Buscar

 

RI UFLA (Universidade Federal de Lavras) >
DCA - Departamento de Ciência dos Alimentos >
DCA - Programa de Pós-graduação >
DCA - Ciência dos Alimentos - Doutorado (Teses) >

Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.ufla.br/jspui/handle/1/2802

Title: Formação de biofilme em aço inoxidável por Aeromonas hydrophila e Staphylococcus aureus sob diferentes condições de cultivo
Other Titles: Biofilm formation by Aeromonas hydrophila and Staphylococcus aureus on stainless steel AISI 304 in different conditions of cultivation
???metadata.dc.creator???: Boari, Cleube Andrade
???metadata.dc.contributor.advisor1???: Piccoli, Roberta Hilsdorf
???metadata.dc.contributor.referee1???: Schwan, Rosane Freitas
Alves, Eduardo
Mendonça, Alexandre Tourino
Abreu, Luiz Ronaldo de
Batista, Luis Roberto
Keywords: Aeromonas hydrophila
Staphylococcus aureus
Biofilme
Aço inoxidável
Biofilm
Stainless steel
???metadata.dc.date.submitted???: 6-Mar-2008
Issue Date: 14-Aug-2014
Citation: BOARI, C. A. Formação de biofilme em aço inoxidável por Aeromonas hydrophila e Staphylococcus aureus sob diferentes condições de cultivo. 2008. 80 p. Tese (Doutorado em Ciência dos Alimentos)-Universidade Federal de Lavras, Lavras, 2008.
???metadata.dc.description.resumo???: A formação de biofilmes microbianos em superfícies empregadas na produção de alimentos, como o aço inoxidável, vem recebendo destaque em diversas pesquisas em função dos malefícios de sua ocorrência. Estas comunidades, uma vez constituídas, agem como ponto de contaminação constante, além de outros prejuízos, como corrosão. Neste contexto, Staphylococcus aureus e Aeromonas hydrophila se destacam por seu potencial capacidade de aderir e formar biofilmes. A relevância destas espécies microbianas diz respeito à questões de saúde pública e deterioração. Com base no exposto, a presente pesquisa foi realizada com o objetivo de avaliar a capacidade de formação de biofilme de S. aureus e A. hydrophila sob diferentes condições de cultivo, utilizando-se o aço inoxidável AISI 304 como substrato, o leite desnatado como fase aquosa e três temperaturas: 4º, 7º e 18ºC. Para o ensaio em monocultivo, foram inoculados, em um litro de leite, aproximadamente, 108 UFC/mL de BHI de cada microrganismo, em sistemas separados, propiciando, após a diluição em 1000 mL de leite, valor de 105 UFC/mL. A inoculação ocorreu no tempo inicial. Cada recipiente, contendo 1L de leite, o inóculo, 1 barra magnética estéril e 10 cupons de aço inoxidável AISI (10x20 mm), suspensos, com auxílio de uma estrutura metálica, foram armazenados, sob agitação de 60 rpm, por um período de 10 dias, a 4,7º e 18ºC. A cada 48 horas, 2 cupons foram coletados e recipientes, barras metálicas e leite desnatado substituídos por outros esterilizados. A enumeração das células sésseis de S. aureus e A. hydrophila foi conduzida por meio do plaqueamento seletivo em ágar Baird-Parker e m-Aeromonas selective Haavelar adicionado de ampilicina, respectivamente. O ensaio em cultivo combinado de S. aureus com A. hydrophila utilizou o mesmo sistema descrito, com a diferença de que ambos foram inoculados em um mesmo béquer, cada um à densidade populacional de 105 UFC/mL. Estudos complementares sobre o tempo de geração, a enumeração de células planctônicas e a observação dos cupons por meio da microscopia eletrônica de varredura foram conduzidos. O experimento foi instalado segundo um delineamento inteiramente. casualizado, com duas repetições, sendo os tratamentos arranjados em um esquema de parcela subdividida no tempo. Os dados foram analisados pelo programa estatístico SAS. Em monocultivo, S. aureus formou biofilme a 18ºC, já nos primeiros dois dias e, a 7ºC, a partir de 4 dias. Para 4ºC, foi observado um processo de adesão. A presença de A. hydrophila reduziu o desempenho de S. aureus. Nesta condição de cultivo multiespécie houve formação de biofilme a 18ºC, no qual houve, aproximadamente, dois ciclos logarítmicos menos células sésseis que na condição monocultivo. A. hydrophila formou biofilme em todas as temperaturas e tanto em monocultivo, quanto em presença de S. aureus. A presença de S. aureus reduziu a quantidade de células sésseis de A. hydrophila em, pelo menos, dois ciclos logarítmicos, a partir do tempo 6 dias, em comparação ao monocultivo.
