Buscar

 

RI UFLA (Universidade Federal de Lavras) >
Revistas UFLA >
Organizações Rurais & Agroindustriais >

Por favor, utilize esse identificador para citar este item ou usar como link: http://repositorio.ufla.br/jspui/handle/1/8885

Título: Determinantes da erradicação da febre aftosa no Brasil
Título Alternativo: Determinants for foot and mouth disease eradication in Brazil
Autor(es): Müller, Carlos André da Silva
Mattos, Leonardo Bornacki de
Lima, João Eustáqui de
Assunto: Febre aftosa
Brasil
Análise discriminante
Pecuária
PNEFA
Foot and mouth disease
Brazil
Discriminant analysis
Livestock
Publicador: Organizações Rurais & Agroindustriais
Publicação: 11-Abr-2011
Referência: MÜLLER, C. A. da S.; MATTOS, L. B. de; LIMA, J. E. de. Determinantes da erradicação da febre aftosa no Brasil. Organizações Rurais e Agroindustriais, Lavras, v. 9, n. 1, p. 89-97, 2007.
Resumo: A febre aftosa é um problema para a pecuária brasileira desde o século XIX, pois afeta a produtividade e é alvo de barreiras sanitárias para as exportações. Em 1992, quando nenhum Estado era livre dessa doença foi lançado o Programa Nacional de Erradicação da Febre Aftosa (PNEFA), que colheu resultados positivos. Contudo, percebeu-se que alguns estados foram reconhecidos livres de febre aftosa enquanto outros não. Neste trabalho, objetivou-se identificar porque tal fenômeno ocorreu e, para tal, foi utilizada a análise discriminante. Pelos resultados verificou-se que a intenção privada em lidar com a doença é o que diferencia os estados livres dos não-livres, além da constatação da falta de investimento público. As condições climáticas restritivas das áreas não-livres indicam tal falta de interesse. Sugere-se atenção das autoridades responsáveis quanto ao estado de Alagoas que apresentou escore para ser declarado livre de febre aftosa.
Abstract: Foot and mouth disease (FMD) has been a problem for the Brazilian livestock since the XIX century. Once it affects the livestock productivity and has always been a problem for the country exports due to the imposition of sanitary barriers. In 1992, when no state was free from FMD, the National Program for Eradication of FMD (PNEFA) was implemented. Since then good results has been obtained with control and eradication of the disease in some states. However, in other states the problem still persists. It is important to determine why some states have faced difficulties in reaching the status of free from FMD while others not. This work aimed to identify the factors which discriminate the populations of states free from FMD from those not free. The results showed that the private efforts in controlling the disease are the most important variables for differentiating the states free from the non-free ones, together with the lack of public investment. The bad climatic conditions of most of the non-free states seem to contribute to the lack of interest to eradicate the disease. It is suggested attention of the authorities in relation to the state of Alagoas which has presented sufficient scores to be considered free from FMD.
Outras Identificações: http://revista.dae.ufla.br/index.php/ora/article/view/151
Idioma: por
Aparece nas coleções: Organizações Rurais & Agroindustriais

Arquivos neste Item:

Não há arquivos associados para este Item.

Itens protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, Salvo indicação em contrário.


Mostrar estatísticas

 


DSpace Software Copyright © 2002-2007 MIT and Hewlett-Packard - Feedback