Buscar

 

RI UFLA (Universidade Federal de Lavras) >
DCF - Departamento de Ciências Florestais >
DCF - Artigos publicados em periódicos >

Por favor, utilize esse identificador para citar este item ou usar como link: http://repositorio.ufla.br/jspui/handle/1/11971

Título: Uso do estimador geoestatístico para predição volumétrica por talhão
Autor(es): Mello, José Márcio de
Oliveira, Marcelo Silva de
Batista, João Luís Ferreira
Justiniano Júnior, Paulo Ribeiro
Kanegae Júnior, Honório
Assunto: Eucalyptus grandis
Inventário florestal
Krigagem de bloco
Forestry inventory
Block krigin
Publicador: Universidade Federal do Paraná
Data de publicação: 2006
Referência: MELLO, J. M. de et al. Uso do estimador geoestatístico para predição volumétrica por talhão. Revista Floresta, Curitiba, v. 36, n. 2, maio/ago. 2006.
Resumo: A estimativa volumétrica de madeira por talhão em povoamento florestal é efetuada através do Inventário Florestal Pré-Corte. Para realização do Inventário Pré-Corte, lançou parcelas numa intensidade amostral maior do que a do Inventário Florestal Contínuo. Assim, além do custo de medição das parcelas do Inventário Florestal Contínuo, agrega-se o custo de medição das parcelas do Inventário Pré-Corte. A análise das informações do inventário pré-corte é efetuada com base nos conceitos da teoria clássica de amostragem, sem consideração da estrutura de continuidade espacial. Uma alternativa para obtenção da informação volumétrica por talhão seria utilizar um método capaz de estimar o volume com as parcelas permanentes. A krigagem de bloco é o método de predição da Geoestatística capaz de predizer o volume por talhão. O presente estudo teve como objetivo comparar estimativas por talhão, usando estimador clássico e geoestatístico. Os dados para realização do trabalho foram provenientes de cinco projetos florestais de Eucalyptus grandis, pertencentes à Votorantin Celulose e Papel. Obteve-se o volume total com casca das parcelas permanentes e as informações do inventário pré-corte. Foram comparadas as informações das estatísticas do inventário pré-corte com as do estimador geoestatístico. A diferença média entre o volume total, gerado pelo estimador clássico e o estimador geoestatístico, foi de 1%. O erro amostral por talhão do estimador geoestatístico variou menos do que o erro amostral do estimador clássico. Sugere-se o uso do estimador geoestatístico para estimativa por talhão, produzindo mais economia e precisão do que o inventário pré-corte, realizado segundo a teoria clássica de amostragem.
Abstract: Geostatistical estimator for forest yield prediction at stand level. The estimate wood volumetric per stand, in forest plantation, is made through the before felling inventory. For accomplishing the inventory a larger number of plots is established in the stand. Therefore, besides the cost of measuring the plots of the Continuous Forest Inventory, it is added the cost of the before felling forest inventory. The analysis of the information of the before felling inventory is made using classic statistics concepts, not considering the spatial continuity structure. One way of getting the volumetric information per stand would be to use a method of estimating the volume per stand using the information of the Continuous Forestry Inventory. Block Krigage is a geostatistic prediction method capable of predicting volume per stand. This method predicts the volume, considering the hole forest population spatial continuity to which the stands belong. This research compared the estimates made by stand using classic estimators and geoestatístic estimators. Data were collected in five Eucalyptus grandis stands, belonging Votorantim Pulp and Paper. Total volume with bark of the fixed plots and the information of the before felling inventory were obtained. The statistics of the before felling inventory and those of the geoestatístic estimator were compared. The average difference among the total volume, generated by the classic estimator and the geostatístic estimator was 1%. The sampling error, per stand, of the geostatístic estimator varied less than that of the classic estimator. The use of the geoestatístic estimator for volume estimates, per stand, is recommended, because it cost less and is more precise than the classical before felling forestry inventory.
URI: http://revistas.ufpr.br/floresta/article/view/6454
http://repositorio.ufla.br/jspui/handle/1/11971
Idioma: pt_BR
Aparece nas coleções: DCF - Artigos publicados em periódicos
LEMAF - Artigos publicados em periódicos

Arquivos neste Item:

Não há arquivos associados para este Item.

Itens protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, Salvo indicação em contrário.


Mostrar estatísticas

 


DSpace Software Copyright © 2002-2007 MIT and Hewlett-Packard - Feedback