The microbial biofilm formation in surfaces used in food processing, like stainless steel, has been the focus in several researches in function of the injuries of its occurrence. These communities can act as constant point of contamination and cause other losses, as surface corrosion. In this context, Staphylococcus aureus and Aeromonas hydrophila are considered due these potential capacities to attach and form biofilm. The relevance of these species is associated to public health concerns and food deterioration. Based on the exposit, the aim of this research was to verify the capability of biofilm formation of Staphylococcus aureus and Aeromonas hydrophila in mono and multi-specie cultivation, using stainless steel AISI 304 as substrate and skim milk as aqueous phase, in three temperatures: 4, 7 and 18ºC. To monocultivation investigation were inoculated, approximately, 108 CFU/mL of BHI of each microorganism in 1000 mL of milk, in separated Becker, with a final population density of 105 CFU/mL. Inoculation only occurred in the initial time. Each Becker, containing 1000 mL of milk, one sterilized magnetic bar, ten 10x20 mm sterilized chips of stainless steel AISI 304 was incubated, under 60 rpm of agitation, for 10 days at 4, 7 e 18ºC, respectively. At each 48 hours 2 chips were collected and milk, Becker, and magnetic bar were substituted. Enumeration of sessile cells of S. aureus and A. hydrophila was conducted by plating in Baird-Parker agar and m-Aeromonas selective agar, added of ampicilin, respectively. Multi specie cultivation investigations were conducted as described above, with the difference of both microorganisms had been inoculated in the same Becker. Complementary studies included the generation time, enumeration of planktonic cells and visualization of chips by scanning electron microscopy. Treatments were set in a completely randomized split-plot design, with time in plot. Data were analyzed by statistic software SAS® (SAS Institute, 2007). S. aureus, in mono-cultivation, formed biofilm at 18ºC in 48 hours and at 7 in four days. At 4ºC only was observed attachment in stainless steel. In multi-specie cultivation with A. hydrophila, the performance of S. aureus was inferior. In this condition S.aureus only formed biofilm at 18ºC, two log units less tan mono-specie cultivation. A. hydrophila formed biofilm in all conditions. With the exception of 4ºC, in all temperatures the biofilm was formed in 48 hours. To 4ºC it formed in 4 days. At 18ºC, the presence of S. aureus reduced the number of sessile cells in two log units after 6 days, when compared with mono-specie cultivation performance of A. hydrophila.
URI: http://repositorio.ufla.br/jspui/handle/1/2802
Publisher: UNIVERSIDADE FEDERAL DE LAVRAS
???metadata.dc.language???: pt_BR
Appears in Collections:DCA - Ciência dos Alimentos - Doutorado (Teses)

Files in This Item:

File Description SizeFormat
TESE_Formação de biofilme em aço inoxidável por Aeromonas hydrophila e Staphylococcus aureus sob diferentes condições de cultivo.pdf1.96 MBAdobe PDFView/Open

Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.


View Statistics

 


DSpace Software Copyright © 2002-2010  Duraspace - Feedback