Buscar

 

RI UFLA (Universidade Federal de Lavras) >
DAG - Departamento de Agricultura >
DAG - Programa de Pós-graduação >
DAG - Agronomia/Fitotecnia - Mestrado (Dissertações) >

Por favor, utilize esse identificador para citar este item ou usar como link: http://repositorio.ufla.br/jspui/handle/1/11150

Título: Compatibilidade anatômica dos porta-enxertos Pyrus calleryana e Chaenomeles sinensis com pereiras, macieiras e marmeleiros
Título Alternativo: Anatomical compatibility of Pyrus calleryana and Chaenomeles sinensis rootstocks with pears, apples and quinces tree
Autor(es): Melo, Evaldo Tadeu de
Lattes: http://lattes.cnpq.br/5008595236298644
Orientador: Pio, Rafael
Membro da banca: Alvarenga, Ângelo Alberico
Membro da banca: Mori, Fabio Akira
Assunto: Plantas – Enxertia
Marmelo
Maçã
Pera
Anatomia vegetal
Plants – Grafting
Quince
Apples
Pear
Plant anatomy
Data de Defesa: 7-Abr-2016
Data de publicação: 16-Mai-2016
Referência: MELO, E. T. de. Compatibilidade anatômica dos porta-enxertos Pyrus calleryana e Chaenomeles sinensis com pereiras, macieiras e marmeleiros. 2016. 77 p. Dissertação (Mestrado em Agronomia/Fitotecnia)-Universidade Federal de Lavras, Lavras, 2016.
Resumo: A enxertia tem sido muito utilizada na produção de mudas, no entanto, é importante ressaltar a dificuldade encontrada na afinidade entre as combinações copa e porta-enxertos. Mesmo com os significativos avanços ocorridos nas últimas décadas e as novas cultivares desenvolvidas, verifica-se carência de porta-enxertos adaptados às condições climáticas de pouco frio hibernal. Nesse sentido, objetivou-se com o presente trabalho avaliar a compatibilidade anatômica de cultivares de pomáceas nos porta-enxertos Pyrus calleryana e Chaenomeles sinensis, analisando a conexão dos tecidos vasculares do xilema secundário, para detectar combinações compatíveis, visando a expansão do cultivo de pereiras, marmeleiros e macieiras em regiões subtropicais. Foram realizadas três experimentações, sendo a primeira composta por 11 cultivares de pereira, a segunda, por duas cultivares de marmeleiro, e a terceira, por três cultivares de macieira, todas enxertadas sobre os porta-enxertos Pyrus calleryana e Chaenomeles sinensis. Em cada experimentação utilizou-se o delineamento inteiramente casualizado, com cinco repetições e 10 enxertos por parcela. Foram avaliados a porcentagem de brotação dos enxertos aos 60 dias, o comprimento e diâmetro das brotações, e análises anatômicas aos 120 dias após a realização da enxertia, sendo realizados cortes nas secções transversais e longitudinais. Não foram encontradas diferenças significativas entre os elementos anatômicos do xilema secundário de todas as espécies utilizadas nas experimentações. As pereiras apresentaram boa taxa de brotação, porém, o desenvolvimento ocorreu apenas sobre o Pyrus calleryana, e na avaliação anatômica observou-se que os tecidos vasculares haviam se conectado, o que não ocorreu sobre o Chaenomeles sinensis. Os marmeleiros também apresentaram boa taxa de brotação e se desenvolveram bem sobre ambos os porta-enxertos, com boa conexão dos tecidos vasculares. As macieiras apresentaram pequeno desenvolvimento sobre o porta-enxerto Pyrus calleryana, com conexão de poucos tecidos vasculares, sobre o Chaenomeles sinensis não houve desenvolvimento do enxerto e nem conexão dos tecidos vasculares. Conclui-se que a brotação dos enxertos não indica sucesso na enxertia intergenérica; a conexão dos tecidos é fundamental para o sucesso da enxertia, e quanto maior a conexão dos tecidos vasculares maior será o desenvolvimento da futura planta; as pereiras não apresentaram compatibilidade com o Chaenomeles sinensis; os marmeleiros apresentaram compatibilidade com ambos os porta-enxertos; as macieiras apresentaram incompatibilidade com Chaenomeles sinensis, e apenas a cultivar Princesa, se desenvolveu sobre Pyrus calleryana.
Abstract: Grafting has been widely used in the production of seedlings, however, it is important to point out the difficulty in affinity between scion-rootstocks. Even with the significant progress made in recent decades and development of new cultivars, there is lack of rootstocks adapted to mild winter conditions. In this sense, the aim of this study was to evaluate the anatomical compatibility of pomaceas cultivars on rootstocks Pyrus calleryana e Chaenomeles sinensis, analyzing the connection of vascular tissues from secondary xylem, to detect compatible combinations, aiming the expansion of pears cultivation, quince and apple trees in subtropical regions. Three experiments were conducted, the first consisting of eleven pear cultivars, the second of two cultivars of quince and the third for three apple cultivars, all grafted on rootstocks of Pyrus calleryana and Chaenomeles sinensis. In each experiment was used a completely randomized design, with five replications and 10 grafts per plot. Was evaluated the percentage of sprouting per graft at 60 days, the length and diameter of the shoots and anatomical analyzes 120 days after grafting, cuts being made in cross and longitudinal sections. There were no significant differences between the anatomical elements of the secondary xylem of all species used in trials. The pear trees showed good rate of budding, but the development occurred only on the Pyrus calleryana and in anatomical assessment it was observed that the vascular tissues were connected, which did not occur on the Chaenomeles sinensis. The quince tree also showed good rate of budding and developed well on both rootstocks with good connection of vascular tissues. The apple trees had small development on the Pyrus calleryana rootstock, with connecting of a few vascular tissues, on the Chaenomeles sinensis there was no development of the graft and connection of vascular tissues. It is concluded that the budding graft does not indicate success in grafting intergeneric; the connection of tissues is fundamental to the success of grafting and the greater the connection of vascular tissues the greater the development of the future plant; pear trees have no compatibility with the Chaenomeles sinensis; the quinces have compatibility with both rootstocks; the apple trees have incompatibility with Chaenomeles sinensis, and only the cultivar Princess developed on Pyrus calleryana.
URI: http://repositorio.ufla.br/jspui/handle/1/11150
Publicador: Universidade Federal de Lavras
Idioma: por
Aparece nas coleções: DAG - Agronomia/Fitotecnia - Mestrado (Dissertações)

Arquivos neste Item:

Arquivo Descrição TamanhoFormato
DISSERTAÇÃO_Compatibilidade anatômica dos porta-enxertos Pyrus calleryana e Chaenomeles sinensis com pereiras, macieiras e marmeleiros.pdf2,12 MBAdobe PDFVer/abrir

Itens protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, Salvo indicação em contrário.


Mostrar estatísticas

 


DSpace Software Copyright © 2002-2007 MIT and Hewlett-Packard - Feedback