Buscar

 

RI UFLA (Universidade Federal de Lavras) >
DQI - Departamento de Química >
DQI - Programa de Pós-graduação >
DQI - Agroquímica - Mestrado (Dissertações) >

Por favor, utilize esse identificador para citar este item ou usar como link: http://repositorio.ufla.br/jspui/handle/1/813

Título: Comparação do perfil lipídico e da lipogênese hepática entre os peixes troglóbios Ancistrus cryptophthalmus e epígeos Ancistrus sp.
Autor(es): Bastos, Valquíria Aparecida Alves
Orientador: Pinto, Luciana de Matos Alves
Coorientador(es): Ferreira, Rodrigo Lopes
Membro da banca: Saczk, Adelir Aparecida
Granjeiro, Paulo Afonso
Área de concentração: Agroquímica
Assunto: Ácidos graxos
Enzima málica
Glicose-6-fosfato desidrogenase
Peixe cavernícola
Fatty acids
Malic enzyme
Glucose 6-phosphate dehydrogenase
Cavefish
Data de Defesa: 16-Fev-2012
Data de publicação: 2013
Agência de Fomento: Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico - CNPq
Referência: BASTOS, V. A. Comparação do perfil lipídico e da lipogênese hepática entre os peixes troglóbios Ancistrus cryptophthalmus e epígeos Ancistrus sp.. 2012. 95 p. Dissertação (Mestrado em Agroquímica) - Universidade Federal de Lavras, Lavras, 2012.
Resumo: O conjunto de características apresentadas pelos ambientes subterrâneos, além de provocar mudanças físicas nos organismos que vivem nesse meio, pode interferir no metabolismo desses animais. O presente teve como objetivo realizar uma comparação entre o perfil lipídico e lipogênese hepática de duas espécies de peixes: a espécie troglóbia Ancistrus cryptophthalmus e a epígea Ancistrus sp.. Foram coletados para este estudo 10 peixes troglóbios na caverna Lapa do Angélica, localizada no Parque Estadual do Terra Ronca no estado de Goiás, e 10 peixes não cavernícolas do mesmo gênero (Ancistrus sp.) na parte epígea do Rio Angélica. Os resultados obtidos para a caracterização do ambiente cavernícola, indicaram temperatura superior (25,2º C) a do ambiente epígeo (24,8º C) e menor disponibilidade de matéria orgânica (1,84 e 0,38g/cm2 respectivamente). Quanto aos teores de lipídios totais, verificou-se maior acúmulo nos peixes da espécie cavernícola (18,36 g/100g de tecido), que pode ser atribuído a adaptação desses peixes à ambientes com disponibilidade limitada de recursos alimentares. O perfil de ácidos graxos muscular também variou entre as duas espécies. Merecem destaque o ácido araquidônico, que foi identificado somente nos peixes de origem epígea e o ácido docosahexaenóico que predominou nos peixes cavernícolas. No perfil lipídico do Ancistrus cryptophthalmus foi verificada maior proporção de ácidos graxos saturados, seguidos dos monoinsaturados e poliinsaturados; já o Ancistrus sp. apresentou predominância de ácidos graxos monoinsaturados. Diferenças significativas também foram observadas na atividade das enzimas hepáticas, málica e glicose-6-fosfato desidrogenase. A atividade das duas enzimas foi maior nos animais epígeos. Esses resultados também podem ser relacionados com a disponibilidade de alimentos nos dois ambientes distintos. Observou-se ainda a existência de uma zona de ecótono localizada próxima a entrada da caverna Angélica, onde os peixes apresentam características intermediárias entre as espécies hipógea e epígea. Conclui-se, dessa forma, que as características próprias ao meio cavernícola influenciam de maneira significativa a composição muscular de ácidos graxos e a lipogênese nos peixes da espécie troglóbia Ancistrus cryptophthalmus
The set of characteristics presented by underground environments, besides causing physical changes in the organisms that live in that environment, can interfere in the metabolism of these animals. The present work had the aim of evaluating the influence of the underground environment on the lipid composition and hepatic lipogenesis of troglobitic fish Ancistrus cryptophthalmus. Ten troglobitic fish were collected in the cave Lapa do Angélica, located in Parque Estadual do Terra Ronca, and ten non-cave fish of the same gender (Ancistrus sp.) in the epigeal part of Rio Angélica. The results obtained for the characterization of the cave environment indicated a superior temperature (25.2ºC), compared to the epigeal environment (24.8ºC) and a lower availability of organic matter (1.84 e 0.38g/cm2 respectively). Regarding the total lipids content, there was greater accumulation in the cave fish (18.36 g/100g tissue), that can be attributed to the adaptation of the fish to environments with limited food resources. The muscle fatty acid profile also varied between the two species. It is worth mentioning the arachidonic acid, that was identified only in the epigeal fish, and the docosahexaenoic acid, that prevailed in the cave fish. In the lipid profile of Ancistrus cryptophthalmus there was a bigger proportion of saturated fatty acids, followed by monounsaturated and polyunsaturated ones; Ancistrus sp. showed a predominance of monounsaturated fatty acids. Significant differences were also observed in the hepatic enzymes activity, as well as in the malic enzyme and glucose-6-phosphate dehydrogenase. The activity of the two enzymes was greater in the epigeal animals. These results can be related to the availability of food in the distinct environments. It was also observed the existence of an ecotone zone, located next to the entrance of the cave Lapa do Angélica, where the fish present intermediate characteristics between the hypogeal and epigeal species. Thus, the conclusion is that the characteristics of the cave significantly influence the muscle composition of fatty acids and lipogenesis of troglobitic fish Ancistrus cryptophthalmus
Informações adicionais: Dissertação apresentada à Universidade Federal de Lavras, como parte das exigências do Programa de Pós-Graduação em Agroquímica, para a obtenção do título de Mestre
URI: http://repositorio.ufla.br/jspui/handle/1/813
Publicador: UNIVERSIDADE FEDERAL DE LAVRAS
Idioma: pt_BR
Aparece nas coleções: DQI - Agroquímica - Mestrado (Dissertações)

Arquivos neste Item:

Arquivo Descrição TamanhoFormato
DISSERTAÇÃO_ Comparação do perfil lipídico e da lipogênese hepática entre os peixes troglóbios Ancistrus cryptophthalmus e epígeos Ancistrus sp.pdf1,78 MBAdobe PDFVer/abrir

Itens protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, Salvo indicação em contrário.


Mostrar estatísticas

 


DSpace Software Copyright © 2002-2007 MIT and Hewlett-Packard - Feedback