Use este identificador para citar ou linkar para este item: repositorio.ufla.br/jspui/handle/1/3607
Título: Avaliação de modelos empíricos para estimativa das perdas de água por evaporação e arraste em sistemas de aspersão convencional
Título(s) alternativo(s): Evaluation of empirical models for estimating evaporation and wind drift losses in conventional sprinkler systems
Autor : Beskow, Samuel
Primeiro orientador: Colombo, Alberto
Primeiro membro da banca: Pereira, Geraldo Magela
Miranda, Jarbas Honório de
Área de concentração: Irrigação e Drenagem
Palavras-chave: Irrigação por aspersão
Perdas de água
Simulação
Sprinkler irrigation
Water losses
Simulation
Data da publicação: 8-Set-2014
Referência: BESKOW, S. Avaliação de modelos empíricos para estimativa das perdas de água por evaporação e arraste em sistemas de aspersão convencional. 2006. 94 p. Dissertação (Mestrado em Engenharia Agrícola)-Universidade Federal de Lavras, Lavras, 2006.
Resumo: The objectives of this work were: (i) to determine evaporation and drift losses during single-sprinkler and block irrigation outdoor tests held at different climatic conditions, with different sprinkler models operating at different pressures; (ii) to compare observed values of evaporation and wind drift losses with values predicted by five different empirical models; (iii) to identify sprinkler characteristics (jet angle, nozzle size and operational pressure) that may be used to identify those empirical models that provide adequate approximation of the observed losses; (iv) to analyze the need to fit parameters of specific models in order to perform better predictions than the ones provided by the selected empirical models. Four different sprinkler models, representing different combinations of nozzle size and jet angles, were used: 1 - Agropolo NY-7 ER (4.6 x 4 mm and 7º); 2- Agropolo NY-12 (3.5 mm and 12º); 3 - Naan (3.0 mm and 12º), and 4 - Agropolo NY-25 (2.8 mm x 2.5 mm and 25º). Observed and estimated values of evaporation and wind drift losses were computed with the help of two softwares, written in Object Pascal (Delphi 6.0 graphic environment), one for the computation of evaporation and drift losses during outdoor tests and other for computation of evaporation and drift losses according to the five different empirical models considered. Field trials showed that losses observed at single tests (average values of 8.5, 36.5, 40.3, and 39.8% for, respectively, sprinkler 1, 2, 3, and 4) are greater than the ones observed on block irrigation tests (average values of 4.7, 13.6, 20.2, and 18.9% for, respectively, sprinkler models 1, 2 , 3, and 4). There is no good correlation between observed and predicted values. Some exceptions to this general trend were observed. For the sprinkler 1, Trimmer (1987) and Yazar (1984) empirical models were able to approximate losses observed during block irrigation tests, while Tarjuelo et al. (2000) and Playán et al. (2005) models were able to approximate losses observed during single sprinkler tests. For the sprinkler 2, Playán et al. (2005) model was able to approximate losses observed during block irrigation tests, while Seginer et al. (1991) model was able to approximate losses observed during single sprinkler tests. Seginer et al. (1991) model was also able to approximate losses observed during block irrigation tests held with the sprinkler 3. For each one of the four sprinkler models tested, it was developed two specific models, one for single-sprinkler and other for block-irrigation. A multiple regression technique was used to develop equations for each specific condition. Selection of the best empirical models for estimating drift and evaporation losses under set sprinkler systems must consider sprinkler model (jet angle, nozzle size and pressure) and operational condition (single sprinkler or block operation).
Os objetivos deste trabalho foram: (i) determinar as perdas de água por evaporação e arraste durante ensaios de campo com um único aspersor e também com laterais de aspersores, sob diferentes condições climáticas, com diferentes modelos de aspersores operando a diferentes pressões; (ii) comparar os valores observados de perdas de água por evaporação e arraste com os valores previstos por cinco modelos empíricos; (iii) identificar características do aspersor (ângulo do jato, diâmetro de bocal e pressão de operação) que podem ser usadas para identificar aqueles modelos empíricos que fornecem aproximação adequada das perdas observadas; (iv) analisar a necessidade de ajustar parâmetros dos modelos específicos a fim de apresentar melhores predições do que as obtidas pelos modelos empíricos selecionados. Quatro diferentes modelos de aspersores, representando diferentes combinações de diâmetro de bocal e ângulo de jato, foram usados: 1 - Agropolo NY-7 ER (4,6 mm x 4 mm e 7º); 2- Agropolo NY-12 (3,5 mm e 12º); 3 - Naan (3,0 mm e 12º), e 4 - Agropolo NY-25 (2,8 mm x 2,5 mm e 25º). Valores observados e estimados de perdas de água por evaporação e arraste foram computadas com o auxílio de dois aplicativos computacionais, escritos em Object Pascal (ambiente gráfico Delphi 6.0), um para a determinação das perdas de água por evaporação e arraste durante testes de campo e o outro, para determinação das perdas de água por evaporação e arraste segundo os cinco diferentes modelos empíricos considerados. Testes de campo mostraram que as perdas observadas em ensaios com um único aspersor (valores médios de 8,5, 36,5, 40,3 e 39,8% para, respectivamente, aspersor 1, 2, 3 e 4) foram maiores do que as perdas observadas em ensaios com laterais de aspersores (valores médios de 4,7, 13,6, 20,2 e 18,9% para, respectivamente, aspersor 1, 2, 3 e 4). Os valores observados e os previstos não apresentaram boa correlação. Algumas exceções a esta tendência geral foram observadas. Para o aspersor 1, os modelos empíricos de Trimmer (1987) e Yazar (1984) foram capazes de aproximar as perdas observadas durante os testes com laterais de aspersores, enquanto os modelos de Tarjuelo et al. (2000) e Playán et al. (2005) foram capazes de aproximar as perdas obtidas em testes com um único aspersor. Para o aspersor 2, o modelo de Playán et al. (2005) foi capaz de aproximar as perdas observadas durante testes com laterais de aspersores, equanto o modelo de Seginer et al. (1991) conseguiu aproximar bem as perdas observadas durante os testes com um único aspersor. O modelo de Seginer et al. (1991) representou bem também as perdas observadas durante os testes com laterais de aspersores quando da utilização do aspersor 3. Para cada um dos quatro modelos de aspersores testados, foram desenvolvidos dois modelos específicos, um para representar as perdas obtidas em testes com um único aspersor e outro para representar as perdas obtidas em testes com laterais de aspersores. Um processo de regressão múltipla foi usado para gerar as equações para cada condição específica. A seleção dos melhores modelos empíricos para a estimativa das perdas de água por evaporação e arraste em irrigação por aspersão, deve considerar o modelo do aspersor (ângulo do jato, diâmetro de bocal e pressão de operação) e a condição operacional (operação de um aspersor ou laterais de aspersores).
URI: http://repositorio.ufla.br/jspui/handle/1/3607
Publicador: UNIVERSIDADE FEDERAL DE LAVRAS
Idioma: pt_BR
Aparece nas coleções:DEG - Engenharia Agrícola - Mestrado (Dissertações)



Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.