Buscar

 

RI UFLA (Universidade Federal de Lavras) >
Revistas UFLA >
Organizações Rurais & Agroindustriais >

Por favor, utilize esse identificador para citar este item ou usar como link: http://repositorio.ufla.br/jspui/handle/1/8856

Título: Complexos agroindustriais, cooperativas e gestão
Autor(es): Alencar, Edgard
Grandi, Daniele Silva
Andrade, Débora Mesquita
Andrade, Márcia Pereira de
Assunto: Complexo agroindustrial
Cadeia produtiva
Cooperativa
Atores sociais
Articulação de interesse
Productive chain
Cooperative
Social actors
Interest articulation
Publicador: Organizações Rurais & Agroindustriais
Publicação: 1-Set-2001
Referência: ALENCAR, E. et al. Complexos agroindustriais, cooperativas e gestão. Organizações Rurais e Agroindustriais, Lavras, v. 3, n. 2, 2001.
Resumo: Discutem-se neste artigo as novas formas de articulação entre campo e cidade, estabelecidas com a consolidação dos complexos agroindustriais no Brasil, a partir do final da década de 1970. São destacados nessa discussão os seguintes tópicos: a) a crescente dependência que o setor agropecuário mantém como consumidor de bens e serviços produzidos no setor urbano; b) a transformação de parte substancial do produto agropecuário em matéria-prima para as agroindústrias; c) os traços oligopólicos e oligopsônicos que emergem nessas relações comerciais; d) a integração de capitais com a formação de grandes conglomerados: e) o processo de globalização. Dentro desse cenário, são identificados diferentes atores sociais e a capacidade que possuem para influenciar as decisões que se processam no interior dos complexos e nas relações que se estabelecem no âmbito do Estado, bem como a capacidade organizacional representada por ações coletivas, eficiência gerencial, profissionalização administrativa, “conhecimento sistêmico” e domínio tecnológico. A questão central deste estudo refere-se ao papel que as cooperativas agropecuárias e outras formas associativistas podem desempenhar como instrumento de negociação no interior e fora das cadeias produtivas, elevando o poder de negociação e o de reivindicação dos produtores. Para responder a esta questão, foram revisadas várias pesquisas conduzidas nas décadas de 1980 e 1990. Os estudos mais recentes detectam um esforço no sentido modernizar a gestão das cooperativas tornando-as mais competitivas, embora este esforço seja muitas vezes interrompido pelo processo sucessório de suas diretorias. Interferência de interesses políticos locais, identificada nos estudos conduzidos na década de 1980, foi também detectada nas pesquisas mais recentes e é considerada como um dos condicionantes do pouco dinamismo administrativo. As associações têm sido vistas como uma alternativa para os produtores familiares, no entanto, quando os negócios dessas associações crescem, surgem também os problemas gerenciais.
Abstract: This paper discusses the new articulation forms which were established between the agricultural and urban sectors due to the consolidation of the Brazilian agroindustrial complex in the end of the 1970’s. The following topics are highlighted in this discussion: a) the growing dependence that agriculture sector has on the urban sector as a consumer of goods and services; b) the transformation of a substantial part of agricultural output in raw material for urban industries; c) the oligopolistic and oligopsonic features of these commercial relationships; d) the integration of capitals and formation of great economic conglomerates; c) the ongoing globalization process. In such scenery, different social actors are identified as well as their differential capacity to influence the decision-making process inside the chains and in the ambit of the State. It also outlines the actors’ organizational capacity which is represented by collective actions, managerial efficiency, administrative professionalization, "systemic knowledge" and technological domain. The central question of this paper refers to the role that the agricultural cooperatives and other associativist forms can play as negotiation means inside and outside the productive chains, elevating farmers’ bargaining and claiming power. To answer this question several researches undertaken over the last two decades were examined. The most recent studies detect an effort to modernize cooperative management by turning them into more competitive organizations. However, this effort is sometimes interrupted by the process of manager’s succession. Interference of local political interests identified in the studies carried out in the 1980’s was also detected in the most recent researches and it is considered as one of the factors that limit the administrative dynamism of cooperatives. Although farmer associations are seen as an alternative means for family producers to adapt to the ongoing economic and social changes, the examined studies showed that as the business of those associations grow, managerial problems simultaneously rise.
Outras Identificações: http://revista.dae.ufla.br/index.php/ora/article/view/271
Idioma: por
Aparece nas coleções: Organizações Rurais & Agroindustriais

Arquivos neste Item:

Não há arquivos associados para este Item.

Itens protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, Salvo indicação em contrário.


Mostrar estatísticas

 


DSpace Software Copyright © 2002-2007 MIT and Hewlett-Packard - Feedback