Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.ufla.br/jspui/handle/1/11410
Full metadata record
DC FieldValueLanguage
dc.creatorGarcia, André Spuri-
dc.date.accessioned2016-07-21T17:48:41Z-
dc.date.available2016-07-21T17:48:41Z-
dc.date.issued2016-07-21-
dc.date.submitted2016-04-04-
dc.identifier.citationGARCIA, A. S. Esferas públicas como uma categoria fundante da gestão social. 2016. 274 p. Dissertação (Mestrado em Administração)-Universidade Federal de Lavras, Lavras, 2016.pt_BR
dc.identifier.urihttp://repositorio.ufla.br/jspui/handle/1/11410-
dc.description.abstractOnce the diagnosis of the importance of the public sphere category to the field of social management and its 'ownership' are still limited, we present in this paper, a reconstruction of the concept through extensive literature accompanying discussions on it the habermasian scope. Therefore, we seek to understand the changes, criticism and reformulations of the public sphere category in the works of Habermas (1962, 1981, 1992). In this process, we reveal that the public sphere has changed and that the most current concepts cover various topics and a plurality of public and conflictive dimensions - through various criticisms and modifications have been expanded analytical potential, descriptive and critical of the public sphere for a variety of companies in different historical times. Before that, a comprehensive literature review was developed on the field of social management with emphasis on the various concepts, origins, its importance, the various approaches and the debates and criticisms about the concepts. In the relationship between social management and public sphere, we highlight limitations when it comes to there are few discussions with critics of Habermas' concept and on subaltern public spheres, counter-hegemonic and not problematize its plurality; there is also focus only on work Structural Transformation of the Public Sphere, in which the author made his first and most contested systematize; the studies do not discuss even the reformulation of the public sphere concept and there is little consideration about the socio-cultural, economic and brazilian politics.. Finally, we reconstruct the public sphere as an empirical-descriptive and normative category of social management. We argue that if we consider the public sphere (public spheres) as a locus of social management (normative and empirical), it is important to address the specifics of the brazilian context to strengthen their own social management. In this sense, the reconstructions undertaken here do not treat Brazil as 'delayed' democratically and has not yet reached modernity and therefore cannot appropriate the ideal habermasian. On the contrary, the search capabilities of Habermas to 'think Brazil' and forms of management. Thus, we seek to argue that the reconstruction shows the descriptive, normative and critical potential of the public sphere idea, especially if the expanded and explored its development from Habermas, its reviewers and critics - opening avenues for the theoretical, practical and methodological development of social management, from which can tighten the management practices and their potential emancipatory and pathological-enforcement (in its various configurations).pt_BR
dc.description.sponsorshipFundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Minas Gerais (FAPEMIG)pt_BR
dc.languageporpt_BR
dc.publisherUniversidade Federal de Lavraspt_BR
dc.rightsacesso abertopt_BR
dc.subjectGestão socialpt_BR
dc.subjectEsfera públicapt_BR
dc.subjectSocial managementpt_BR
dc.subjectPublic spherept_BR
dc.titleEsferas públicas como uma categoria fundante da gestão socialpt_BR
dc.title.alternativePublic spheres as a founding category of social managementpt_BR
dc.typedissertaçãopt_BR
dc.publisher.programPrograma de Pós-Graduação em Administraçãopt_BR
dc.publisher.initialsUFLApt_BR
dc.publisher.countrybrasilpt_BR
dc.contributor.advisor1Pereira, José Roberto-
dc.contributor.referee1Cançado, Airton Cardoso-
dc.contributor.referee2Vilas Boas, Ana Alice-
dc.contributor.referee3Joaquim, Nathalia-
dc.description.resumoDiante do diagnóstico da importância da categoria esfera pública para o campo da gestão social e da sua ‘apropriação’ ser ainda limitada, apresentamos, neste texto, uma reconstrução do conceito mediante ampla literatura que acompanha as discussões sobre ela dentro do escopo habermasiano. Para tanto, buscamos compreender as transformações, críticas e reformulações da categoria esfera pública nas obras de Habermas (1962, 1981, 1992). Nesse processo, revelamos que a esfera pública passou por transformações e que as concepções mais atuais abrangem diversos temas e uma pluralidade de públicos, bem como dimensões conflitivas – por meio das diversas críticas e modificações foram ampliados os potenciais analíticos, descritivos e críticos da esfera pública para uma diversidade de sociedades em diferentes tempos históricos. Antes disso, foi desenvolvida uma ampla revisão teórica sobre o campo da gestão social com destaque para os diversos conceitos, as origens, sua importância, as várias abordagens e os debates e críticas acerca dos conceitos. Na relação entre gestão social e esfera pública, destacamos limitações no que tange a existirem poucos debates com os críticos do conceito habermasiano e sobre esferas públicas subalternas, contra-hegemônicas e não se problematiza sua pluralidade; existe também foco apenas na obra Mudança Estrutural da Esfera Pública, na qual o autor fez sua primeira e mais contestada sistematização; os estudos não discutem nem mesmo a reformulação do conceito de esfera pública e ainda existe pouca consideração sobre a formação sociocultural, econômica e política brasileira. Por fim, reconstruímos as esferas públicas como uma categoria empírico-descritiva e normativa da gestão social. Argumentamos que se considerarmos a esfera pública (esferas públicas) como locus da gestão social (normativo e empírico), é importante tratar das especificidades do contexto brasileiro para o fortalecimento da própria gestão social. Nesse sentido, as reconstruções aqui empreendidas não tratam o Brasil como país ‘atrasado’ democraticamente e que ainda não atingiu a modernidade e, portanto, não pode se apropriar dos ideais habermasianos. Pelo contrário, busca as potencialidades de Habermas para ‘pensar o Brasil’ e as formas de gestão. Assim, buscamos argumentar que a reconstrução demonstra o potencial descritivo, normativo e crítico da ideia de esfera pública, especialmente se o pluralizamos e exploramos seu desenvolvimento a partir de Habermas, de seus comentadores e críticos – abrindo caminhos para o desenvolvimento teórico, prático e metodológico da gestão social, a partir do qual podem tensionar as práticas de gestão e seus potenciais emancipatórios e patológico-repressivos (em suas diversas configurações).pt_BR
dc.publisher.departmentDepartamento de Administração e Economiapt_BR
dc.subject.cnpqAdministraçãopt_BR
dc.creator.Latteshttp://lattes.cnpq.br/0538124964852647pt_BR
Appears in Collections:DAE - Administração - Mestrado (Dissertações)

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
DISSERTAÇÃO_Esferas públicas como uma categoria fundante da gestão social.pdf2,68 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.