Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.ufla.br/jspui/handle/1/15446
Título: Intoxicação experimental por Brachiaria decumbens em coelhos
Título(s) alternativo(s): Experimental intoxication by Brachiaria decumbens in rabbits
Autor : Utiumi, Kiyoko Uemura
Lattes: http://lattes.cnpq.br/4539448892841403
Primeiro orientador: Peconick, Ana Paula
Primeiro membro da banca: Varaschin, Mary Suzan
Segundo membro da banca: Wouters, Flademir
Terceiro membro da banca: Orlandi, Lidiane
Quarto membro da banca: Wouters, Angélica Terezinha Barth
Quinto membro da banca: Lima, Antônio de Pádua
Palavras-chave: Coelhos – Intoxicação alimentar
Capim-braquiaria – Toxicologia
Toxicologia experimental
Rabbits – Food poisoning
Brachiaria – Toxicology
Experimental toxicology
Brachiaria decumbens
Data da publicação: 28-Set-2017
Agência(s) de fomento: Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal do Ensino Superior (CAPES)
Referência: UTIUMI, K. U. Intoxicação experimental por Brachiaria decumbens em coelhos. 2017. 50 p. Tese (Doutorado em Ciências Veterinárias)-Universidade Federal de Lavras, Lavras, 2017.
Resumo: Brachiaria spp. são forragens que compõem grande parte das pastagens no Brasil, devido ao fácil cultivo, boa resistência à seca e adaptação a diferentes solos e baixo custo de manutenção. Entretanto, a ingestão desta gramínea está relacionada a surtos de fotossensibilização em bovinos e ovinos, ocasionando prejuízos econômicos significativos. Os efeitos hepatotóxicos relacionados à ingestão da gramínea são: a formação de cristais e macrófagos espumosos causados pelo acúmulo de metabólitos tóxicos, levando a alterações no sistema biliar,ocasionando a retenção de filoeritrina e, conseqüentemente, a fotossensibilização com as lesões de pele. Comumente, observam-se durante a necropsia em bovinos e ovinos, diferentes graus de icterícia e aumento de volume do fígado e coloração amarela acastanhada. À observação histológica, as lesões hepáticas são compostas por vacuolização e tumefação ou necrose individual de hepatócitos, bilestase, proliferação de ductos e canalículos biliares, cristais birrefringentes e de macrófagos espumosos isolados ou pequenos agrupamentos. Alterações histológicas semelhantes às achadas em ruminantes também foram descritas no fígado de coelhos intoxicados naturalmente em pastagens de B. decumbens; contudo, em repetições experimentais não foi possível reproduzir a lesão hepática. Portanto, o objetivo do presente estudo foi avaliar a sensibilidade de coelhos como modelo experimental para a intoxicação por B. decumbens, através da reprodução das lesões hepáticas causadas pela intoxicação. Foram realizados dois experimentos: no primeiro, os animais não apresentaram sinais clínicos e nem alterações macroscópicas e microscópicas de intoxicação por B. decumbens. Os coelhos do experimento 2 também não desenvolveram sinais clínicos e lesões macroscópicas, no entanto, na histologia foi possível observar macrófagos espumosos isolados ou em pequenos grupos no fígado e em linfonodos mesentéricos. Quando estes foram submetidos à técnica de lectino-histoquímica, apresentaram alta reatividade para as lectinas sWGA, RCA-I, WGA e GSL, ressaltando assim a importância deste trabalho, por demonstrar lesões histopatológicas por Brachiaria spp em experimentos com coelhos, demonstrando que esta espécie animal pode ser utilizada como modelo experimental.
Abstract: Brachiaria spp. are fodder that makes up a large part of pasture in Brazil, due to the easy cultivation, good resistance to drought, good adaptation to different soils and low maintenance cost. However, this grass ingestion is related to photosensitization outbreaks, in bovine and ovine, mainly, causing significant economic losses. The hepatotoxic effects related to the grass ingestion are: the crystals formation and foamy macrophages caused by the accumulation of toxic metabolites, leading to changes in the biliary system causing phylloerythrin retention, and consequently the photosensitization with the skin lesions. In bovine and ovine, commonly, it is observed at necropsy different degrees of jaundice and increased liver size with brownish-yellow coloration. On histological observation, hepatic lesions are composed of vacuolization and swelling or individual necrosis of hepatocytes, biliary system, proliferation of ducts and biliary canaliculis, birefringent crystals and isolated foamy macrophages or small clusters. Histological changes, similar to findings in ruminants, were also described in the liver of naturally intoxicated rabbits in B. decumbens pastures, but in experimental replicates it was not possible to reproduce the liver injury. Therefore, the objective in this present study was to evaluate the sensitivity of rabbits as an experimental model for B. decumbens intoxication, by reproduction of hepatic lesions caused by intoxication. Two experiments were carried out, in the first, the animals showed no clinical signs and no macroscopic and microscopic alterations of B. decumbens intoxication. The rabbits of experiment 2 also did not develop clinical signs and macroscopic lesions, however, in histology it was possible to observe foamy macrophages isolated or small clusters in the liver and in mesenteric lymph nodes. When they were submitted to lectin-histochemistry technique, they showed high reactivity for the sWGA, RCA-I, WGA and GSL lectins, thus highlighting the importance of this work, since it showed histopathological lesions by Brachiaria spp in experiments with rabbits, demonstrating that this animal species can be used as an experimental model.
metadata.teses.dc.description: A orientadora da tese também é membra da banca examinadora.
URI: repositorio.ufla.br/jspui/handle/1/15446
Publicador: Universidade Federal de Lavras
Idioma: por
Aparece nas coleções:DMV - Ciências Veterinárias - Doutorado (Teses)

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
TESE_Intoxicação experimental por Brachiaria decumbens em coelhos.pdf1,3 MBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.