Buscar

 

RI UFLA (Universidade Federal de Lavras) >
DZO - Departamento de Zootecnia >
DZO - Programa de Pós-graduação >
DZO - Zootecnia - Mestrado (Dissertações) >

Por favor, utilize esse identificador para citar este item ou usar como link: http://repositorio.ufla.br/jspui/handle/1/2647

Título: Perfil de ácidos graxos na carne de cordeiros Santa Inês alimentados com gordura protegida e vitamina E.
Título Alternativo: Fatty acid profile in meat santa ines lambs fed with fat protected and vitamin E.
Autor(es): Júnior, Izac Leopoldino
Orientador: Garcia, Íraides Ferreira Furusho
Coorientador(es): Pérez, Juan Ramón Olalquiaga
Membro da banca: Ladeira, Márcio Machado
Ramos, Eduardo Mendes
Área de concentração: Produção e nutrição de ruminantes
Assunto: Alimentação
Lipídeos
Ovinocultura
Qualidade de carne
Feed
Lipid
Sheep
Meat quality
Data de Defesa: 11-Mai-2011
Data de publicação: 12-Ago-2014
Referência: JÚNIOR, I. L. Perfil de ácidos graxos na carne de cordeiros Santa Inês alimentados com gordura protegida e vitamina E. 2011. 153 p. Dissertação (Mestrado em Zootecnia)-Universidade Federal de Lavras, Lavras, 2011.
Resumo: O presente trabalho objetivou avaliar o peso de abate, o uso de fonte de ácido graxo poli-insaturado, a gordura protegida, e o uso da vitamina E (precursor DL α-tocoferil acetato), na dieta de cordeiros confinados em fase de terminação, e seus efeitos sobre: a composição química da carne, o perfil de ácidos graxos na fração lipídica do músculo, atividade das enzimas dessaturases 16 e 18, elongases, o índice de aterogenicidade e a oxidação lipídica da gordura muscular. Foram avaliadas quatro dietas: controle; controle + 0,05% DL α tocoferil acetato; controle + 4% de gordura protegida; e controle + 0,05% DL α tocoferil acetato + 4% de gordura protegida. Durante 84 dias, 32 cordeiros da raça Santa Inês, com idade inicial média de 5 meses (média=154 dias ±23,5) e dois pesos vivo inicial médio, 20kg (média=23,05 kg ±1,62) e 30 kg (média=32,63 kg ±1,72), foram distribuídos aleatoriamente em cada dieta, sendo quatro animais por dieta em cada faixa de peso. Os pesos de abates foram 45 kg (média= 44,10 kg ± 3,53) e de 55 kg (média=55,08kg ± 4,04). O delineamento usado foi inteiramente casualizado, em esquema fatorial 2 x 2 x 2, sendo dois pesos vivo de abate (45 e 55 kg); ausência ou presença de gordura protegida (0 e 4% na dieta total); e ausência ou presença de vitamina E (0 e 0,05% DL α tocoferil acetato na dieta total). A composição química da carne não foi alterada pelos fatores avaliados. O efeito da gordura protegida, em alterar as concentrações de ácidos graxos saturados e insaturados está dependente do peso vivo do animal, sendo que o peso de abate de 55 kg, nos animais que consumiram gordura protegida, apresentou maiores proporções de ácidos graxos insaturados na fração lipídica do músculo Longissimus dorsi. O uso de gordura protegida nos cordeiros abatidos com 55 kg, teve efeito em elevar o teor do ácido graxo C16:0. A relação ω 6 / ω 3 no músculo Longissimus dorsi foi maior com o uso da gordura protegida nos animais abatidos com 55 kg de peso vivo. Sem a inclusão de gordura protegida na dieta, animais abatidos com 55 kg apresentaram maior relação ω 6 / ω 3. A gordura protegida aumentou os teores de CLA (Ácido Linoleico Conjugado). O peso vivo de abate, a inclusão de gordura protegida e de vitamina E influenciou a atividade da Δ9 dessaturase 18. A gordura protegida e o peso de abate de 55 kg elevou o índice de aterogenicidade. A inclusão de vitamina E na dieta diminuiu os valores de malonaldeído da carne de cordeiro e o uso de gordura protegida em associação com vitamina E na dieta de cordeiros Santa Inês melhora a qualidade da carne, pois eleva a concentração dos ácidos graxos benéficos à saúde humana, aumentando ainda a vida útil da carne.
This study aimed to evaluate the slaughter weight, the use of source of polyunsaturated fatty acid, fat protected, and use of vitamin E (DL precursor α-tocopheryl acetate) in the diet of feedlot lambs in the finishing phase, and its effects on: the chemical composition of meat, the fatty acid profile in the lipid fraction of muscle, activity of desaturase enzymes 16 and 18, elongases, atherogenicity index and lipid oxidation of muscular fat. They were four diets: control, control + 0.05% DL α tocopheryl acetate, control + 4% fat protected; and control + 0.05% DL α tocopheryl acetate + 4% of protected fat. During 84 days, 32 Santa Inês lambs, with an average initial age of 5 months (mean = 154 days ± 23.5) and two initial average live weight, 20 kg (mean = 23.05 kg ± 1.62) and 30 kg (mean = 32.63 kg ± 1.72), were randomized in each diet, being four animals per diet in each weight range. The slaughter weights were 45 kg (mean = 44.10 kg ± 3.53) and 55 kg (mean = 55.08 kg ± 4.04). The design was completely randomized in a 2 x 2 x 2, being two live slaughter weights (45 and 55 kg), absence or presence of protected fat (0 and 4% of the total diet), and absence or presence of vitamin E (0 and 0.05% DL α tocopheryl acetate of the total diet). The chemical composition of the meat was not changed by the factors evaluated. The effect of protected fat in changing the concentrations of saturated and unsaturated fatty acids is dependent on the weight from the animal, and the slaughter weight of 55 kg, in the animals fed protected fat, had greater proportions of unsaturated fatty acids in lipid fraction of muscle Longissimus dorsi. The use of protected fat in the lambs slaughtered with 55 kg, had no effect in increasing the fatty acid C16: 0. The relationship ω 6/ ω 3 in muscle Longissimus dorsi was higher with the use of protected fat in animals slaughtered with 55 kg live weight. Without the inclusion of fat in the diet, animals slaughtered with 55 kg showed higher relation ω 6/ ω 3. The protected fat increased the content of CLA (Conjugated Linoleic Acid). Live weight at slaughter, the inclusion of protected fat and vitamin E influenced the activity of Δ9 desaturase 18. The protected fat and slaughter weight of 55 kg increased the atherogenicity index. The inclusion of vitamin E in the diet decreased malonaldehyde values of lamb meat and the use of protected fat in combination with vitamin E in the diet of Santa Ines lambs improves meat quality, as increased levels of fatty acids beneficial to human health, further increasing the life of the flesh.
URI: http://repositorio.ufla.br/jspui/handle/1/2647
Publicador: UNIVERSIDADE FEDERAL DE LAVRAS
Idioma: pt_BR
Aparece nas coleções: DZO - Zootecnia - Mestrado (Dissertações)

Arquivos neste Item:

Arquivo Descrição TamanhoFormato
DISSERTAÇÃO_Perfil de ácidos graxos na carne de cordeiros Santa Inês alimentados com gordura protegida e vitamina E.pdf864,48 kBAdobe PDFVer/abrir

Itens protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, Salvo indicação em contrário.


Mostrar estatísticas

 


DSpace Software Copyright © 2002-2007 MIT and Hewlett-Packard - Feedback