Buscar

 

RI UFLA (Universidade Federal de Lavras) >
DCF - Departamento de Ciências Florestais >
DCF - Programa de Pós-graduação >
DCF - Engenharia Florestal - Mestrado (Dissertações) >

Por favor, utilize esse identificador para citar este item ou usar como link: http://repositorio.ufla.br/jspui/handle/1/964

Título: Estrutura da paisagem em área de Mata Atlântica, na região de Ouro Preto - MG
Autor(es): Silva, Rossi Allan
Orientador: Pereira, José Aldo Alves
Coorientador(es): Borges, Luís Antônio Coimbra
Membro da banca: Castro, Gislene Carvalho de
Borges, Luis Antônio Coimbra
Carvalho, Luis Marcelo Tavares de
Área de concentração: Engenharia Florestal
Assunto: Área de preservação permanente
Corredor ecológico
Permanent protected areas
Ecological corridors
V-LATE - Vector-based Landscape Analysis Tools Extension
Data de Defesa: 24-Fev-2012
Data de publicação: 2013
Agência de Fomento: Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES)
Referência: SILVA, R. A. Estrutura da paisagem em área de Mata Atlântica, na região de Ouro Preto – MG. 2012. 145 p. Dissertação (Mestrado em Engenharia Florestal) - Universidade Federal de Lavras, Lavras, 2012.
Resumo: The objective of this study was to evaluate the state of conservation and the landscape connectivity in the area covering part of the cities of Ouro Preto, Mariana and Ouro Branco, MG, with centroid at coordinates 20º23´40,6´´S e 45º33´11,2´´W, corresponded to the areas of headwater of São Francisco river and Doce river watersheds, located at the upper course of Velhas river, Carmo river, Gualaxo do Sul river and Colônia stream. The region has Conservation Units (CUs) in different categories, next and in some cases juxtaposed located in the Atlantic Forest biome and contains the physiognomies of montane seasonal semideciduous tropical forests, field and rupestrian field. It was used images of the company RapidEye AG (Jun/2010) with 5 m of spatial resolution. From these, it was withdrawn a subset where the limits of CUs are, according to the corresponding watersheds. The classification of land use for purposes of applying the methodology contains the classes: “montane seasonal semideciduous tropical forest” (FESM), for fragments larger than 3 ha; "vegetation" for the remaining of the forest fragments; "grasslands"; "field with rocky outcrop" (CCAR); "water"; "urban area"; "Eucalyptus"; "pasture"; "exposed soil"; "mining " and "others ". It was proceeded an evaluation of the classification with visual interpretation insightfully whose edition had 317 photos (June/2011) georeferenced along the watersheds defined for the study. As indicators of landscape metrics it was used for the shape, proximity of the fragments and simulation of edge effects (50, 75 and 100 m). To evaluate the connectivity it was used edges higher (500 and 400 m) to define the points to be connected in the landscape, which were connected, at first by the classes FESM and "vegetation" and then by the classes "grasslands" and CCAR. It was also evaluated the Permanent Protected Areas (APPs) of waterways, marking them according to the minimum required by law (30 m each side). Finally a semi-structured questionnaire was applied to the main actors of the region to know the local culture. The results showed that the study area is well preserved, particularly inside the CUs where the big fragments are and it is a priority site for conservation. The metrics showed that the average distance between the fragments is tolerable. The application of edge effects initially increases the fragmentation and, subsequently reduces the size of individual vegetation spots, smoothing their complex shapes. Strong anthropic pressures are present outside the buffer zone (ZA) of the State Park of Itacolomi. The weak points are largely close to pastoral areas and mining. The local population has demand for wood for their traditional activities and the State Forest Uaimii (FEU) has no management plan regulated. The region has a network of forest connected by corridors which require a strategic plan. There are APPs areas covered by natural forests and especially forest over all the watersheds. It is indicated for the area of study an extension of the ZA until the watershed boundaries and the effectiveness of the management plan of the FEU
