Buscar

 

RI UFLA (Universidade Federal de Lavras) >
DEN - Departamento de Entomologia >
DEN - Programa de Pós-graduação >
DEN - Entomologia - Mestrado (Dissertações) >

Por favor, utilize esse identificador para citar este item ou usar como link: http://repositorio.ufla.br/jspui/handle/1/9815

Título: Toxicidade de Extratos Botânicos de Fabácea e Rubiácea para Spodoptera frugiperda (J. E. Smith, 1797) (Lepidoptera: Noctuidae)
Autor(es): Costa, Daniel de Carvalho Melo
Orientador: Carvalho, Geraldo Andrade
Membro da banca: Alves, Dejane Santos
Membro da banca: Santa Cecília, Lenira Viana Costa
Assunto: Lagarta-militar
Spodoptera frugiperda
Fall armyworm
Inseticida botânico
Botanic insecticide
Falsa-quina
Data de Defesa: 24-Fev-2015
Data de publicação: 25-Ago-2015
Agência de Fomento: Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Minas Gerais (FAPEMIG)
Referência: COSTA, D. de C. M. Toxicidade de extratos botânicos de Fabácea e Rubiácea para Spodoptera frugiperda (J. E. Smith, 1797) (Lepidoptera: Noctuidae). 2015. 73 p. Dissertação (Mestrado em Entomologia)-Universidade Federal de Lavras, Lavras, 2015.
Resumo: Diante dos problemas relacionados ao uso de pesticidas sintéticos tornase importante a descoberta de novos produtos, nesse sentido os metabólitos secundários de plantas apresentam-se bastante promissores. Dessa maneira, o objetivo deste trabalho foi avaliar os efeitos de extratos das folhas e cascas do caule das espécies Copaifera langsdorffii, Coussarea hydrangeifolia, Guettarda angelica e Rudgea viburnoides para lagartas de Spodoptera frugiperda em ensaios com e sem chance de escolha. Foi estimada a concentração letal mediana (CL50) de cada parte vegetal coletada. Assim, os extratos aquosos foram adicionados em dieta artificial nas concentrações de 1%, 2%, 4% e 6% (v/v) e oferecidos às lagartas de 1º instar. A mortalidade foi avaliada diariamente até a fase pupal. Para o segundo ensaio, os extratos aquosos dessas espécies vegetais foram adicionados à dieta artificial na concentração referente à CL50 e oferecidos a lagartas de 1º instar de S. frugiperda. Foram avaliados: a sobrevivência a cada 24 horas até o final do ciclo do inseto; após 10 dias do início do experimento foi avaliado o peso das lagartas, sendo realizadas pesagens das lagartas a cada 48 horas até o 16º dia; peso das fezes, quantificação de proteína nas fezes e consumo alimentar no 16º dia; a duração da fase larval, a duração e sobrevivência na fase pupal e o peso das pupas. Por ocasião da emergência dos adultos, casais foram individualizados, sendo avaliadas: a razão sexual, a longevidade, o nº de ovos por fêmeas, a viabilidade dos ovos do segundo dia de postura, os períodos de pré-oviposição e oviposição de cada casal. O consumo alimentar na fase larval foi reduzido pelos extratos aquosos das folhas de C. langsdorffii, C. hydrangeifolia, G. angelica e cascas de R. viburnoides, C. langsdorffii, C. hydrangeifolia e G. angelica. Todos os extratos aquosos reduziram o ganho de peso das lagartas ao longo do tempo. Os extratos aquosos das folhas das plantas selecionadas aumentaram a quantidade de proteína excretada nas fezes de S. frugiperda, exceto G. angelica. Para a fase adulta, apenas o extrato das cascas de G. angelica reduziu o período de oviposição, sendo que as demais características biológicas não foram alteradas. No ensaio com chance de escolha, os extratos aquosos das cascas de C. hydrangeifolia, R. viburnoides e folhas de C. hydrangeifolia e R. viburnoides mostraram atividade antialimentar. Diante desses resultados as plantas selecionadas para o trabalho apresentam potencial para o controle de S. frugiperda, sendo que os extratos das cascas e das folhas de C. hydrangeifolia foram mais tóxicos à lagarta-docartucho.
Abstract: It is important to find new products front of problems related to the use of synthetic pesticides, accordingly, the plant secondary metabolites are shown quite promising. Thus, in this study aimed to evaluate the effects of leaves extracts and stem bark from the species Copaifera langsdorffii, Coussarea hydrangeifolia, Guettarda angelica and Rudgea viburnoides for the caterpillars of Spodoptera frugiperda in assay with and without choice. It was estimated the median lethal concentration (LC50) of each collected plant parts. Thus, the aqueous extracts were added to artificial diet at concentrations 1%, 2%, 4% and 6% (v/v) and offered to the caterpillars 1 st instar. Mortality was assessed daily until the pupal stage. For the second assay, the aqueous extracts of these plants were added to the artificial diet at concentration on the LC50 and offered to the caterpillars 1 st instar of S. frugiperda. Survival every 24 hours until the end of insect cycle was evaluated. After 10 days from the trial begin it was evaluated caterpillars weight; every 48 hours until 16th day the caterpillars weigh; fecal weight, quantification of proteins in the feces and food intake on 16th day; larval stage, pupal stage and survival and pupae weight were carried out. At the adult’s emergence, couples were individualized and evaluated: the sex ratio, longevity, number of postures eggs, and egg viability of the second day of posture, periods of pre-oviposition and oviposition of each couple. Food intake in the larval stage was reduced by aqueous leaves extracts of C. langsdorffii, C. hydrangeifolia, G. angelica and bark of R. viburnoides, C. langsdorffii, C. hydrangeifolia and G. angelica. All aqueous extracts reduced caterpillars weight gain over time. Aqueous extracts from the leaves of selected plants have increased the protein amount excreted in the feces of S. frugiperda except G. angelica. To adult stage, only the barks extract of G. angelica reduced the oviposition period, whereas the other biological characteristics have not changed. In the essay with a free choice, the barks aqueous extract of C. hydrangeifolia, R. viburnoides and leaves of C. hydrangeifolia and R. viburnoides showed anti-feed activity. From these results the plants selected for the work have potential for control of S. frugiperda, and the barks extract and the leaves of C. hydrangeifolia were more toxic to fall armyworm.
URI: http://repositorio.ufla.br/jspui/handle/1/9815
Idioma: por
Aparece nas coleções: DEN - Entomologia - Mestrado (Dissertações)

Arquivos neste Item:

Arquivo Descrição TamanhoFormato
DISSERTACAO_Toxicidade de Extratos Botânicos de Fabácea e Rubiácea para.pdf792,94 kBAdobe PDFVer/abrir

Itens protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, Salvo indicação em contrário.


Mostrar estatísticas

 


DSpace Software Copyright © 2002-2007 MIT and Hewlett-Packard - Feedback