Buscar

 

RI UFLA (Universidade Federal de Lavras) >
DEN - Departamento de Entomologia >
DEN - Programa de Pós-graduação >
DEN - Entomologia - Doutorado (Teses) >

Por favor, utilize esse identificador para citar este item ou usar como link: http://repositorio.ufla.br/jspui/handle/1/768

Título: Interação silício x Diatraea saccharalis (Fabricius, 1794) (Lepidoptera: Crambidae) x Cotesia flavipes (Cameron, 1891) (Hymenoptera: Braconidae) em cana-de-açúcar
Autor(es): Vilela, Michelle
Orientador: Moraes, Jair Campos
Membro da banca: Santa-Cecília, Lenira Viana Costa
Andrade, Luiz Antônio de Bastos
Silva, Rogério Antônio
Cividanes, Terezinha Monteiro dos Santos
Área de concentração: Entomologia Agrícola
Assunto: Broca-da-cana
Resistência induzida
Manejo integrado de pragas
Parasitoide
Insecta
Sugar cane borer
Induced resistance
Integrated pest-management
Sugar cane
Data de Defesa: 22-Fev-2013
Data de publicação: 2013
Referência: VILELA, M. Interação silício x Diatraea saccharalis (Fabricius, 1794) (Lepidoptera: Crambidae) x Cotesia flavipes (Cameron, 1891) (Hymenoptera: Braconidae) em cana-de-açúcar. 2013. 50 p. Tese (Doutorado em Agronomia/Entomologia) - Universidade Federal de Lavras, Lavras, 2013.
Resumo: Na cultura de cana-de-açúcar, o dano provocado pela lagarta Diatraea saccharalis (Fabricius, 1794) (Lepidoptera: Crambidae) é significativo devido à penetração de microrganismos nos orifícios de alimentação das lagartas nos colmos, ocasionando redução na produção de açúcar e de álcool. Dentre as táticas de manejo integrado de pragas (MIP), a indução de resistência da planta hospedeira é uma opção de controle, sendo o silício um fator que pode aumentar o grau de resistência ao ataque de insetos-praga. Neste estudo, avaliaram-se o efeito da aplicação de silício (Si) no desenvolvimento vegetativo das cultivares de cana-de-açúcar RB72454 (moderada resistência) e SP801842 (suscetível) sobre a infestação de D. saccharalis e sobre o parasitismo de Cotesia flavipes (Cameron, 1891) (Hymenoptera: Braconidae). O experimento foi conduzido em casa de vegetação, sendo os tratamentos: T1) SP801842 sem aplicação de silício; T2) SP801842 com aplicação de silício na dosagem correspondente a 4 t SiO2/ha; T3) RB72454 sem aplicação de silício e T4) RB72454 com aplicação de silício na dosagem correspondente a 4 t SiO2/ha. O silício foi aplicado em duas dosagens, sobre o solo, aos 120 e aos 125 dias após a brotação. Sessenta dias após a última aplicação, foram liberados 10 adultos de D. saccharalis por vaso, colocados em gaiola coberta com tecido tipo voil. Adotou-se o DIC, com 4 tratamentos e 10 repetições. Os dados foram submetidos à análise de variância e as médias comparadas pelo teste de Tukey (p ≤ 0,05). Observou-se que houve diferença significativa para massa fresca e seca de parte aérea e sistema radicular, teor de clorofila e silício, além do número de orifícios no colmo. Foi observada maior massa fresca de parte aérea para a cultivar suscetível tratada com silício e seca, para as duas cultivares com silício. Com relação à clorofila, as cultivares que receberam silício apresentaram os maiores teores. Já o teor de silício foi aumentado na cultivar suscetível, sendo significativamente igual ao da cultivar com moderada resistência. O maior número de orifícios foi encontrado na cultivar suscetível sem silício. O número de orifícios na cultivar suscetível com silício foi intermediário e semelhante ao da cultivar com moderada resistência. Em razão da baixa infestação da broca e do parasitoide, os resultados foram insuficientes para correlacionar o teor de silício com a praga e o parasitoide. Conclui-se que a aplicação de silício aumenta a massa seca de parte aérea, porém, reduz a massa seca de raiz de cana-de-açúcar; aumenta o teor de clorofila e de silício, porém, não altera o teor de lignina. Induz a resistência da cana-de-açúcar a D. saccharalis pela formação de uma barreira que reduz a penetração de lagartas no colmo e favorece o acúmulo de cristais que cobrem parcialmente os estômatos das folhas, além do espessamento da cutícula. Não foi possível avaliar o efeito do silício no parasitismo de C. flavipes.
