Buscar

 

RI UFLA (Universidade Federal de Lavras) >
DFP - Departamento de Fitopatologia >
DFP - Programa de Pós-graduação >
DFP - Agronomia/Fitopatologia - Doutorado (Teses) >

Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.ufla.br/jspui/handle/1/971

Title: Toxidade de compostos orgânicos voláteis de Cymbopogon nardus, Piper nigrum, Brassica oleracea, Helianthus anuus e Bertholletia excelsa a Meloidogyne incognita
???metadata.dc.creator???: Silva, Julio Carlos Pereira
???metadata.dc.contributor.advisor1???: Campos, Vicente Paulo
???metadata.dc.contributor.referee1???: Salgado, Sonia Maria de Lima
Medeiros, Flávio Henrique Vasconcelos de
???metadata.dc.description.concentration???: Fitopatologia
Keywords: Controle biológico
Nematoide das galhas
Biological control
Root knot nematode
???metadata.dc.date.submitted???: 6-Sep-2012
Issue Date: 2013
???metadata.dc.description.sponsorship???: Conselho Nacional de desenvolvimento científico e tecnológico (CNPq)
Citation: SILVA, J. C. P. da. Toxicidade de compostos orgânicos voláteis de Cymbopogon nardus, Piper nigrum, Brassica oleracea, Helianthus annuus e Bertholletia excelsa a Meloidogyne incognita. 2012. 54 p. Dissertação (Mestrado em Fitopatologia) - Universidade Federal de Lavras, Lavras, 2012.
???metadata.dc.description.resumo???: As plantas emitem compostos orgânicos voláteis (COVs) com funções variadas na natureza, incluindo a toxicidade a fitopatógenos apesar de, ainda, pouco conhecida. Essa toxicidade a fitonematoides explica parte da ação de plantas e seus resíduos no controle desses patógenos. Para explicar esse modo de ação, algumas plantas foram selecionadas para se estudar o efeito de COVs emitidos por seus extratos aos juvenis de segundo estádio (J2) de Meloidogyne incognita empregando-se a técnica desenvolvida com tubo SUPELCO®. Os extratos vegetais foram colocados no interior do tubo ao lado de um microtubo aterrado até sua metade em areia esterilizada, que serve de suporte, e fechado. Após a formação da câmara de gás os J2 de M. incognita foram injetados no microtubo interno, por meio de uma seringa, perfurando a película de silicone interposta entre a tampa e o frasco para garantir vedação hermética. Outra técnica, a da placa bipartida, foi empregada na avaliação da toxicidade da água exposta aos COVs de plantas aos J2 de M. incognita. Os extratos de inflorescência de brócolis, folhas de pimenta-do-reino e de citronela, sementes de girassol e de castanha do Pará emitiram COVs que causaram 100% de imobilidade dos J2 com decréscimo, dessa atividade, quando os extratos de brócolis, pimenta e citronela foram preparados com adição de água. Os J2 de M. icognita imersos em água, que fora exposta aos COVs emitidos pelo brócolis, apresentaram 98% de imobilidade. Os extratos de sementes de girassol causaram alta mortalidade e redução da infectividade (número de galhas e ovos.g-1 de raiz) em tomateiros quando os J2 foram expostos aos seus COVs. Ocorreu, também, aumento na mortalidade e diminuição na infectividade em tomateiro, quando os J2 foram expostos a esses COVs entre 3 e 72 horas de exposição. Os COVs de plantas, avaliados por técnicas que só permitem seu contato com o nematoide pelo ar, causaram toxicidade mesmo em pequeno período de exposição dos J2
The plants emit volatile organic compounds (VOCs) with various functions in the nature including the toxicity to plant pathogenic microorganisms but, yet, almost unknown. This toxicity to plant parasitic nematodes explains part of plant action and their residues on the control of these pathogens. To explain this mode of action, some plants were studied for the effect of VOCs emitted by theirs extracts to second stage juvenile (J2) of Meloidogyne incognita using the technique developed with SUPELCO tubes. The plant extracts were placed in the tube on the side of a microtube half digged in sterilized sand, which served as a support, andclosedby twistingthe lid tightly. After gas chamber formation, the M. incognita J2suspension wereinjected into the internal microtube through a syringe perfurating the silicone cap placed between the lid and the flask to guarantee hermetical sealing. Other technique - the compartimental petri dish - was used to evaluate the water toxicity to M. incognita J2, previously exposed to plant VOCs. The extracts of broccolis inflorescence, leaves of black pepper and citronella and seeds of Brazilian nut and sunflower emitted VOCs which caused 100% J2 imobility, but the activity decreased when extracts of broccolis, black pepper and citronella were prepared with water addition. The M. incognita J2 imersed into sterilized water that was previously exposed to VOCs of broccolis, presented 98% immobility. The exposition of M. incognita J2 to VOCs emitted by sunflower seed extracts caused high mortality and reduction of tomato infectivity (number of galls and eggs.g-1 of roots). Also occurred increase in mortality and decrease the tomato infectivity when the J2s were exposed to these VOCs between 3 and 72 hours of J2 exposition. The plant VOCs evaluated by techniques that only permit their contact to the test nematodes by air caused toxicity even in short J2 exposition time
Description: Dissertação apresentada à Universidade Federal de Lavras, como parte das exigências do Programa de Pós-Graduação em Agronomia/Fitopatologia, área de concentração em Fitopatologia, para a obtenção do título de Mestre
URI: http://repositorio.ufla.br/jspui/handle/1/971
Publisher: UNIVERSIDADE FEDERAL DE LAVRAS
???metadata.dc.language???: pt_BR
Appears in Collections:DFP - Agronomia/Fitopatologia - Doutorado (Teses)

Files in This Item:

File Description SizeFormat
DISSERTAÇÃO_Toxicidade de compostos orgânicos voláteis de Cymbopogon nardus, Piper nigrum, Brassica oleracea, Helianthus annuus e Bertholletia excelsa a Meloidogyne incognita.pdf389.16 kBAdobe PDFView/Open

Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.


View Statistics

 


DSpace Software Copyright © 2002-2010  Duraspace - Feedback