Buscar

 

RI UFLA (Universidade Federal de Lavras) >
DZO - Departamento de Zootecnia >
DZO - Programa de Pós-graduação >
DZO - Zootecnia - Mestrado (Dissertações) >

Por favor, utilize esse identificador para citar este item ou usar como link: http://repositorio.ufla.br/jspui/handle/1/2295

Título: Uso de altos níveis de fitase em rações para frangos de corte.
Título Alternativo: Use of high levels of phytase in diets for broiler.
Autor(es): Meneghetti, Camila
Orientador: Bertechini, Antônio Gilberto
Coorientador(es): Rodrigues, Paulo Borges
Membro da banca: Brito, Jerônimo Ávito Gonçalves de
Fassani, Édison José
Área de concentração: Nutrição de Monogástricos
Assunto: Enzima
Redução nutricional
Fósforo
Fitato
Enzyme
Nutrition reduction
Phosphurus
Phytate
Data de Defesa: 27-Nov-2009
Data de publicação: 6-Ago-2014
Referência: MENEGHETTI, C. Uso de altos níveis de fitase em rações para frangos de corte. 2009. 60 p. Dissertação (Mestrado em Zootecnia)-Universidade Federal de Lavras, Lavras, 2009.
Resumo: Foram realizados três ensaios experimentais para avaliar os efeitos da suplementação de altos níveis de fitase sobre o desempenho, digestibilidade dos nutrientes e aproveitamento energético, retenção e excreção de minerais e características ósseas de frangos de corte. Utilizou-se, para o desempenho, 1848 pintos machos, Cobb-500, distribuídos em delineamento inteiramente casualizado, com sete tratamentos e oito repetições. As rações foram à base de milho e farelo de soja, adotando-se um programa alimentar com três dietas, ração inicial (1-21dias), crescimento (22-35 dias) e final (36-42 dias). Os tratamentos foram: T1: ração controle sem enzima; T2: 1.500; T3: 3.000; T4: 4.500; T5: 6.000; T6: 8.000 e T7: 10.000 FTU/kg de ração. As dietas com fitase foram formuladas com redução nutricional. No 10° e 28º dias de experimento, quatro e três aves, respectivamente, de cada parcela foram transferidas para gaiolas de metabolismo, para obtenção dos coeficientes de digestibilidade aparente da matéria seca (CDAMS) e da proteína bruta (CDAPB), energia metabolizável aparente corrigida para balanço de nitrogênio (EMAn) e retenção aparente de cálcio e fósforo. Na fase de 1 a 21 dias de idade das aves, o aproveitamento dos nutrientes e da energia não foi prejudicado pela redução nutricional, mostrando ser bem sustentada pelos níveis da enzima. As suplementações de altos níveis de fitase nas dietas aumentaram de forma quadrática a retenção de cálcio, estimando a inclusão de 5.500 FTU/kg para maximizar a retenção (P<0,01). Em relação à retenção aparente de fósforo, houve um efeito linear crescente (P<0,01). Consequentemente, observou-se diminuição na excreção destes minerais (P<0,05). Porém, para o desempenho, conclui-se que apenas as suplementações de 4.500, 8.000 e 10.000 FTU/kg de ração proporcionam resultados de conversão alimentar semelhantes ao tratamento controle. No período de 1 a 35 dias, não houve diferença significativa entre os tratamentos no consumo de ração e no ganho de peso (P>0,05). A conversão alimentar das aves foi semelhante a partir da inclusão de 4.500 FTU/kg. Na fase de crescimento, não houve diferença no CDAMS, CDAPB e na EMAn (P>0,05). Estimou-se a inclusão de 5.000 FTU/kg de fitase para maximizar a retenção aparente de cálcio nesta fase (P<0,05). A retenção do fósforo foi maior com a suplementação de fitase (P<0,05). A excreção absoluta dos minerais nesta fase, também, foi significativamente maior pelas aves do grupo controle (P<0,05). Na fase total de 1 a 42 dias de idade das aves, o aumento no consumo de ração, consequentemente, influenciou a conversão alimentar das aves dos tratamentos que continham fitase. Entretanto, o ganho de peso e as características ósseas não foram afetados. Conclui-se que a suplementação, a partir de 4.500 FTU/kg em dietas com redução nutricional e da energia, na fase de 1 a 35 dias de idade dos frangos de corte, pode ser utilizada sem causar prejuízos no desempenho, na digestibilidade dos nutrientes, no aproveitamento energético e nas características ósseas. O maior aproveitamento do cálcio e do fósforo nas rações com níveis altos de suplementação de fitase, contribui significativamente para a redução na excreção.
