Buscar

 

RI UFLA (Universidade Federal de Lavras) >
DCA - Departamento de Ciência dos Alimentos >
DCA - Programa de Pós-graduação >
DCA - Ciência dos Alimentos - Mestrado (Dissertações) >

Por favor, utilize esse identificador para citar este item ou usar como link: http://repositorio.ufla.br/jspui/handle/1/13241

Título: Vida útil e qualidade de duas espécies de hortaliças não convencionais: capuchinha (Tropaeolum majus L.) e ora-pro-nobis (Pereskia aculeata Miller)
Título Alternativo: Shelf life and quality of two species of unconventional vegetables: nasturtium (Tropaeolum majus L.) and ora-pro-nobis (Pereskia aculeata Miller).
Autor(es): Lima, Isadora Cardoso e
Lattes: http://lattes.cnpq.br/9636284824136448
Orientador: Vilas Boas, Eduardo Valério de Barros
Coorientador: Botrel, Neide
Membro da banca: Carvalho, Elisângela Elena Nunes
Membro da banca: Botrel, Neide
Assunto: Hortaliças - Armazenamento
Hortaliças - Pós-colheita
Hortaliças - Refrigeração
Vegetables - Storage
Vegetables - Post-harvest
Vegetables - Cooling
Data de Defesa: 28-Abr-2017
Data de publicação: 19-Jun-2017
Agência de Fomento: Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Minas Gerais (FAPEMIG)
Referência: LIMA, I. C. e et al. Vida útil e qualidade de duas espécies de hortaliças não convencionais: capuchinha (Tropaeolum majus L.) e ora-pro-nobis (Pereskia aculeata Miller). 2017. 136 p. Dissertação (Mestrado em Ciência dos Alimentos)-Universidade Federal de Lavras, Lavras, 2017.
Resumo: A alimentação saudável vem sendo objeto de muitos estudos em diversas áreas do conhecimento e com maior acesso a informação, assim, os indivíduos têm demonstrado interesse e preocupação com hábitos alimentares saudáveis. O consumo de frutas e hortaliças é fundamental para a melhoria da saúde da população. Várias investigações evidenciam o efeito protetor das frutas e hortaliças para doenças crônicas não transmissíveis. Nesse contexto, para estimular o consumo de frutas e hortaliças, podem ser utilizadas as hortaliças não convencionais ou tradicionais, que são alimentos nutritivos, que já foram bastante apreciados, porém, aos poucos, foram esquecidos ou desvalorizados, como a flor da capuchinha (Tropaeolum majus L.) e o ora-pro-nobis (Pereskia aculeata Miller). Duas espécies de hortaliças não convencionais, flor da capuchinha, e folhas e hastes de ora-pro-nobis foram estudadas. O primeiro experimento objetivou estudar a vida útil da capuchinha, de quatro cores diferentes (vermelha, laranja, amarela e amarelo claro), armazenadas sob refrigeração (5°C ± 2 e 85% ± 5 de UR) durante 8 dias. Inicialmente, avaliou-se as flores de capuchinha recém-colhidas, realizando a quantificação de vitamina C, compostos fenólicos e carotenoides. Posteriormente, avaliou-se suas características físicas e químicas (aparência, perda de massa, parâmetros L*, C* e °H, sólidos solúveis e acidez titulável a cada dois dias, durante 8 dias de armazenamento. Um delineamento estatístico inteiramente casualizado foi adotado em esquema fatorial 4 x 5, cujos fatores estudados foram a cor de capuchinha (vermelha, laranja, amarela e amarelo claro) e o tempo de armazenamento (0, 2, 4, 6 e 8 dias), com cinco repetições. Os resultados demostraram que a capuchinha vermelha possui maior teor de vitamina C e de compostos fenólicos que as capuchinhas das demais cores, e a capuchinha amarela se sobressaiu com o maior teor de carotenoides. Também verificou-se que as flores amarelas e laranjas apresentaram maior vida útil quando comparadas com as flores vermelhas e amarelo claro, após 8 dias de armazenamento. No segundo experimento objetivou-se estudar a vida útil de folhas e hastes de cinco clones de ora-pro-nobis, avaliando-se as características físicas e químicas (aparência, perda de massa, valores L*, C* e °H, clorofila a e b, compostos fenólicos totais e vitamina C) das hastes em 5 tempos (0, 2, 4, 6 e 8 dias), por 8 dias de armazenamento sob refrigeração (10°C ± 2 e 85% ± 5 de UR) e das folhas em 7 tempos (0, 2, 4, 6, 8, 10 e 12 dias) por 12 dias de armazenamento sob refrigeração (10°C ± 2 e 85% ± 5 de UR). As folhas de orapro-nobis apresentaram maior teor de compostos fenólicos e vitamina C quando comparadas com as hastes. Os resultados indicaram que as folhas apresentaram maior vida útil quando comparadas com as hastes, mantendo sua integridade por um maior período de tempo.
Abstract: Eating healthy has been the subject of much research in several areas of knowledge and, with greater access to information, people have shown interest in and concern about healthy eating habits. The intake of fruits and vegetables is fundamental for the improvement of the population's health. Several investigations demonstrated the protective effect of fruits and vegetables for noncommunicable diseases. According to the following study, the consumption of fruits and vegetables can be stimulated by non-conventional or traditional vegetables, which are nutritionally enriched nosh that have already been widely appreciated, but are gradually forgotten or devalued, such as the nasturtium flower (Tropaeolum majus L.) and the ora-pro-nobis (Pereskia aculeata Miller). Two species of non-conventional vegetables, the nasturtium flower and the leaves and stems of ora-pro-nobis were analyzed. The first experiment aimed to study the shelf life of different colors nasturtium (red, orange, yellow, and light yellow) stored under refrigeration (5°C ± 2 and 85% ± 5 of RH) for 8 days. Initially, the freshly harvested nasturtium flowers were assessed, quantifying vitamin C, phenolic compounds, and carotenoids. Hereafter, physical and chemical characteristics (appearance, loss of mass, L*, C*, and, °H parameters, soluble solids, and titratable acidity) were analyzed every two days for 8 days of storage. A completely randomized design (CRD) was applied in a 4 x 5 factorial design, including two factors which were nasturtium color (red, orange, yellow, and light yellow) and storage time (0, 2, 4, 6, and 8 days), with five replications. The results showed that there is higher amount of vitamin C and phenolic compounds in the red nasturtium than in the other colors, and the yellow nasturtium showed the highest content of carotenoids. It was also found that the yellow and orange flowers had a longer shelf life compared to the red and light yellow flowers after 8 days of storage. In the second experiment the goal was to investigate the shelf life of the leaves and stems of five clones of ora -pro-nobis, assessing the physical and chemical characteristics (appearance, loss of mass, L*, C*, and °H parameters, chlorophyll a and b, total phenolic compounds, and vitamin C) of the stems at 5 times (0, 2, 4, 6, and 8 days) and the leaves at 7 times (0, 2, 4, 6, 8, 10, and 12 days) under cold storage (10°C ± 2 and 85% ± 5 of RH). The ora-pro-nobis leaves showed higher level of phenolic compounds and vitamin C compared to the stems. The results showed that the leaves had a longer postharvest life compared to the stems, keeping their integrity for a longer time.
Informações adicionais: Arquivo retido, a pedido da autora, até junho de 2018.
URI: http://repositorio.ufla.br/jspui/handle/1/13241
Publicador: Universidade Federal de Lavras
Idioma: por
Aparece nas coleções: DCA - Ciência dos Alimentos - Mestrado (Dissertações)

Arquivos neste Item:

Não há arquivos associados para este Item.

Itens protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, Salvo indicação em contrário.


Mostrar estatísticas

 


DSpace Software Copyright © 2002-2007 MIT and Hewlett-Packard - Feedback