Buscar

 

RI UFLA (Universidade Federal de Lavras) >
DFP - Departamento de Fitopatologia >
DFP - Programa de Pós-graduação >
DFP - Agronomia/Fitopatologia - Mestrado (Dissertações) >

Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.ufla.br/jspui/handle/1/723

Title: Sigatoka-amarela da bananeira em função da nutrição mineral em solução nutritiva e da distribuição espacial da fertilidade do solo
???metadata.dc.creator???: Freitas, Aurivan Soares de
???metadata.dc.contributor.advisor1???: Pozza, Edson Ampélio
???metadata.dc.contributor.referee1???: Rocha, Hermínio Souza
Abreu, Mário Sobral de
Pozza, Edson Ampélio
???metadata.dc.description.concentration???: Fitopatologia
Keywords: Banana
Nutriente
Geoestatística
Mycosphaerella musicola
Nutrient
Geoestatistic
???metadata.dc.date.submitted???: 28-Feb-2013
Issue Date: 2013
???metadata.dc.description.sponsorship???: Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico, CNPq
???metadata.dc.description.resumo???: Este trabalho foi realizado com o objetivo de avaliar a Sigatoka-amarela em mudas de bananeira, cultivadas em solução nutritiva e sobre omissão de nutrientes, bem como verificar o padrão espacial dessa doença no campo, correlacionando-o com a nutrição mineral por meio da geoestatística. Em solução nutritiva, a omissão de nutrientes causou sintomas visuais de deficiências nas mudas e resultou nas maiores áreas abaixo da curva de progresso do número de lesões da Sigatoka-amarela para os tratamentos sem K e S. Observou-se também que não foi possível avaliar a severidade da doença até 60 dias após a inoculação, em função da deficiência nas folhas inoculadas. No campo, com uso da geoestatística, foi observado que o gride principal apresentou moderado grau de dependência espacial com alcance de 193,71 m e o subgride apresentou agregação ou reboleira, com forte grau de dependência espacial, com alcance de 6,58 m, ajustou-se o modelo exponencial para ambos os grides. Nos mapas de krigagem ordinária, foi possível constatar a relação positiva entre a severidade da Sigatoka-amarela com os teores de fósforo, nitrogênio, potássio e cálcio e negativa com teores de magnésio, cobre e manganês
This work was performed aiming at evaluating yellow Sigatoka in banana seedlings grown in nutrient solution and on nutrient omission, as well as to determining the spatial pattern of disease in the field, correlating it with balanced nutrition using geostatistical analyst. In nutrient solution, the nutrients omission caused visual deficiency symptoms in seedlings and reached the highest areas under the number of lesions of yellow Sigatoka curve progress for treatments without K and S. However, it was not possible to assess yellow Sigatoka severity until 60 days after inoculation due the extreme deficiency symptoms in inoculated leaves. Using geostatistics in the field work we found that the main grid showed a moderate degree of spatial dependence with a range of 193.71 m and the subgrid showed a strong degree of spatial dependence with a range of 6.58 m. Besides, we adjusted the exponential model for both grids and through ordinary kriging maps, it was possible to found a positive relationship between yellow Sigatoka severity with levels of phosphorus, nitrogen, potassium, and calcium and negative relationship with levels of magnesium, copper and manganese
Description: Dissertação apresentada à Universidade Federal de Lavras, como parte das exigências do Programa de Pós-graduação em Agronomia/Fitopatologia, área de concentração em Fitopatologia, para a obtenção do título de Mestre.
URI: http://repositorio.ufla.br/jspui/handle/1/723
Publisher: UNIVERSIDADE FEDERAL DE LAVRAS
???metadata.dc.language???: pt_BR
Appears in Collections:DFP - Agronomia/Fitopatologia - Mestrado (Dissertações)

Files in This Item:

File Description SizeFormat
DISSERTACAO_Sigatoka-amarela da bananeira ....pdf631.77 kBAdobe PDFView/Open

Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.


View Statistics

 


DSpace Software Copyright © 2002-2010  Duraspace - Feedback