Use este identificador para citar ou linkar para este item: repositorio.ufla.br/jspui/handle/1/3920
Título: Níveis de energia em rações formuladas com o conceito de proteina ideal suplementadas com fitase para frangos de corte
Título(s) alternativo(s): Energy levels in diets formulated with the ideal protein concept and supplemented with phytase for broiler chickens
Autor : Nagata, Adriano Kaneo
Primeiro orientador: Rodrigues, Paulo Borges
Primeiro membro da banca: Freitas, Rilke Tadeu Fonseca de
Albino, Luiz Fernando Teixeira
Bertechini, Antônio Gilberto
Fialho, Elias Tadeu
Rodrigues, Kênia Ferreira
Área de concentração: Nutrição de monogástricos
Palavras-chave: Frango de corte
Nutrição de monogástrico
Energia Metabolizável Aparente
Broiler chickens
Nutrition of monogastrics
Apparent metabolizable energy
Data da publicação: 24-Set-2014
Referência: NAGATA, A. K. Níveis de energia em rações formuladas com o conceito de proteína ideal e suplementadas com fitase para frangos de corte. 2007. 198 p. Tese (Doutorado em Zootecnia)-Universidade Federal de Lavras, Lavras, 2007.
Resumo: Experiments in the Poultry Farming Sector of the Animal Science Department of the Federal University of Lavras were realized. The first experiment was conducted to evaluate the effect of levels of corrected apparent metabolizable energy (AMEn) and reduced levels of crude protein (CP), available phosphorus (AP) and calcium (Ca) in diets supplemented with phytase for broiler chickens over the period of 1 to 21 days of age on performance, the energy values of the diets, digestibility and excretion of nutrients. A factorial schedule 2 x 4 + 1 was utilized, being 2 nutrient levels (level I = 17.0% of CP, 0.34% of AP and 0.80% of Ca and level II = 19.0% of CP, 0.26% of AP and 0.80% of Ca), 4 levels of AMEn (2850; 2950; 3050 and 3150 kcal/kg) and more one control diet with normal nutrient levels, for comparison effect. The birds which were fed the experimental diets showed performance inferior to those fed the control diet. There was no interaction among the nutrient levels and the AMEn levels for the performance characteristics. The nutrient levels influenced feed intake (FI), weight gain (WG) and feed conversion (FC), better performance result being found the birds fed the diet with 17.0% of CP and 0.34% of AP. This result is due, mainly, to the low AP (0.26%) content in the diet with 19.0% of CP. The levels of AMEn influenced both FI and FC, showing a growing linear effect for the variables. The energy values of the diets stayed, on the average, 97 kcal/kg of natural matter bellow the ones calculated. In general, the birds fed the control diet presented increased intake and excretion of minerals in relation to the ones which were fed the experimental diets. In relation to the retention coefficient, the birds which consumed the experimental diets presented values similar or higher than those which consumed the control diet. Those results indicate that reduced levels of CP and the supplementation with phytase in diets with 3000 kcal of AMEn/kg reduce the environmental impact caused by the bird excreta, but it affect negatively the broiler chicken´s performance in the period of 1 to 21 days of age. In the second trial were used chicks of 1 to 21 days of age distributed in a completely randomized design. The treatments were: T1: control diet of 21.1% of CP and 3000 kcal of AMEn/kg; T2: diet of 17.0% of CP and 3000 kcal of AMEn/kg ; T3: diet of 19.0% of CP and 2900 kcal of AMEn/kg; T4: diet of 19.0% of CP and 3000 kcal of AMEn/kg; T5: diet of 19.0% of CP and 3100 kcal of AMEn/kg. Except of control diet, the diets were formulated with 0.34% of AP, 0.80% of Ca and supplemented with phytase. There were no significant differences for WG, but, worse FC was found for birds which were given the diet with 17.0% of CP. The birds fed the diets with 19.0% of CP and 3000 or 3100 kcal of AMEn/kg showed performance results similar to those which consumed the control diet. The AMEn values of the diets presented no significant differences. In all the minerals studied, the birds fed the control diet showed increased intake and excretion, except for the excretion of Ca which was similar to those fed the experimental diets. In relation to the retention coefficient, the birds fed the experimental diets retained more P, K, Cu and Zn than the birds which consumed the control diet. Nevertheless, retention of Ca e K was lower for the birds consuming the experimental diets. N retention proved similar among the treatments. Thus, can concluded that the diets with 19.0% of CP and 3000 kcal of AMEn/kg supplemented with phytase did not affect the broilers´ performance of 1 to 21 days of age and decreased the environmental