Three experimental trials were to evaluate the effects of supplementation of high levels of phytase on the performance, nutrient digestibility and energy utilization, retention and excretion of minerals and bone characteristics of broilers. A total of 1848 male chicks were used to perform, Cobb-500, distributed in a completely randomized design with seven treatments and eight repetitions. The diets were based on corn and soybean meal, adopting a diet plan with three diets, initial diet (1-21days), growth (22-35 days) and late (36-42 days). The treatments were: T1: control diet without enzyme, T2: 1,500; T3: 3,000; T4: 4,500; T5: 6,000; T6: 8,000 and T7: 10,000 FTU/kg. Diets with phytase were formulated with nutrient reduction. On the 10th and 28th days of the experiment, four and three birds, respectively, of each plot were transferred to metabolism cages to obtain the apparent digestibility of dry matter (excreta) and crude protein (CADCP), apparent metabolizable energy corrected for nitrogen balance (AME) and apparent retention of calcium and phosphorus. From 1 to 21 days old birds, the use of nutrients and energy was not affected by reduced nutritional shown to be well supported by the levels of the enzyme. The supplementation of high levels of phytase in the diets increased quadratically calcium retention, estimating the inclusion of 5,500 FTU/kg to maximize retention (P<0.01). Regarding the apparent retention of phosphorus, there was a linear increase effect (P<0.01). Consequently, there was a decrease in the excretion of these minerals (P<0.05). However, for performance, it seems that only the supplementation of 4,500, 8,000 and 10,000 FTU/kg diet provide feed results similar to the control treatment. From 1 to 35 days, no significant difference between treatments in feed intake and weight gain (P>0.05) was observed.. The birds feed conversion was similar to the addition of 4,500 FTU/kg. In the growth phase, there was no difference in the excreta, CADCP and AME (P>0.05). It was estimated the addition of 5,000 FTU/kg phytase to maximize the apparent retention of calcium at this stage (P<0.05). The retention of phosphorus was larger with supplemental phytase (P<0.05). The absolute excretion of minerals at this stage was also significantly higher for birds in the control group (P<0.05). In the total phase of 1 to 42 days old birds, the increase in food consumption consequently influenced the feed of birds of treatments containing phytase. However, weight gain and bone characteristics were not affected. It was concluded that supplementation from 4,500 FTU/kg in diets with reduced nutritional and energy in the 1 to 35 days of age of broiler chickens may be used without causing damage on performance, nutrient digestibility, in energy use and bone characteristics. The exploitation of calcium and phosphorus, in diets with high levels of phytase supplementation, contributes significantly to excretion reduction.
URI: http://repositorio.ufla.br/jspui/handle/1/2295
Publicador: UNIVERSIDADE FEDERAL DE LAVRAS
Idioma: pt_BR
Aparece nas coleções: DZO - Zootecnia - Mestrado (Dissertações)

Arquivos neste Item:

Arquivo Descrição TamanhoFormato
DISSERTAÇÃO_Uso de altos níveis de fitase em rações para frangos de corte.pdf306,17 kBAdobe PDFVer/abrir

Itens protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, Salvo indicação em contrário.


Mostrar estatísticas

 


DSpace Software Copyright © 2002-2007 MIT and Hewlett-Packard - Feedback