Use este identificador para citar ou linkar para este item: repositorio.ufla.br/jspui/handle/1/2518
Título: Níveis de farinha de peixe em rações para alevinos e juvenis de Tilápia-do-Nilo (Oreochromis niloticus).
Título(s) alternativo(s): Levels of fish meal in diets for fingerlings and juveniles of Nile tilapia (Oreochromis niloticus).
Autor : Pontes, Edvânia da Conceição
Primeiro orientador: Logato, Priscila Vieira Rosa
metadata.teses.dc.contributor.advisor-co: Rodrigues, Paulo Borges
Freitas, Rilke Tadeu Fonseca de
Primeiro membro da banca: Murgas, Luis David Solis
Pereira, Renata Apocalypse Nogueira
Área de concentração: Nutrição de Monogástricos
Palavras-chave: Nutrição e alimentação animal
Aminoácidos
Fonte protéica
Fazes
Peixe
Proteína
Key Word: amino acid
Source protéica
Phases
Fish
Protein
Data da publicação: 11-Ago-2014
Referência: PONTES, E. da C. Níveis de farinha de peixe em rações para alevinos e juvenis de tilápia-do-nilo (Oreochromis niloticus). 2008. 71 p. Dissertação (Mestrado em Zootecnia)-Universidade Federal de Lavras, Lavras, 2008.
Resumo: Dois experimentos foram realizados no Laboratório de Digestibilidade de Peixes, localizado na Estação de Piscicultura da Universidade Federal de Lavras, em Lavras, MG. O objetivo foi avaliar diferentes níveis de farinha de peixe relacionando desempenho, análise hematológica e digestibilidade, em duas fases de cultivo de tilápia-do-nilo (Oreochromis niloticus) proveniente de uma mesma desova. No experimento I, foram utilizados 800 alevinos, com peso médio inicial de 0,70±0,10 g, alojados em 16 incubadoras de digestibilidade, com capacidade de 500 litros. Os tratamentos utilizados foram: T1= 0% de farinha de peixe (FP); T2 = 1,5% de FP; T3 = 3,0% de FP; T4= 4,5% de FP e T5 = 6,0% de FP, distribuídos em delineamento em blocos casualizados, com 4 repetições. Para o experimento II, foram utilizados 140 juvenis de tilápia-do-nilo com peso médio de 14,0±0,14 g, avaliando 5 níveis de farinha de peixe: T1= 0% de farinha de peixe (FP); T2 = 1,5% de FP; T3 = 3,0% de FP; T4= 4,5% de FP e T5 = 6,0% de FP, distribuídos em delineamento em blocos casualizados com 4 repetições de 7 peixes/unidade experimental. Todas as rações foram isoenergéticas (3.000 kcal de energia digestível) e suplementadas com aminoácidos, a fim de atingir a mesma relação lisina/metionina. As dietas foram fornecidas até saciedade aparente, 3 vezes ao dia, durante 60 dias/cada experimento. As seguintes variáveis de desempenho foram analisadas: ganho de peso (GP), consumo de ração (CR), conversão alimentar aparente (CAA), taxa de eficiência protéica (TEP), índice hepatossomático (IHS), peso da carcaça (PC), rendimento de carcaça (RC), hematócrito, hemoglobina, retenção de nitrogênio e coeficiente de digestibilidade de (CDAMS, CDAPB e CDAEB). No experimento I, não foi observado efeito significativo (P>0,05) dos diferentes níveis de farinha de peixe sobre a CA, CR, TEP. Em relação à variável GP, efeito cúbico e efeito quadrático foram observados sobre a taxa de hematócrito (P<0,05), composição química de carcaça, excreção e retenção de nitrogênio. No experimento II, foi observado efeito linear decrescente sobre a taxa de eficiência protéica à medida que aumentaram os níveis de farinha de peixe. Em relação à variável retenção de nitrogênio, foi observado efeito quadrático (P<0,05). À medida que aumentavam os níveis de farinha de peixe, foi observado efeito quadrático sobre a composição química da carcaça de juvenis em relação ao teor de água, proteína bruta e extrato etéreo e efeito linear sobre teor de cinzas. Foi observado efeito quadrático sobre hematócrito. Conclui-se que, para as fases alevino e juvenil, dentre os diferentes níveis de farinha de peixe, é possível utilizar 3% de FP nas dietas sem afetar desempenho, características de carcaça e digestibilidade.
Tow experiments were conducted in the Fish Digestibility Laboratory situated in the Pisciculture Station of the Federal University of Lavras - MG, with the purpose of evaluating the different levels of fish meal relating performance, hematological analysis and digestibility in two cultive of rearing of Nile tilapia (Oreochromis niloticus) coming from the same spawning. In experiment I, 800 fingerlings with a early average weight of 0.70 ± 0.10 g housed in 16 digestibility incubators with a capacity of 500 liters. The treatments utilized were: T1= 0% of fish meal (FP); T2 = 1.5% of FP; T3 = 3.0% of FP; T4= 4.5% of FP and T5 = 6.0% of FP, distributed into a randomized block design with four replicates. For experiment II wee utilized 140 Nile tilapia juveniles averaging 14.0 ± 0.14 g, evaluating five levels of fish meal: T1= 0% of fish meal (FP); T2 = 1.5% of FP; T3 = 3.0% of FP; T4= 4.5% of FP and T5 = 6.0% of FP, distributed into randomized blocks with four replicates of 7 fish/experimental unit. All the diets were isoenergetic (3,000 kcal of digestible energy) and supplemented with aminoacids in 0rder to reach the same lysine/methionine ratio. The diets were fed till apparent satiety, three times a day for 60 days/each experiment. The following performance variables wee investigated: weight gain (GP), feed intake (CR), apparent feed conversion (CAA), protein efficiency rate (TEP), hepatosomatic index (IHS), carcass weight (PC), carcass yield (RC), hematocrit, hemoglobin, nitrogen retention, nitrogen excretion and digestibility coefficient (CDAMS, CDAPB and CDAEB). In experiment I no significant effects (P>0.05) of the different levels of fish meal on CA, CR, TEP were found. Relative to the variable GP, both a cubic and a quadratic effect upon the hematocrit rate (P<0.05), chemical composition of the carcass and retention of nitrogen were observed. In experiment II: a decreasing linear effect on the protein efficiency rate was noticed as the levels of fish meal were increased. In relation to the variables retention of nitrogen, a quadratic effect (P<0.05) was found. As the levels of fish meal were increased, a quadratic effect on the chemical composition of the carcass of juveniles in relation to the content of water, crude protein and ether extract and a linear effect on ash content were observed. A quadratic effect on hematocrit was found. It follows that for the phases fingerlings and juvenile among the different levels of fish meal, it is possible to utilize 3% of FP in the diets without affecting their performance, carcass and digestibility characteristics.
URI: http://repositorio.ufla.br/jspui/handle/1/2518
Publicador: UNIVERSIDADE FEDERAL DE LAVRAS
Idioma: pt_BR
Aparece nas coleções:DZO - Zootecnia - Mestrado (Dissertações)



Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.