Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.ufla.br/jspui/handle/1/10593
Registro completo de metadados
Campo DCValorIdioma
dc.creatorPádua, Joelma Aparecida Rabelo de-
dc.date.accessioned2015-11-16T17:43:12Z-
dc.date.available2015-11-16T17:43:12Z-
dc.date.issued2015-11-16-
dc.date.submitted2015-07-29-
dc.identifier.citationPÁDUA, J. A. R. de. Diversidade e estrutura genética de populações naturais de Araucaria angustifolia (Araucariaceae) no estado de Minas Gerais. 2015. 127 p. Tese (Doutorado em Engenharia Florestal)-Universidade Federal de Lavras, Lavras, 2015.pt_BR
dc.identifier.urihttp://repositorio.ufla.br/jspui/handle/1/10593-
dc.description.abstractAraucaria angustifolia (Bert.) O. Ktze is an endemic gymnosperm from Brazil, which is widespread in Southern landscapes, and restricted in the Southeast. It is popularly known as Brazilian pine, with a peculiar architecture, beauty and size of adult trees; making forests with Araucaria a unique ecosystem. The Southern Minas Gerais is part of the north boundary of the distribution of this tree species in Brazil, and genetic information related to its population is important for conservation, because these areas may contain adaptive genes restricted to these locations; which should be preserved due to high destruction and fragmentation of these ecossystens. This tree specie is considered endangered on the Oficial List of IBAMA (Ministry of Environment, 2008), and it has been classified as vulnerable to extinction in Minas Gerais (COPAM 085/97). In this study, we aimed to quantify levels of diversity and genetic structure of remaining population of Araucaria angustifolia located in the Serra da Mantiqueira, Southern Minas Gerais, using microsatellite markers (SSR). Studies about genetic diversity and structure were performed on 450 individuals distributed in 9 different populations of A. angustifolia. Eight SSR primers were used to generate 65 alleles. The genetic data point out that the remaining areas retain a high genetic diversity so far (He = 0.77). The analysis of molecular variance indicated that the majority of genetic diversity, about 90%, occurs within populations. There was no significant correlation between genetic and geographic distances (r = 0.08939 p = 0.6749). The inbreeding was not detected (f = - 0.09). The Bayesian analysis indicated that the genetic diversity was distributed in two genetic groups (k = 2). The genetic bottleneck was identified in eight of sampled populations. Gene flow barriers were detected, probably due to presence of mountains. The genetic structuring was found in four of sampled populations. The high genetic diversity retained in populations indicates that still existing genetic variability of A. angustifolia in sampled areas, therefore, this variability will be maintained if there is planting or regeneration management.pt_BR
dc.description.sponsorshipCoordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES)pt_BR
dc.description.sponsorshipConselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq)pt_BR
dc.languageporpt_BR
dc.publisherUniversidade Federal de Lavraspt_BR
dc.rightsacesso abertopt_BR
dc.subjectSSRpt_BR
dc.subjectPinheiro do Paranápt_BR
dc.subjectConservação genéticapt_BR
dc.subjectSerra da Mantiqueirapt_BR
dc.subjectMarcadores molecularespt_BR
dc.subjectParana Pinept_BR
dc.subjectConservation geneticspt_BR
dc.subjectMantiqueira mountain rangept_BR
dc.subjectMolecular Markerspt_BR
dc.titleDiversidade e estrutura genética de populações naturais de Araucaria angustifolia (Araucariaceae) no estado de Minas Geraispt_BR
dc.typetesept_BR
dc.publisher.programPrograma de Pós-Graduação em Engenharia Florestalpt_BR
dc.publisher.initialsUFLApt_BR
dc.publisher.countrybrasilpt_BR
dc.contributor.advisor1Carvalho, Dulcinéia de-
dc.contributor.referee1Barbosa, Ana Carolina Maioli Campos-
dc.contributor.referee2Bittencourt, Juliana Vitória Messias-
dc.contributor.referee3Macedo, Luciano Medina-
dc.contributor.referee4Brandão, Murilo Malveira-
dc.contributor.referee5Borém, Rosângela Alves Tristão-
dc.description.resumoAraucaria angustifolia (Bert.) O. Ktze é uma gimnosperma endêmica do Brasil de ampla ocorrência nas paisagens da Região Sul e de ocorrência limitada na Região Sudeste. Popularmente conhecida como pinheiro brasileiro, possui uma arquitetura peculiar, beleza e tamanho dos adultos fazendo das matas com Araucaria um ecossistema único. A parte Sul de Minas Gerais é parte do limite Norte de distribuição da espécie e informações genéticas de suas populações são importantes para a sua conservação, pois essas áreas podem conter genes adaptativos restritos a estes locais e que devem ser conservados em face da elevada destruição e fragmentação destas áreas. A espécie é considerada como ameaçada de extinção na Lista Oficial do IBAMA (Ministério do Meio Ambiente, 2008) e, em Minas Gerais foi classificada como vulnerável a extinção (COPAM 085/97). Este estudo teve o objetivo de quantificar os níveis de diversidade e a estrutura genética em populações remanescentes de Araucaria angustifolia localizadas na Serra da Mantiqueira, Sul do estado de Minas Gerais utilizando marcadores microssatélites (SSR). Os estudos da diversidade genética e estrutura genética foram realizados em 450 indivíduos distribuídos em nove populações de A. angustifolia. Oito primers SSR foram utilizados gerando um total de 65 alelos. Os dados genéticos apontam que as áreas remanescentes ainda retêm uma alta diversidade genética (He = 0,77). A AMOVA indicou que a maioria da diversidade genética (90%) ocorre dentro das populações. Não houve correlação significativa entre distância genética e geográfica (r= 0,08939 p = 0,6749). Não foi detectada endogamia (f =- 0,09). A análise Bayesiana indicou que a diversidade genética foi distribuída em dois grupos genéticos (k = 2). Foi identificado gargalo genético em oito das populações amostradas. Barreiras de fluxo gênico foram detectadas, provavelmente, resultante do relevo acidentado da região. Observou-se estruturação genética em quatro das populações amostradas. A alta diversidade genética retida nas populações indica que ainda existe variabilidade genética na A. angustifolia nas áreas amostradas, entretanto, essa variabilidade será mantida se houver plantios ou condução da regeneração.pt_BR
dc.publisher.departmentDepartamento de Ciências Florestaispt_BR
dc.subject.cnpqGenética e Melhoramento Florestalpt_BR
Aparece nas coleções:DCF - Engenharia Florestal - Doutorado (Teses)



Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.