Objetivou-se com esta pesquisa avaliar o estado de conservação e a conectividade da paisagem na área que abrange parte dos municípios de Ouro Preto, Ouro Branco e Mariana, MG, com centroide nas coordenadas 20º23´40,6´´S e 45º33´11,2´´O, correspondendo às áreas das nascentes das bacias hidrográficas do rio São Francisco e rio Doce, situadas no alto do rio das Velhas, rio do Carmo, rio Gualaxo do Sul e ribeirão da Colônia. A região possui Unidades de Conservação (UCs) de categorias diferentes, próximas e em alguns casos justapostas, localizadas no Bioma Mata Atlântica e contêm as fisionomias de florestas estacionais semideciduais montanas, campo e campo rupestre. Utilizou-se imagens da empresa RapidEye AG (jun/2010) com 5 m de resolução espacial. Destas retirou-se um subset onde se encontram os limites das UCs, de acordo com as bacias correspondentes. A classificação do uso do solo para fins de aplicação da metodologia contem as classes: "floresta estacional semidecidual montana" (FESM), para os fragmentos maiores que 3 ha; "vegetação", para o restante dos fragmentos de florestas; “campos naturais”; “campo com afloramento rochoso” (CCAR); “água”; “área urbana”; “eucalipto”; “pastagem”; “solo exposto”; “mineração”; e “outros”. Procedeu-se com uma aferição da classificação com interpretação visual criteriosa, cuja edição contou com 317 fotografias (jun/2011) georreferenciadas ao longo das bacias definidas para o estudo. Como indicadores da paisagem foram utilizadas métricas para a forma, proximidade dos fragmentos e simulação de efeitos de borda (50, 75 e 100 m). Para avaliar a conectividade utilizaram-se bordas maiores (500 e 400 m) para definição dos pontos a serem conectados na paisagem, os quais foram ligados, num primeiro momento a partir das classes FESM e "vegetação" e depois pelas classes “campos naturais” e CCAR. Também se avaliou as Áreas de Preservação Permanentes (APPs) de cursos d’água, demarcando-as segundo o mínimo exigido por lei (30 m de cada lado). Para finalizar foi aplicado um questionário semiestruturado aos principais atores da região para conhecer a cultura local. Os resultados apontaram que a área de estudo encontra-se bem preservada, principalmente dentro das UCs, onde estão os grandes fragmentos e são locais com prioridade de conservação. As métricas mostraram que a distância média entre os fragmentos é tolerável. A aplicação de efeitos de borda aumenta inicialmente a fragmentação e, num segundo momento, reduz a dimensão individual das manchas de vegetação, suavizando as suas formas complexas. Fortes pressões antrópicas estão presentes fora da Zona de amortecimento (ZA) do Parque Estadual do Itacolomi. Os pontos vulneráveis encontram-se, em grande parte, próximos a áreas de pastoreio e mineração. A população local possui demanda por madeira para suas atividades tradicionais e a Floresta Estadual do Uaimií (FEU) não possui plano de manejo regulamentado. A região apresenta uma rede de florestas conectadas por corredores, os quais precisam de um planejamento estratégico. Existem APPs cobertas por áreas naturais e principalmente florestas, ao longo de todas as bacias. Indica-se para a área de estudos uma ampliação da ZA até os limites das bacias hidrográficas e a efetivação do plano de manejo da FEU
Informações adicionais: Dissertação apresentada à Universidade Federal de Lavras, como parte das exigências do Programa de Pós-Graduação em Engenharia Florestal, para obtenção do título de Mestre
URI: http://repositorio.ufla.br/jspui/handle/1/964
Publicador: UNIVERSIDADE FEDERAL DE LAVRAS
Idioma: pt_BR
Aparece nas coleções: DCF - Engenharia Florestal - Mestrado (Dissertações)

Arquivos neste Item:

Arquivo Descrição TamanhoFormato
DISSERTAÇÃO_Estrutura da paisagem em área de Mata Atlântica, na região de Ouro Preto - MG.pdf2,9 MBAdobe PDFVer/abrir

Itens protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, Salvo indicação em contrário.


Mostrar estatísticas

 


DSpace Software Copyright © 2002-2007 MIT and Hewlett-Packard - Feedback