sprouted percentage, medium number of roots of cutting were evaluated. The concentration of 2000 mg.L-1 of IBA promoted the best results of rooting percentage, callous percentage and medium number of roots of cutting. In general, Clone IAC-X demonstrated better cutting of rooting among the other clone.
Outras Identificações: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1413-70542008000300043
Idioma: pt
Aparece nas coleções: Ciência e Agrotecnologia

Arquivos neste Item:

Não há arquivos associados para este Item.

Itens protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, Salvo indicação em contrário.


Mostrar estatísticas

 


DSpace Software Copyright © 2002-2007 MIT and Hewlett-Packard - Feedback