The damage caused by the larvae (Diatraea saccharalis) (Fabricius, 1794) (Lepidoptera: Crambidae) in the sugar cane crop is significant, mainly due to microorganism penetrations into the feed holes of the caterpillar in the stalk causing decrease in sugar and alcohol production. Among the integrated pest management (IPM) tactics, induction of host plant resistance is a control option where the silicon is a factor which can increase the resistance degree against insect pests. This study aimed to evaluate the effect of silicon (Si) in vegetative development of the sugar cane varieties RB72454 (moderate resistance) as well as SP801842 (susceptible) on the infestation of D. saccharalis and on parasitism of Cotesia flavipes (Cameron, 1891) (Hymenoptera: Braconidae). The experiment was conducted in greenhouse, with the treatments: T1) SP801842 free of silicon; T2) SP801842 with silicon application (4 t SiO2/ha); T3) RB72454 free of silicon; and T4) RB72454 with silicon application (4 t SiO2/ha). The silicon was applied in two dosages on soil at 120 and 125 days after sprouting. Sixty days after last application 10 adults of D. saccharalis were released per pot and placed in cages covered with voile fabric. Experiments were arranged in a complete randomized design with 4 treatments and 10 replicates. Data were subjected to analysis of variance and means compared by Tukey’s multiple range test (p ≤ 0.05). A significant difference in shoot/root dry/fresh weight, chlorophyll and silicon contents, as well as the number of stem holes were observed. For treatments with silicon, susceptible variety showed higher shoot fresh weight while both varieties showed higher shoot dry weight. Regarding to chlorophyll content, cultivars that received silicon showed the highest levels. The silicon content was increased in the susceptible variety which was significantly equal for moderate resistance variety. The most number of holes was found in susceptible variety without silicon. The number of holes in the susceptible variety with silicon was intermediate and similar to the variety with moderate resistance. Due to the low infestation of borer and parasitoid, the results were insufficient to correlate with silicon content of the pest and parasitoid. We conclude that the application of silicon increases shoot dry mass, however, decreases root dry weight of sugar cane, increases chlorophyll and silicon contents, however, does not alter lignin content in varieties studied. Besides, it induces resistance in sugar cane to D. saccharalis by forming a barrier that reduces the penetration of larvae on young stems and favors the accumulation of crystals that partially cover the stomata of the plant leaves and a thicker cuticle. It was not possible to assess the effect of silicon on the parasitism of C. flavipes.
Informações adicionais: Tese apresentada à Universidade Federal de Lavras, como parte das exigências do Programa de Pós-graduação em Agronomia/Entomologia, área de concentração em Entomologia Agrícola, para a obtenção do título de Doutor.
URI: http://repositorio.ufla.br/jspui/handle/1/768
Publicador: UNIVERSIDADE FEDERAL DE LAVRAS
Idioma: pt_BR
Aparece nas coleções: DEN - Entomologia - Doutorado (Teses)

Arquivos neste Item:

Arquivo Descrição TamanhoFormato
TESE_Interação silício x Diatraea saccharalis (Fabricius, 1794) (Lepidoptera Crambidae) x Cotesia flavipes (Cameron, 1891) (Hymenoptera Braconidae) em cana.pdf1,4 MBAdobe PDFVer/abrir

Itens protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, Salvo indicação em contrário.


Mostrar estatísticas

 


DSpace Software Copyright © 2002-2007 MIT and Hewlett-Packard - Feedback