Buscar

 

RI UFLA (Universidade Federal de Lavras) >
Revistas UFLA >
Ciência e Agrotecnologia >

Por favor, utilize esse identificador para citar este item ou usar como link: http://repositorio.ufla.br/jspui/handle/1/7312

Título: Efeitos da quitosana no desenvolvimento in vitro de videiras cv. merlot e no crescimento micelial do fungo Elsinoe ampelina
Título Alternativo: Effects of the chitosan on the development of grapevines cv. Merlot and on the mycelial growth of the fungus Elsinoe ampelina
Autor(es): Maia, Aline José
Leite, Carla Daiane
Botelho, Renato Vasconcelos
Faria, Cacilda Márcia Duarte Rios
Uber, Suelen Cristina
Assunto: Uva
Vitis vinifera L.
Antracnose da videira
Agroecologia
Fitopatologia
Grape
Grapevine anthracnose
Agroecology
Phytopathology
Publicador: Editora da Universidade Federal de Lavras
Publicação: 1-Dez-2010
Referência: MAIA, A. J. et al. Efeitos da quitosana no desenvolvimento in vitro de videiras cv. merlot e no crescimento micelial do fungo Elsinoe ampelina. Ciência e Agrotecnologia, Lavras, v. 34, n. 6, p. 1425-1430, nov./dez. 2010.
Resumo: Objetivou-se, neste trabalho, avaliar o efeito da quitosana no desenvolvimento in vitro de plântulas de videira cv. Merlot e sua atividade antifúngica sobre Elsinoe ampelina. No primeiro experimento, explantes da cultivar Merlot foram transferidos para meio de cultura DSD1, acrescido das concentrações 0; 25; 50,100; 150 e 200 mg L-1 de quitosana. Após 90 dias de cultivo in vitro, as plântulas foram avaliadas quanto ao número de raízes e de folhas, porcentagem de enraizamento e brotação, comprimento de raízes e de parte aérea, massa fresca da planta. No segundo experimento, incorporou-se às concentrações 0, 60, 120, 180, 240 e 300 mg L-1 de quitosana ao meio BDA, onde inoculou-se o fungo. Posteriormente, avaliou-se o crescimento micelial aos 6 e 9 dias de incubação a 25º C no escuro. No primeiro experimento para as variáveis comprimento médio da parte aérea, massa fresca da planta inteira, porcentagem de enraizamento e porcentagem de estacas brotadas houve decréscimo linear em função das concentrações de quitosana. No segundo experimento, houve efeito linear negativo em função das concentrações crescentes de quitosana, sendo que a inibição do crescimento micelial foi de 81,7%, demonstrando o grande potencial do uso de quitosana no controle da antracnose da videira.
Abstract: The objective of this research was to evaluate the effects of the chitosan on the development in vitro plantlets of grapevines cv. Merlot and its antifungal action on Elsinoe ampelina. In the first trial, explants of the grapevine cv. Merlot were transferred to growing medium DSD1 plus concentrations of 0; 25; 50; 100; 150 and 200 mg L-1 of the product. After 90 days of in vitro cultivation the plantlets were evaluated for root and leaf number, root and shoot length and fresh mass of roots and shoots. In the second experiment, doses of 0; 60; 120; 180; 240 and 300 mg L-1 were incorporated to the BDA media, where the fungus was inoculated. The mycelial diameter was evaluated at 6 and 9 days after incubation at 25° C in the dark. In the first experiment, for the variables shoot length average, plant fresh mass, rooting percentage and sprouted cuttings there was a linear reduction in function of chitosan doses. In the second trial, there was a negative linear effect with mycelial growth inhibition, of 81.7%, showing great the potential of chitosan in the control of grapevine anthracnose.
Outras Identificações: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1413-70542010000600010
Idioma: pt
Aparece nas coleções: Ciência e Agrotecnologia

Arquivos neste Item:

Não há arquivos associados para este Item.

Itens protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, Salvo indicação em contrário.


Mostrar estatísticas

 


DSpace Software Copyright © 2002-2007 MIT and Hewlett-Packard - Feedback