Buscar

 

RI UFLA (Universidade Federal de Lavras) >
DAG - Departamento de Agricultura >
DAG - Programa de Pós-graduação >
DAG - Agronomia/Fitotecnia - Doutorado (Teses) >

Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.ufla.br/jspui/handle/1/9403

Title: Estresse salino in vitro e silício nas características fisiológicas de physalis
Other Titles: In vitro salt stress and silicon in physiological characteristics of physalis
???metadata.dc.creator???: Silva, Renata Alves Lara
???metadata.dc.contributor.advisor1???: Pasqual, Moacir
???metadata.dc.contributor.advisor-co???: Soares, Joyce Dória Rodrigues
???metadata.dc.contributor.referee1???: Pio, Leila Aparecida Salles
Madail, Rafael Hansen
Alvarenga, Ângelo Albérico
Oliveira, Cynthia de
???metadata.dc.description.concentration???: Produção Vegetal
Keywords: Salinidade
Cloreto de sódio
Ácido silícico
Elemento benéfico
Fisiologia
Salinity
Sodium chloride
Silicic acid
Beneficial element
Physiology
???metadata.dc.date.submitted???: 25-Feb-2015
Issue Date: 8-May-2015
???metadata.dc.description.sponsorship???: Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq)
Citation: SILVA, R. A. L. Estresse salino in vitro e silício nas características fisiológicas de physalis. 2015. 143 p. Tese (Doutorado em Agronomia/Fitotecnia)-Universidade Federal de Lavras, Lavras, 2015.
???metadata.dc.description.resumo???: O presente trabalho foi realizado com o objetivo de avaliar o efeito do estresse salino induzido por NaCl in vitro e da aplicação de silício (Si) como elemento atenuador do estresse sobre as características fisiológicas de physalis, bem como avaliar o efeito da aplicação de Si em physalis cultivada em casa de vegetação. Os trabalhos em condições in vitro iniciaram-se com um estudo preliminar da sensibilidade de physalis à salinidade e para isso dois tipos de explantes (segmentos nodais e plântulas oriundas de sementes) foram inoculados em meio MS com concentrações crescentes de NaCl (0; 0,5; 1,0; 1,5 e 2,0%). Após 30 dias, foram avaliados o crescimento e a expressão da esterase das plantas. Deu-se continuidade ao trabalho de estresse salino, porém com adição de Si ao meio de cultura. Para isso, apenas segmentos nodais foram inoculados em meio MS salino (0,5 e 1,0% de NaCl) com diferentes concentrações de ácido silícico (0; 0,5 e 1,0 g L-1). Crescimento, teor de pigmentos fotossintéticos, trocas gasosas, extravasamento de eletrólitos, anatomia foliar, expressão isoenzimática, teores de prolina e de CO2 e atividade biológica foram avaliados após 30 dias. No estudo preliminar, o número de gemas e o comprimento da parte aérea diminuíram e a enzima esterase teve maior expressão com o aumento da concentração de NaCl. Verificou-se que todas as variáveis de crescimento e os teores de pigmentos fotossintéticos, bem como fotossíntese e extravasamento de eletrólitos foram prejudicados com aumento do nível salino. O conteúdo de DNA não foi afetado por nenhum dos fatores. Verificou-se redução da densidade estomática e maior espessamento do limbo com aumento da concentração de NaCl. Todas as enzimas tenderam a aumentar sua expressão com o aumento da concentração de sal. Os teores de prolina e de CO2 aumentaram e a atividade biológica foliar foi maior com a elevação da concentração de sal. O Si mostrou-se significativamente eficaz apenas na mitigação dos danos aos pigmentos e às variáveis anatômicas, bem como nas enzimas superóxido dismutase, esterase e malato desidrogenase e na taxa respiratória. Para realização do estudo em casa de vegetação, realizou-se aplicação de ácido silícico (0,0; 1,0; 2,0; 3,0 e 4,0 g kg substrato-1) via drench e após 60 dias procedeu-se às avaliações de quantidade de Si foliar, estimativa do teor de clorofila via índice SPAD, trocas gasosas, teor de lignina e expressão da enzima polifenoloxidase. A aplicação de diferentes doses de Si não influenciou no teor de Si foliar, porém verificou-se maior teor do elemento nas folhas velhas. Como consequência, as características fisiológicas avaliadas não sofreram nenhum efeito. A physalis apresenta comportamento de planta não acumuladora de Si.
Abstract: This study aimed at evaluating the effect of salt stress NaCl-induced and silicon (Si) application as mitigating element of stress on the physiological characteristics of physalis. Furthermore, we also evaluated the effect of Si in physalis grown in greenhouse. Studies carried out on in vitro conditions began with a preliminary study about the sensitivity of physalis to salinity and thus, two types of explants were cultured on MS medium with increasing concentrations of NaCl (0, 0.5, 1.0, 1.5 and 2.0%). After 30 days, we evaluated growth and esterase expression of plants. We continued with salt stress studies, but with Si on culture medium. For this, nodal segments were innoculated in MS medium with salt (0.5 and 1.0% NaCl) with different Si concentrations (0, 0.5 and 1.0 g L-1). Growth, photosynthetic pigments content, gas exchange, electrolyte leakage, leaf anatomy, isozyme expression, proline content, CO2 content and biological activity were evaluated after 30 days. In the preliminary study, it was observed that the number of buds and shoot length decreased and esterase enzyme increased its expression with increasing NaCl concentration. All growth variables and the contents of photosynthetic pigments as well as photosynthesis and electrolyte leakage were impaired with increased salt level. The DNA content was not affected by any of the factors. There was a reduction in stomatal density and greater thickness of the leaf blade with increase of NaCl percentage. All enzymes tended to increase its expression with increasing salt concentration. The proline and CO2 levels increased and biological activity of the leaves was higher with increase in salt concentration. The Si was significantly effective only in mitigating the damage to pigments and anatomical variables, as well as in superoxide dismutase, esterase and malate dehydrogenase enzymes and respiratory rate (CO2 content). To conduct the study in the greenhouse, we carried out the application of Si (0.0, 1.0, 2.0, 3.0 and 4.0 g kg substrate-1) and after 60 days we evaluated the amount leaf Si, estimation of chlorophyll content via SPAD index, gas exchange, lignin content and expression of polyphenoloxidase. The results of greenhouse experiment showed that the application of different Si doses did not affect the leaf Si content, but there was a higher content of element in the old leaves. Consequently, the measured physiological characteristics suffered no effect. Physalis presents a Si non-accumulator species behavior.
URI: http://repositorio.ufla.br/jspui/handle/1/9403
Publisher: UNIVERSIDADE FEDERAL DE LAVRAS
???metadata.dc.language???: pt_BR
Appears in Collections:DAG - Agronomia/Fitotecnia - Doutorado (Teses)

Files in This Item:

File Description SizeFormat
TESE_Estresse salino in vitro e silício nas características fisiológicas de physalis.pdf2.31 MBAdobe PDFView/Open

Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.


View Statistics

 


DSpace Software Copyright © 2002-2010  Duraspace - Feedback