impact caused by the birds´ excretion. In the third experiment, the performance, nutrient digestibility and carcass characteristics of broiler chickens were evaluated in the period of 22 to 44 days of age. The experimental design was completely randomized in a 3 x 3 + 1 factorial schedule, combining three levels of AMEn (2950; 3100 and 3250 kcal/kg) and three levels of CP (14.0; 16.0 and 18.0%, with 0.30% of AP and 0.70% of Ca, supplemented with phytase). At 42 days of age, 2 birds with the same average weight of the flock were slaughtered to evaluate the carcass characteristics and centesimal composition of the breast meat. There was no interaction (P>0.05) among the CP levels and the AMEn levels for the performance characteristics. The levels of AMEn influenced both FI and FC, observing lower FI and better FC at the level of 3250 AMEn/kg. The levels of CP influenced WG and FC, where higher WG was found for the birds fed the diets with 16.0 and 18.0% of CP. However, a better FC was found for the birds consuming diets with 18.0% of CP. Compared with the control diet, the birds fed the diets with 14.0% of CP and 2950 kcal of AMEn/kg presented lower performance. The birds which consumed the diets of 16.0% of CP and 3100 kcal of AMEn/kg showed less excretion and greater retention of minerals. It was found that, the diets with 16.0 or 18.0% of CP and 3100 kcal of AMEn/kg, supplemented with phytase, made the decrease of environmental impact possible, reducing the absolute excretion of P, Ca, N, K, Cu and Zn. The levels of AMEn recommended by the national literature (3100 kcal/kg) are adequate to meet broiler chickens´ requirements in growing phase (22 to 42 days). The birds fed the experimental diets showed similar values of carcass, breast and thigh yields in relation to the control diet. The levels of AMEn and CP of the diet did not affect the yields of carcass, breast and thigh plus drumstick. However, for the 14.0% CP diet, there was an increase in the abdominal fat deposition of the chickens´ carcass at 42 days old. The moisture, protein deposition and ash content of the breast meat of the chickens were not affected by the levels of CP and AMEn of the diets. Nevertheless, the reduction of the protein level to 14.0% and the increase of the level of AMEn of the diet increased the ether extract content of the pectoralis major muscle. It was concluded that the reduction of the CP content to 16.0% in diets with 3100 kcal of AMEn/kg does not affect the carcass characteristics of broiler chickens at 42 days old and either the chemical composition of chicken breast meat.
Realizaram-se experimentos no Setor de Avicultura do Departamento de Zootecnia da Universidade Federal de Lavras. O primeiro experimento foi conduzido para avaliar o efeito de níveis de energia metabolizável aparente corrigida (EMAn) e níveis reduzidos de proteína bruta (PB), de fósforo disponível (Pd) e de cácio (Ca) em rações suplementadas com fitase para frangos de corte no período de um a 21 dias de idade, sobre o desempenho, os valores energéticos das rações, a digestibilidade e a excreção de nutrientes. Utilizou-se um esquema fatorial 2 x 4 + 1, sendo 2 níveis nutricionais (nível I = 17,0% de PB, 0,34% de Pd e 0,80% de Ca e nível II = 19,0% de PB, 0,26% de Pd e 0,80% de Ca), 4 níveis de EMAn (2850, 2950, 3050 e 3150 kcal/kg) e mais uma ração controle, com níveis nutricionais normais, para efeito de comparação. As aves que receberam as rações experimentais apresentaram desempenho inferior àquelas alimentadas com a ração controle. Não houve interação entre os níveis nutricionais e os níveis de EMAn para as características de desempenho. Os níveis nutricionais influenciaram o consumo de ração (CR), o ganho de peso (GP) e a conversão alimentar (CA), observando-se melhor resultado de desempenho para as aves que consumiram a ração com 17,0% de PB e 0,34% de Pd. Este resultado se deve principalmente ao baixo teor de Pd (0,26%) na ração com 19,0% de PB. Os níveis de EMAn influenciaram o CR e a CA, mostrando efeito linear crescente para as variáveis. Os valores de energia das rações ficaram, em média, 97 kcal/kg de matéria natural abaixo dos valores calculados. Em geral, as aves que receberam a ração controle apresentaram maior consumo e maior excreção de minerais em relação às que receberam as rações experimentais. Em relação ao coeficiente de retenção, as aves que consumiram as rações experimentais apresentaram valores semelhantes ou maiores que aquelas que consumiram a ração controle. Estes resultados indicam que a redução dos níveis de PB e a suplementação com fitase, em rações com 3000 kcal de EMAn/kg, reduzem o impacto ambiental causado pelos dejetos de aves, porém, afeta negativamente o desempenho