Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.ufla.br/jspui/handle/1/31404
metadata.teses.dc.title: A APLICAÇÃO DO PRINCÍPIO DA INSIGNIFICÂNCIA E O DIREITO PENAL DO AUTOR: Uma Análise Do HC 123.108 do STF
metadata.teses.dc.creator: Pierangelli Murilha, Marina
metadata.teses.dc.contributor.advisor1: de Deus Garcia, Rafael
metadata.teses.dc.subject: Direito Penal; Jurisprudência; Princípio da Insignificância.
Criminal Law; Jurisprudence; Insignificant principle
metadata.teses.dc.date.issued: 11-Oct-2018
metadata.teses.dc.description.resumo: O princípio da insignificância pode ser visto como um dos meios de manter o direito penal mínimo, e que intervém apenas nas condutas que lesam os bens jurídicos tidos como mais importantes para o ordenamento jurídico e a sociedade. Essa proteção é um dos meios de trazer a segurança jurídica ao ordenamento jurídico e aplicação das leis. É nessa discussão que se insere o julgamento do Habeas Corpus 123.108 do Supremo Tribunal Federal, em 2015. Nesse julgamento, na plenária daquela corte, houve uma mudança acerca do entendimento jurisprudencial a respeito do princípio da insignificância, que culminou em uma análise pessoal do autor da conduta, fazendo prevalecer um direito penal de autor. Esse direito penal de autor se manifesta no entendimento dos ministros de que a aplicação do princípio da depende da análise do agente e de sua periculosidade. O entendimento que prevaleceu no julgado pode ser entendido como uma lesão à segurança jurídica e ao princípio da intervenção mínima.
metadata.teses.dc.identifier.uri: http://repositorio.ufla.br/jspui/handle/1/31404
metadata.teses.dc.publisher: Universidade Federal de Lavras
metadata.teses.dc.language: por
Appears in Collections:PRG - Direito (Trabalhos de Conclusão de Curso)

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Marina Pierangelli Murilha - TCC.pdf572,18 kBAdobe PDFView/Open


This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons