Use este identificador para citar ou linkar para este item: repositorio.ufla.br/jspui/handle/1/2822
Título: Valores energéticos de ingredientes proteícos para frangos de corte na fase pré-inicial
Título(s) alternativo(s): Energy values of protein feedstuffs for broiler chickens in the pre-initial phase
Autor : Soares, Kamila Ribas
Primeiro orientador: Bertechini, Antônio Gilberto
Primeiro membro da banca: Fassani, Édison José
Rodrigues, Paulo Borges
Fialho, Elias Tadeu
Área de concentração: Nutrição de Monogástricos
Palavras-chave: Energia metabolizavel
Alimento
Ingrediente protéico
Frango de corte
Fase pré-inicial
Broiler chickens
Pre-initial phase
Feedstuffs
Metabolizable energy
Data da publicação: 15-Ago-2014
Referência: SOARES, K. R. Valores energéticos de ingredientes protéicos para frangos de corte na fase pré-inicial. 2004. 52 p. Dissertação (Mestrado em Zootecnia)-Universidade Federal de Lavras, Lavras, 2004.
Resumo: Um experimento foi realizado no Setor de Avicultura da Universidade Federal de Lavras (UFLA), com duração de 7 dias, para determinar os valores energéticos e a digestibilidade de nutrientes em fontes protéicas para pintos de corte na fase pré-inicial. Utilizaram-se 480 pintos machos da linhagem Cobb, com 1 dia de idade, submetidos ao método tradicional de coleta total de excretas, distribuídos em 9 tratamentos com 6 repetições cada. A unidade experimental foi composta por 8 aves. Os tratamentos aplicados foram: 1- ração referência (RR); 2- RR com adição de farelo de soja; 3- RR com adição de soja integral tostada; 4- RR com adição da soja micronizada; 5- RR com farelo de glúten de milho; 6- RR com de farinha de carne e ossos 40; 7- RR com farinha de carne e ossos 45; 8- RR com farinha de peixe e 9- RR com farinha de vísceras. Os alimentos protéicos de origem vegetal substituíram a RR em 30% e os alimentos protéicos de origem animal em 20%. Simultaneamente, 6 repetições de 8 aves foram colocadas em jejum para a determinação das perdas endógenas. As variáveis analisadas foram os valores de energia metabolizável aparente (EMA), energia metabolizável verdadeira (EMV) e as EMA e EMV corrigidas para balanço de nitrogênio (EMAn e EMVn, respectivamente), assim como o coeficiente de digestibilidade aparente da matéria seca (CDAMS) dos alimentos. As fontes de origem vegetal apresentaram valores energéticos inferiores aos encontrados nas tabelas usuais de composição, enquanto as de origem animal apresentaram valores superiores. Os CDAMS dos alimentos apresentaram grande amplitude. Dos alimentos de origem vegetal, a soja micronizada apresentou o maior CDAMS (65,46%), enquanto que o farelo de soja, o menor (45,31%). Dos alimentos de origem animal, a farinha de peixe apresentou o mais alto CDAMS (71,10%) e a farinha de carne e ossos 45 o mais baixo (42,62%). Os valores encontrados da EMAn para o farelo de soja, soja integral tostada, soja micronizada e farelo de glúten de milho foram 2.365, 3.427, 4.022 e 3.762 kcal/kg de MS, respectivamente e, para FCO 40, FCO 45, farinha de peixe e farinha de vísceras foram 2.849, 2.065, 3.492 e 3.360 kcal/kg de MS, respectivamente.
An experiment was conducted in the Poultry Farm Sector of the Universidade Federal de Lavras (UFLA) with 7 days period duration to determine the energy values and the nutrient digestibility in protein sources for broiler chicks in the pre-initial phase. A total of 480 male chicks of the Cobb line with one day old submitted to the traditional method of total excreta collection, allotted to nine treatments with six replicates each. The experimental unit consisted of nine chickens. The treatments were: 1- reference diet (RD); 2-RD with the addition of soybean meal; 3- RD with the addition of toasted soybean meal; 4- RD with the addition of micronized soybean meal; 5- RD with corn gluten meal; 6- RD with meat and bone meal 40; 7 - RD meat and bone meal 45; 8 - RD with fish meat; 9- RD with viscera meal. The protein feeds of plant origin replaced RD by 30% and the protein feeds of animal origin by 20%. Simultaneously, six replicates of 8 birds were placed in fasting to determine endogenous losses. The analyzed variables were the values of apparent metabolizable energy (AME), true metabolizable energy (TME) and the nitrogen balance corrected AME and TME (AMEn and TMEn, respectively) as well as the dry mater apparent digestibility coefficient (DMADC) of feeds. The sources of plant origin shown energy values lower than those found in the usual composition tables while the one of animal origin presented higher values. The DMADCs of the feeds shown a large range. The micronized soybean shown the highest DMADC (65.46%) whereas soybean meal the lowest (45.31%). The feeds of animal origin fish meal presented the highest (71.10%) and meal and bone meal 45 the lowest (42.62%). The values found of AMEn for soybean meal, toasted soybean meal, micronized soybean and corn gluten meal were 2365, 3427, 4022 and 3762 kcal/kg of DM, respectively and for MBM 40, MBM 45, fish meal and viscera meal 2849, 2065, 3492 e 3360 kcal/kg de MS, respectively.
URI: http://repositorio.ufla.br/jspui/handle/1/2822
Publicador: UNIVERSIDADE FEDERAL DE LAVRAS
Idioma: pt_BR
Aparece nas coleções:DZO - Zootecnia - Mestrado (Dissertações)

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
DISSERTAÇÃO_Valores energéticos de ingredientes proteícos para frangos de corte na fase pré-inicial.pdf566,41 kBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.