de frangos de corte no período de um a 21 dias de idade. No segundo experimento utilizou-se frangos de corte no período de um a 21 dias de idade distribuídos em delineamento inteiramente casualizado. Os tratamentos foram: T1: ração controle com 21,1% de PB e 3000 kcal de EMAn/kg; T2: ração com 17,0% de PB e 3000 kcal de EMAn/kg; T3: ração com 19,0% de PB e 2900 kcal de EMAn/kg; T4: ração com 19,0% de PB e 3000 kcal de EMAn/kg; T5: ração com 19,0% de PB e 3100 kcal de EMAn/kg. Com exceção da ração controle, as demais rações foram formuladas com 0,34% de Pd, 0,80% de Ca e suplementadas com fitase. Não houve diferenças significativas para o GP, porém, foi observado pior CA para as aves que receberam a ração com 17,0% de PB. As aves que receberam as rações com 19,0% de PB e 3000 ou 3100 kcal de EMAn/kg apresentaram resultados de desempenho semelhantes àquelas que consumiram a ração controle. Os valores de EMAn das rações não apresentaram diferenças significativas. Em todos os minerais estudados, as aves que receberam a ração controle apresentaram maior consumo e maior excreção, exceto para a excreção de Ca que foi semelhante àquelas que receberam as rações experimentais. Em relação ao coeficiente de retenção, as aves que receberam as rações experimentais retiveram mais P, K, Cu e Zn do que as aves que consumiram a ração controle. Entretanto, a retenção de Ca e de K, foram menores para as aves que consumiram as rações experimentais. A retenção de N se mostrou semelhante entre os tratamentos. Com isso, pode-se concluir que as rações com 19,0% de PB e 3000 kcal de EMAn/kg, suplementadas com fitase, não afetam o desempenho de frangos de corte de 1 a 21 dias de idade e reduz o impacto ambiental causado pelas excreções das aves. No terceiro experimento avaliou-se o desempenho, a digestibilidade de nutrientes e as características de carcaça de frangos de corte no período de 22 aos 42 dias de idade. O delineamento experimental foi inteiramente casualizado, num esquema fatorial 3 x 3 + 1, combinando-se três níveis de EMAn (2.950; 3.100 e 3.250 kcal/kg) e três níveis de PB (14,0; 16,0 e 18,0%, com 0,30% de Pd e 0,70% de Ca, suplementadas com fitase), os quais foram comparados à uma ração controle, com níveis nutricionais normais. Aos 42 dias de idade, duas aves com peso médio da parcela foram abatidas para avaliarem-se as características de carcaça e a composição centesimal da carne de peito. Não houve interação (P>0,05) entre os níveis de PB e os níveis de EMAn para as características de desempenho. Os níveis de EMAn influenciaram o CR e a CA, observando-se menor CR e melhor CA ao nível de 3250 kcal de EMAn/kg. Os níveis de PB influenciaram o GP e a CA, onde foi observado maior GP para as aves que receberam as rações com 16,0 e 18,0% e PB. Porém, uma melhor CA foi observada para as aves que consumiram as rações com 18,0%. Comparado à ração controle, as aves que receberam as rações com 14,0% de PB e 2.950 kcal de EMAn/kg apresentaram desempenho inferior. As aves que consumiram rações 16,0% de PB e 3100 kcal de EMAn/kg apresentaram menor excreção e maior retenção de minerais. Constatou-se que as rações com 16,0 ou 18,0% de PB e 3100 kcal de EMAn/kg, suplementadas com fitase, possibilitam a diminuição do impacto ambiental, reduzindo a excreção absoluta de P, de Ca, de N, de K, de Cu e de Zn, sem efeito negativo sobre o desempenho de frangos de corte no período de 22 a 42 dias de idade. Os níveis de EMAn recomendados pela literatura nacional (3100 kcal/kg) estão adequados para atender às exigências de frangos de corte na fase de crescimento (22 a 42 dias de idade). As aves que receberam as rações experimentais apresentaram valores semelhantes de rendimento de carcaça e de partes em relação à ração controle. Os níveis de EMAn e de PB da ração não afetaram os rendimentos de carcaça, de peito e de coxa mais sobrecoxa. Entretanto, para a ração com 14,0% de PB houve aumento na deposição de gordura abdominal da carcaça de frangos aos 42 dias de idade. A umidade, a deposição protéica e o teor de cinzas da carne do peito dos frangos não foram afetadas pelos níveis de PB e de EMAn das rações. Entretanto, a redução do nível protéico para 14,0% e o aumento do nível de EMAn da ração, aumentaram o teor de extrato etéreo do músculo pectoralis major. Conclui-se que, a redução do teor de PB para 16,0% em rações com 3100 kcal de EMAn/kg, não afeta as características de carcaça de frangos de corte aos 42 dias de idade e nem a composição química da carne de peito de frangos.
URI: http://repositorio.ufla.br/jspui/handle/1/3920
Publicador: UNIVERSIDADE FEDERAL DE LAVRAS
Idioma: pt_BR
Aparece nas coleções:DZO - Zootecnia - Doutorado (Teses)



Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.