Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.ufla.br/jspui/handle/1/33913
metadata.teses.dc.title: CAMPANHA ELEITORAL: MARKETING POLÍTICO E ELEITORAL NOS LIMITES DAS CONDUTAS VEDADAS
metadata.teses.dc.creator: Teixeira Lima de Paula, Estella
metadata.teses.dc.contributor.advisor1: Augusto de Araújo Teixeira, Ricardo
metadata.teses.dc.subject: Campanha eleitoral. Marketing político. Marketing eleitoral. Persuasão. Propaganda eleitoral. Condutas vedadas. Eleições. Responsabilidade eleitoral.
Electoral campaign. Political marketing. Electoralmarketing. Persuasion Electora propaganda. Sealed ducts. Elections legitimacy of the Pleito. Electoral responsibility.
metadata.teses.dc.date.issued: 26-Apr-2019
metadata.teses.dc.description.resumo: A partir de uma revisão de literatura, esta monografia tem como objetivo fazer um estudo cronológico das eleições brasileiras, enfatizando a importância da presença de um marketing político eficaz no êxito das eleições. Ademais, faz-se necessário aprofundar os estudos das campanhas eleitorais na perspectiva do poder de persuasão que da efetividade às propagandas politico-eleitorais. Estas são de suma importância para a propagação da imagem e do ideal de um candidato ou partido. Os disputantes do pleito utilizam de diversos mecanismos para conquistar simpatizantes, ganhar a confiança do eleitorado e assim garantir o voto no dia da eleição. A discussão que se perpetua entre os cidadãos e também na Justiça Eleitoral é a existência de colisão de princípios como a liberdade de expressão e a igualdade, quando se analisa os diversos meios de difusão de ideais hodiernamente. Dessa forma, a existência da propaganda negativa, da propaganda extratemporal e a utilização desenfreada dos meios de comunicação de massa, fazem com que a Justiça Eleitoral reformule as limitações às campanhas a cada ano eleitoral. Enfim, a adoção da teoria do risco no que tange à responsabilidade eleitoral pelo TSE tornou-se alvo de críticas, o que se discute é o fato do candidato ser responsabilizado por ato de terceiros que beneficiaram sua campanha, mesmo sem que o próprio beneficiário tenha culpa ou conhecimento dos atos. Assim, a dimensão continental do Brasil associada à velocidade da propagação de informações nos atuais meios de comunicação é fator modificador do Marketing Político, e, portanto, o grande desafio da Justiça Eleitoral que preza pela legitimidade do pleito. Dadas às circunstâncias, as campanhas eleitorais se tornarão cada vez mais dependentes do efetivo marketing político e eleitorais. Por fim, a crescente autonomia das propagandas nas redes sociais acarretará uma notória modificação quanto à responsabilidade eleitoral, principalmente por ato de terceiro.
metadata.teses.dc.identifier.uri: http://repositorio.ufla.br/jspui/handle/1/33913
metadata.teses.dc.publisher: Universidade Federal de Lavras
metadata.teses.dc.language: por
Appears in Collections:PRG - Direito (Trabalhos de Conclusão de Curso)

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Estella Teixeira Lima de Paula - TCC.pdf810 kBAdobe PDFView/Open


This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons