Buscar

 

RI UFLA (Universidade Federal de Lavras) >
Revistas UFLA >
Ciência e Agrotecnologia >

Por favor, utilize esse identificador para citar este item ou usar como link: http://repositorio.ufla.br/jspui/handle/1/7222

Título: Qualidade fisiológica e armazenamento de sementes de algodão embebidas em solução de cloreto de mepiquat
Autor(es): Nagashima, Getúlio Takashi
Miglioranza, Édison
Marur, Celso Jamil
Yamaoka, Ruy Seiji
Barros, Alberto S.R.
Marchiotto, Fernanda
Assunto: Gossypium hirsutum L.
Regulador de crescimento
Tratamento de sementes
Persistência no efeito
Publicador: Editora da Universidade Federal de Lavras
Publicação: 1-Jun-2010
Referência: NAGASHIMA, Getúlio Takashi et al. Qualidade fisiológica e armazenamento de sementes de algodão embebidas em solução de cloreto de mepiquat. Ciência e Agrotecnologia, Lavras, v. 34, n. 3, p.681-687, maio 2010.
Resumo: Após tratamento de sementes, é comum a semeadura não ocorrer imediatamente. Eeste trabalho, objetivou-se determinar o efeito do armazenamento de sementes de algodão embebidas com regulador de crescimento Cloreto de Mepiquat (CM) na qualidade fisiológica e manutenção do seu efeito como fitorregulador. Sementes da cultivar IPR 120 foram embebidas em soluções com CM nas doses de 2,5; 5,0 e 10,0 g i.a. kg-1 de sementes por 12 horas e secas a sombra em local ventilado, e testemunha sem tratamento. A avaliação foi feita por meio dos testes de germinação após armazenamento de 0, 30, 60, 90 e 180 dias após o tratamento (DAT). Aos 60 DAT foi avaliado o comprimento de plântulas, em rolo de papel, e a altura da planta, da inserção do nó cotiledonar, da área foliar e a massa da matéria seca de folhas e caule avaliada depois de um período de 24 dias após a emergência das plântulas cultivadas em vasos. O delineamento experimental foi o inteiramente casualizado com vinte tratamentos e quatro repetições, em esquema fatorial (4 doses e 5 tempos de armazenamento), para avaliar o teste de germinação. As sementes embebidas em cloreto de mepiquat podem ser armazenadas por pelo menos 60 dias, sem redução na sua qualidade fisiológica e mantendo o efeito redutor no crescimento das plantas, apresentando crescimento menor, antes mesmo da emergência e persiste por, pelo menos, 180 dias após o tratamento.
Outras Identificações: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1413-70542010000300022
Idioma: pt
Aparece nas coleções: Ciência e Agrotecnologia

Arquivos neste Item:

Não há arquivos associados para este Item.

Itens protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, Salvo indicação em contrário.


Mostrar estatísticas

 


DSpace Software Copyright © 2002-2007 MIT and Hewlett-Packard - Feedback