Buscar

 

RI UFLA (Universidade Federal de Lavras) >
DBI - Departamento de Biologia >
DBI - Programa de Pós-graduação >
DBI - Botânica Aplicada - Mestrado (Dissertações) >

Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.ufla.br/jspui/handle/1/9679

Title: Aspectos morfológicos da flor e do desenvolvimento do Androceu de Oxypetalum Appendiculatum mart. (Apocynaceae, Asclepiadoideae)
???metadata.dc.creator???: Vital, Flávio Antônio Zagotta
???metadata.dc.contributor.advisor1???: Nakamura, Adriana Tiemi
???metadata.dc.contributor.referee1???: Coelho, Flávia de Freitas
Simão, Daniela Guimarães
Pietrobom, Rita de Cássia Violin
???metadata.dc.description.concentration???: Estrutura e Funcionamento das Plantas
Keywords: Clado MOOG
Ginostégio
Endotécio
Translador
Polínias
MOOG clade
Gynostegium
Endothecium
Translator
Pollinia
???metadata.dc.date.submitted???: 27-Feb-2015
Issue Date: 22-May-2015
???metadata.dc.description.sponsorship???: Fundação de Amparo a Pesquisa do Estado de Minas Gerais (FAPEMIG)
Citation: VITAL, F. A. Z. Aspectos morfológicos da flor e do desenvolvimento do Androceu de Oxypetalum Appendiculatum mart. (Apocynaceae, Asclepiadoideae). 2015. 66 p. Dissertação (Mestrado em Botânica Aplicada)-Universidade Federal de Lavras, Lavras, 2015.
???metadata.dc.description.resumo???: Apocynaceae é monofilética, sustentada por duas sinapomorfias, presença de látex e gineceu com os dois carpelos separados no ovário, porém unidos distalmente em uma cabeça estilar. Asclepiadoideae é a subfamília mais derivada de Apocynaceae, apresentando anteras reduzidas, com apenas dois esporângios, cada qual produzindo um polínia, composto por mônades e envolto por uma película derivada da cutinização das paredes internas do tapete. Polínios de estames adjacentes são conectados entre si por um translador, formando o polinário. Aproximadamente 80% das espécies neotropicais de Asclepiadoideae, pertencem ao clado MOOG (Asclepiadeae). Este clado é bem sustentado, porém suas relações internas ainda precisam ser resolvidas. Alguns estudos indicam que o androceu, embora pouco explorado, é importante para a taxonomia de Apocynaceae. Assim, este trabalho teve como objetivo analisar a morfologia floral de uma espécie de Asclepiadoideae, Oxypetalum appendiculatum,de modo a retratar o desenvolvimento do seu androceu, abrangendo aspectos anatômicos importantes do desenvolvimento das anteras. Investigamos, também, a microsporogênese e a microgametogênese, além da morfologia do polinário e do grão de pólen. Com isso, este trabalho fornece subsídios à sistemática de Apocynaceae e contribui para a compreensão do desenvolvimento de suas estruturas reprodutivas. A corola de O. appendiculatum é vinácea, a corona apresenta cinco lobos livres circundando as anteras e o ginostégio é pentagonal, terminando em um apêndice bífido. O estame apresenta filete subséssil e anteras com alas laterais esclerificadas. A antera é bilocular, composta por seis camadas parietais: epiderme, endotécio, dois estratos de camadas médias e tapete secretor bisseriado, cujo desenvolvimento é do tipo dicotiledôneo. O endotécio não é espessado, porém a antera, como um todo, apresenta espessamento do tecido parenquimático. O tapete é secretor e bisseriado, porém multiestratificado na porção dorsal da antera. A microesporogênese é sucessiva e as tétrades lineares. Os grãos de pólen são tricelulares e inaperturados, transferidos como mônades em polínias. O translador possui retináculo expandido lateralmente, o que lhe confere o “mecanismo de clip”, e a polínia é envolta por uma película hialina. A expansão alada do retináculo é importante para a caracterização da espécie. Para o gênero, o estame subséssil e a ausência do espessamento do endotécio parecem ser caracteres constantes. A antera bilocular, o tapete bisseriado, a microsporogênese sucessiva, as tétrades lineares e os grãos de pólen inaperturados são caracteres importantes no nível de subfamília. A ausência do espessamento do endotécio indica a posição derivada de O. appendiculatum no “Clado MOOG”. Os filetes subsésseis garantem a posição derivada da espécie em relação aos outros indivíduos de Oxypetalum.
Abstract: Apocynaceae is monophyletic, supported by two synapomorphies, with the presence of latex and gynoecium with two carpels separated in the ovary, but distally united in a stylar head. Asclepiadoideae is a subfamily derived from Apocynaceae, with reduced anthers and only two sporangia, each producing a pollinium, consisting of monads and surrounded by a film derived from the cutinization of the inner walls of the tapetum. Pollinia of adjacent stamens are connected together by a translator, forming the pollinarium. Approximately 80% of neotropical Asclepiadoideae species belong to the MOOG clade (Asclepiadeae). This clade is well supported; however, its internal relations have yet to be resolved. Some studies indicate that the androecium, though little explored, is important for the taxonomy of Apocynaceae. Therefore, the objective of this study was to analyze the floral morphology of an Asclepiadoideae species, Oxypetalum appendiculatum, in order to show the development of its androecium, covering important anatomical aspects of anther development. Microsporogenesis and microgametogenesis were also investigated, besides pollinarium morphology and pollen grain. Therefore, this study provides subsidies to the Apocynaceae systematics and contributes to the understanding of the development of its reproductive structures. The corolla of O. appendiculatum is vinaceous, the corona has five free lobes circling the anthers and the gynostegium is pentagonal, ending in a bifid appendage. The stamen presents a subsessile thread and the anthers have sclerified side wings. The anther is bilocular, with six parietal layers: epidermis, endothecium, two strata of middle layers and a biseriate secreting tapetum, whose development is dicotyledonous. The endothecium is not thickened; however, the anther, as a whole, presents a thickened parenchyma. The tapetum is secretory and biserial, but multistratified at the dorsal portion of the anther. Microsporogenesis is successive and tetrads are linear. Pollen grains are tricellular and inaperturate, transferred as monads in the pollinia. The translator has a retinaculum, which is laterally expanded, conferring it the “clip mechanism”, and the pollinium is surrounded by a hyaline film. The wing expansion in the retinaculum is important for the characterization of the species. For genus, the subsessile stamen and the absence of endothecium thickening seem to be constant characters. Bilocular anther, biseriate tapetum, successive microsporogenesis, linear tetrads and inaperturate pollen grains are important characteristics at the subfamily level. The absence of an endothecium thickening indicates the derivative position of O. appendiculatum in the “MOOG clade”. The subsessile threads guarantee the derived position of the species in relation to other Oxypetalum individuals.
URI: http://repositorio.ufla.br/jspui/handle/1/9679
Publisher: UNIVERSIDADE FEDERAL DE LAVRAS
???metadata.dc.language???: pt_BR
Appears in Collections:DBI - Botânica Aplicada - Mestrado (Dissertações)

Files in This Item:

File Description SizeFormat
DISSERTAÇÃO_Aspectos morfológicos da flor e do desenvolvimento do Androceu de Oxypetalum Appendiculatum mart. (Apocynaceae, Asclepiadoideae).pdf1.17 MBAdobe PDFView/Open

Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.


View Statistics

 


DSpace Software Copyright © 2002-2010  Duraspace - Feedback