Buscar

 

RI UFLA (Universidade Federal de Lavras) >
Revistas UFLA >
Ciência e Agrotecnologia >

Por favor, utilize esse identificador para citar este item ou usar como link: http://repositorio.ufla.br/jspui/handle/1/7114

Título: Intensity of angular leaf spot and anthracnose on pods of common beans cultivated in three cropping systems
Título Alternativo: Intensidade da mancha-angular e da antracnose em vagens de feijão em três sistemas de cultivo
Autor(es): Vieira, Rogério Faria
Paula Júnior, Trazilbo José de
Teixeira, Hudson
Vieira, Clibas
Assunto: Phaeoisariopsis griseola
Colletotrichum lindemuthianum
Phaseolus vulgaris
Seed transmission
Transmissão por semente
Publicador: Editora da Universidade Federal de Lavras
Publicação: 1-Jan-2009
Referência: VIEIRA, R. F. et al. Intensity of angular leaf spot and anthracnose on pods of common beans cultivated in three cropping systems. Ciência e Agrotecnologia, Lavras, v. 33, p. 1931-1934, 2009. Edição especial.
Resumo: Com o objetivo de avaliar a intensidade da mancha-angular (MA) e da antracnose (ANT) em vagens, nove genótipos de feijão foram plantados em três sistemas de plantio: monocultivo (MC), monocultivo com tutoragem artificial (MCT) e consórcio com milho (CCM). No MC, o feijão foi semeado no espaçamento entre fileiras de 0,50 m. Para o MCT, utilizaram-se varas de bambu formando "Vs" invertidos com 1,8 m de altura, nos quais foi mantido o espaçamento entre fileiras de 0,65 m na base. No CCM, o feijão foi plantado simultaneamente ao milho e em suas fileiras. Esse cereal foi semeado no espaçamento de 1,0 m, com quatro plantas por metro. Cada sistema de cultivo foi um ensaio independente, todos instalados na mesma área. Os genótipos trepadores mais suscetíveis à MA apresentaram menos vagens doentes no CCM que no MC e MCT, mas os genótipos menos atacados pela MA, independentemente do tipo de crescimento, como também os outros genótipos suscetíveis de porte anão e semitrepador, foram infectados de forma semelhante nos três sistemas de plantio. A ANT nas vagens do cv. Pérola foi menos intensa no MCT que no MC, e menos intensa no CCM que no MCT. A transmissão da ANT pela semente foi de 11 %, 9,1 % e 4,4 % quando as sementes foram colhidas no MC, MCT e CCM, respectivamente.
Abstract: With the purpose to evaluate the intensity of angular leaf spot (ALS) and anthracnose (ANT) on pods, nine genotypes of common bean were planted in three cropping systems: monocrop (MC), monocrop grown on trellises (MCT), and intercrop with maize (ICM). In MC, beans were planted 0.5 m apart. Trelisses were set up with 1.8 m high bamboos and beans were sown 0.65 m apart. In ICM, beans were planted simultaneously with maize and in its rows. This cereal was sown 1.0 m apart with four plants per meter. Each cropping system was an independent trial installed close to each other. Climbing genotypes of beans most susceptible to ALS had less diseased pods in ICM than in both MC and MCT, but the less susceptible genotypes, regardless of their growth type, as well as the susceptible bush and semiclimbing genotypes, were similarly attacked by ALS in the three systems. ANT on pods of the susceptible bean cv. Pérola was less intense in MCT than in MC, and less intense in ICM than in MCT. ANT seed transmission was 11 %, 9.1 %, and 4.4 % when seeds come from MC, MCT, and ICM, respectively.
Outras Identificações: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1413-70542009000700040
Idioma: en
Aparece nas coleções: Ciência e Agrotecnologia

Arquivos neste Item:

Não há arquivos associados para este Item.

Itens protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, Salvo indicação em contrário.


Mostrar estatísticas

 


DSpace Software Copyright © 2002-2007 MIT and Hewlett-Packard - Feedback