Buscar

 

RI UFLA (Universidade Federal de Lavras) >
Revistas UFLA >
Ciência e Agrotecnologia >

Por favor, utilize esse identificador para citar este item ou usar como link: http://repositorio.ufla.br/jspui/handle/1/6930

Título: Teste de porta-enxertos intergenéricos para marmeleiros em condições de viveiro
Título Alternativo: Tests of intergeneric rootstocks for quinces in nursery conditions
Autor(es): Pio, Rafael
Chagas, Edvan Alves
Barbosa, Wilson
Signorini, Guilherme
Del Aguila, Juan Saavedra
Assunto: Marmelo - Enxertia
Quince – Grafting
Pyrus calleryana
Pyrus betulifolia
Chaenomeles sinensis
Cydonia oblonga
Publicador: Editora da Universidade Federal de Lavras
Publicação: 1-Abr-2009
Referência: PIO, R. et al. Teste de porta-enxertos intergenéricos para marmeleiros em condições de viveiro. Ciência e Agrotecnologia, Lavras, v. 33, n. 2, p. 521-526, mar./abr. 2009.
Resumo: Os marmeleiros sempre foram propagados comercialmente mediante o enraizamento de estacas. Devido ao baixo vigor das mudas, principalmente nos primeiros anos após o plantio, alguns trabalhos foram desenvolvidos no Brasil a fim de viabilizar a utilização do marmeleiro 'Japonês' (Chaenomeles sinensis Koehne) como porta-enxerto para marmelos. Os resultados foram satisfatórios, mas frente à falta de outras opções de porta-enxertos mais vigorosos para marmeleiros e devido a observações em viveiro e a campo do alto vigor dos porta-enxertos para pereira 'Taiwan Nashi-C' (Pyrus calleryana Decne) e 'Taiwan Mamenashi' (Pyrus betulifolia Bunge), objetivou-se, neste trabalho, verificar o crescimento de cultivares de marmeleiros ('Provence', 'Mendoza Inta-37', 'Portugal', 'Smyrna' e 'Japonês') enxertados sobre esses porta-enxertos, na fase de viveiro. Os marmeleiros foram enxertados pelo método de garfagem em mudas dos porta-enxertos 'Japonês', 'Taiwan Nashi-C' e 'Taiwan Mamenashi', mantidas em sacos plásticos (capacidade de 3 L de substrato), no período hibernal. Foram utilizados garfos com três gemas, coletadas de plantas-matrizes do Instituto Agronômico (IAC). O experimento foi realizado em viveiro telado (50% de luminosidade), sendo avaliados o comprimento e diâmetro do enxerto aos 60, 90, 120 e 150 dias após a realização da enxertia e a porcentagem de garfos brotados na última avaliação. Os porta-enxertos orientais de pereira apresentaram bons resultados na fase de viveiro, com 'Taiwan Nashi-C' destacando-se como porta-enxerto para os marmeleiros 'Smyrna' e 'Mendoza Inta-37', 'Taiwan Mamenashi' para o marmeleiro 'Smyrna' e 'Japonês' para o mesmo.
Abstract: The quince tree has always been commercially propagated by cuttings. Due to the low vigor, mainly in the first years of the orchard, a series of works was developed in Brazil in order to enable the use of the Japanese quince tree (Chaenomeles sinensis Koehne) as a rootstock. The results were satisfactory but the lack of other options for more vigorous rootstocks for quince tree and the observations in the nursery and in the field of a higher vigor of the pear rootstocks 'Taiwan Nashi-C' (Pyrus calleryana Decne) and 'Taiwan Mamenashi' (Pyrus betulifolia Bunge), led us to verify the performance of quince cultivars grafted on 'Japonês', 'Taiwan Nashi-C', and 'Taiwan Mamenashi' rootstocks, in nursery conditions. The 'Provence', 'Mendoza Inta-37', 'Portugal', 'Smyrna', and 'Japonês' quinces were grafted using the cleft grafting method onto the 'Japonês', 'Taiwan Nashi-C', and 'Taiwan Mamenashi' seedlings and maintained in plastic bags (3 L capacity of substrate) in the dormant period. The scion sticks used had three buds each and were collected from mother plants at the Instituto Agronômico de Campinas (IAC). The experiment was accomplished at a nursery (50% light). The length and diameter of the grafts were measured at 60, 90, 120, and 150 days after the grafting and the percentage of sprouted grafts was evaluated after 150 days. The oriental rootstocks 'Taiwan Nashi-C' and 'Taiwan Mamenashi' presented good results at the nursery, with 'Taiwan Nashi-C' outstanding as rootstocks for 'Smyrna' and 'Mendoza Inta-37' quinces, whereas 'Taiwan Mamenashi' was the best rootstock for 'Smyrna' quince and 'Japonês' for 'Japonês' quince.
Outras Identificações: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1413-70542009000200025
Idioma: pt
Aparece nas coleções: Ciência e Agrotecnologia

Arquivos neste Item:

Não há arquivos associados para este Item.

Itens protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, Salvo indicação em contrário.


Mostrar estatísticas

 


DSpace Software Copyright © 2002-2007 MIT and Hewlett-Packard - Feedback