Buscar

 

RI UFLA (Universidade Federal de Lavras) >
DCF - Departamento de Ciências Florestais >
DCF - Programa de Pós-graduação >
DCF - Engenharia Florestal - Mestrado (Dissertações) >

Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.ufla.br/jspui/handle/1/3466

Title: Aspectos ecofisiológicos da germinação e armazenamento de sementes de jerivá (Syagrus romanzoffiana) (Cham.) Glassman
Other Titles: Ecophysiological aspects of germination and storage of Jerivá (Syagrus romanzoffiana) (CHAM.) GLASSMAN seeds
???metadata.dc.creator???: Oliveira, Túlio Gabriel Soares
???metadata.dc.contributor.advisor1???: José, Anderson Cleiton
???metadata.dc.contributor.referee1???: Faria, José Marcio Rocha
Ribeiro, Leonardo Monteiro
???metadata.dc.description.concentration???: Ciências Florestais
Keywords: Palmeira
Banco de semente
Ácido abscísico
Giberelina
Dormência
Palm tree
Gibberellins
Soil seed bank
Ex situ conservation
Abscisic acid
Dormancy
In vitro culture
???metadata.dc.date.submitted???: 25-Feb-2014
Issue Date: 2014
???metadata.dc.description.sponsorship???: Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq)
Citation: OLIVEIRA, T. G. S. Aspectos ecofisiológicos da germinação e armazenamento de sementes de jerivá (Syagrus romanzoffiana) (Cham.) Glassman. 2014. 59 p. Dissertação (Mestrado em Engenharia Florestal – Ciências Florestais) - Universidade Federal de Lavras, Lavras, 2014.
???metadata.dc.description.resumo???: Objetivou-se, neste trabalho, investigar alguns aspectos ecofisiológicos da germinação e o armazenamento de sementes da palmeira jerivá (Syagrus romanzoffiana). No primeiro artigo, avaliou-se o efeito da temperatura (5ºC ou 20ºC) e do conteúdo de água inicial das sementes sobre a germinação e a viabilidade durante um ano de armazenamento. Modificações na germinabilidade e viabilidade também foram avaliadas durante um ano em sementes enterradas em campo, simulando um banco de sementes experimental. A temperatura e o tempo de armazenamento influenciaram a germinação e a viabilidade. O conteúdo de água inicial das sementes não influenciou as variáveis analisadas. A germinação e a viabilidade das sementes diminuíram ao longo do armazenamento, independente do método utilizado. Não foram observadas diferenças entre o percentual de embriões alongados (cultivo in vitro) entre os tratamentos após doze meses de armazenamento. No campo, o mesmo padrão de redução da viabilidade ao longo do tempo foi observado, com total perda de viabilidade após sete meses. Foi concluído que sementes de jerivá apresentam tolerância à dessecação e curta longevidade após a embebição, não sendo capazes de formar um banco de sementes persistente. No segundo artigo, avaliou-se a germinação e a absorção de água das sementes no interior de pirênios intactos ou escarificados na região do poro germinativo. A germinação das sementes e o alongamento in vitro dos embriões de sementes obtidas de frutos com diferentes estádios de maturação (verde, intermediário e maduro) armazenados ou recém-colhidos também foi avaliada. Os níveis endógenos de giberelinas e ácido abscísico de sementes obtidas de frutos verdes ou maduros foram mensurados em duas estruturas (opérculo e embrião). O endocarpo e as fibras do poro não restringem a absorção de água pela semente. A remoção das fibras do poro não proporciona incremento na germinação. Sementes obtidas de frutos recém-colhidos germinam em maiores porcentagens do que sementes armazenadas, sendo que sementes recém-colhidas de frutos intermediários ou maduros apresentam os maiores percentuais de germinação. Embriões cultivados in vitro apresentaram altos percentuais de alongamento, independente do armazenamento e do estádio de maturação. A análise dos hormônios evidenciou uma alta relação GAs/ABA tanto no embrião quanto no opérculo. Conclui-se que sementes de jerivá são dispersas em um estado não dormente e a diminuição da germinação em sementes armazenadas pode ser atribuída à dormência secundária e/ou aumento da susceptibilidade à deterioração.
The objective of this work was to investigate some ecophysiological aspects of germination and seed storage of queen palm (Syagrus romanzoffiana). In the first article, we evaluated the effect of temperature (5 ºC or 20ºC) and the initial water content of seeds on germination and viability during one year of storage. Changes in germinability and viability were also evaluated in buried seeds at the field, simulating an experimental seed bank. The temperature and storage time showed effects on germination rates and viability. The initial water content of the seeds did not affect seed longevity. Germination and seed viability decreased during storage, regardless of the method used. It was not observed differences in elongation of embryos (in vitro) between treatments after twelve months of storage. At the field, the same pattern of reduction of viability over time was observed with total loss of viability after seven months. It was concluded that queen palm seeds exhibit desiccation tolerance and short longevity after soaking, not being able to form a persistent seed bank. In the second article, it was evaluated the germination and water absorption of seeds inside intact or scarified pyrenes in the germ pore region. Seed germination and embryo elongation of seeds from fruits collected at different ripening stages (green, intermediate and mature) stored or freshly harvested was also evaluated. Endogenous levels of gibberellins and abscisic acid of seeds from fruits collected green or ripe (mature) were measured in two structures (operculum and embryo). The pore fibers did not restrict the absorption of water. Scarification of the fiber pore did not provide increase in germination. Seeds from freshly harvested fruits germinated at higher percentages than stored seeds. Freshly harvested seeds from fruits of intermediate maturation or fully ripe presented the highest percentage of germination. Embryos cultured in vitro showed high percentage elongation, independently of storage and ripening stage. Hormones analysis revealed a high ratio of GAs/ABA in both embryo and operculum. We conclude that queen palm seeds are dispersed in a non-dormant state and the decrease in germination in stored seeds may be attributed to secondary dormancy and/or increased susceptibility to deterioration.
Description: Dissertação apresentada à Universidade Federal de Lavras, como parte das exigências do Programa de Pós-Graduação em Engenharia Florestal, área de concentração em Ciências Florestais, para a obtenção do título de Mestre.
URI: http://repositorio.ufla.br/jspui/handle/1/3466
Publisher: UNIVERSIDADE FEDERAL DE LAVRAS
???metadata.dc.language???: pt_BR
Appears in Collections:DCF - Engenharia Florestal - Mestrado (Dissertações)

Files in This Item:

File Description SizeFormat
DISSERTAÇÃO Aspectos ecofisiológicos da germinação e armazenamento de sementes de jerivá (Syagrus romanzoffiana) (Cham.) Glassman.pdf366.6 kBAdobe PDFView/Open

Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.


View Statistics

 


DSpace Software Copyright © 2002-2010  Duraspace - Feedback