Buscar

 

RI UFLA (Universidade Federal de Lavras) >
DAE - Departamento de Administração e Economia >
DAE - Trabalhos apresentados em eventos >

Por favor, utilize esse identificador para citar este item ou usar como link: http://repositorio.ufla.br/jspui/handle/1/1308

Título: “Amarga Cana”: Representações sociais do trabalho na atividade de corte de cana-de-açúcar na Região de Ituiutaba-MG
Autor(es): Enoque, Alessandro Gomes
Borges, Alex Fernando
Santos, Aline Cordeiro dos
Assunto: Representações Sociais
Trabalho
Gênero
Data de publicação: 7-Nov-2013
Referência: ENOQUE, A. G.; BORGES, A. F.; SANTOS, A. C. "Amarga Cana...": Representações sociais do trabalho na atividade de corte de cana-de-açúcar na Região de Ituiutaba-MG. In: SEMINÁRIOS EM ADMINISTRAÇÃO, 16., 2013, São Paulo. Anais eletrônicos... São Paulo: USP, 2013. Disponível em: < http://www.semead.com.br/16semead/resultado/trabalhosPDF/386.pdf>. Acesso em: 07 nov. 2013.
Resumo: O objetivo deste artigo consiste em compreender, a partir de uma abordagem psicossocial, as representações sociais do trabalho na atividade de corte de cana-de-açúcar. A pesquisa, fundamentada na abordagem qualitativa de investigação, foi orientada a partir da necessidade de identificação e investigação de sujeitos inseridos na atividade de colheita da cana-de-açúcar e que atuavam na região de Ituiutaba, Minas Gerais. Foram realizadas entrevistas em profundidade junto a 12 trabalhadores, e suas narrativas foram analisadas com base na técnica de análise do discurso. O recorte teórico que fundamentou a realização deste estudo envolveu, a partir de uma abordagem da Psicologia Social, a Teoria das Representações Sociais. As representações sociais seriam modalidades de conhecimento particular que circulam no dia-a-dia e que têm como função a comunicação entre indivíduos, criando informações e nos familiarizando com o estranho de acordo com categorias de nossa cultura, por meio da ancoragem e da objetivação. A análise percorreu três representações principais: o ser migrante, o ser trabalhador e a organização do trabalho. Ao ser migrante, estes trabalhadores buscam melhores condições salariais em uma atividade fortemente marcada pelo esforço físico, insalubridade, periculosidade e precariedade. Conclui-se, portanto, que a atividade de corte da cana marca a subjetividade do trabalhador, incutindo nele uma forte ideologia do “trabalho árduo” como o único caminho para o sucesso. Espera-se que, com este trabalho, todo um universo "invisível" e "precarizado", "lar" de um enorme contingente de trabalhadores, passe a ser objeto de reflexão por parte da academia, possibilitando a geração de estudos e pesquisas que busquem problematizar essa realidade.
Idioma: pt_BR
Aparece nas coleções: DAE - Trabalhos apresentados em eventos

Arquivos neste Item:

Arquivo Descrição TamanhoFormato
2013 - SEMEAD - Representações Sociais do Trabalho.pdf286,96 kBAdobe PDFVer/abrir

Itens protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, Salvo indicação em contrário.


Mostrar estatísticas

 


DSpace Software Copyright © 2002-2007 MIT and Hewlett-Packard - Feedback