Use este identificador para citar ou linkar para este item: repositorio.ufla.br/jspui/handle/1/4091
Título: Características morfogênicas e estruturais de amendoim forrageiro e capim-marandu em consórcio
Autor : Sá, Olavo Augusto Arquimed Lopes de
Primeiro orientador: Evangelista, Antonio Ricardo
Primeiro membro da banca: Barbero, Leandro Martins
Pereira, Lilian Elgalise Techio
Área de concentração: Nutrição e Produção de Ruminantes-Forragicultura e Pastagens
Palavras-chave: Arachis pintoi
Pastos consorciados
Manejo do pasto
Mixed pastures
Pasture management
Data da publicação: 2014
Agência(s) de fomento: Fundação de Amparo à Pesquisa do estado de Minas Gerais (FAPEMIG)
Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPQ)
Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES)
Referência: SÁ, O. A. A. L. de. Características morfogênicas e estruturais de amendoim forrageiro e capim-marandu em consórcio. 2013. 178 p. Dissertação (Mestrado em Zootecnia) - Universidade Federal de Lavras, Lavras, 2013.
Resumo: Objetivou-se com esse trabalho desenvolver modelos matemáticos para estimar a área da folha do Arachis pintoi e descrever características morfogênicas e estruturais de pastos de capim-marandu consorciado com amendoim forrageiro submetidos a diferentes alturas de dossel. Os experimentos foram conduzidos na Universidade Federal de Lavras, MG. Foram utilizados 837 folíolos para definir um modelo de predição da área da folha do A. pintoi, e a simetria de 786 pares de folíolos foi testada por meio de medidas lineares e de área. Em outro experimento, haviam quatro alturas do dossel: 10, 20, 30 e 40 cm de pastos de capim-marandu consorciados com amendoim forrageiro cv. Belmonte em blocos casualizados com quatro repetições, nas quatro estações do ano em 2012-2013. Foram realizadas avaliações morfogênicas, índice de área foliar (IAF) e a distribuição vertical dos componentes no dossel. A área da superfície dos folíolos de A. pintoi é idêntica à forma geométrica de uma elipse e sua eficácia foi comprovada por meio de testes entre parâmetros da equação gerada e o modelo de identidade: H0:β0 = 0 (P=0,6132) e H0:β1 = 1 (P=0,3109). Da mesma forma, foi comprovada a igualdade entre os pares de folíolos apicais e basais na folha. Em leguminosas, verificou-se um balanço positivo entre taxa de alongamento (TALF) e senescência (TSF) de folhas nas estações de primavera e verão, ao contrário do inverno, no qual a TSF foi maior que a TALF, resultando numa redução da massa de folhas. O IAF da leguminosa foi seis vezes maior para a menor altura de dossel (10 cm) em relação à maior (40 cm). Nos dosséis de 10 cm de altura, a frequência de toques em leguminosa foi maior que nas demais alturas em todas as estações, e chegou a equivaler 50% em alguns estratos do dossel no verão. Portanto, para mensuração do alongamento ou senescência de folhas de amendoim forrageiro, deve-se utilizar o modelo 2 para predizer a área, e avaliar os folíolos “A” e “C” da folha. Dosséis manejados com menores alturas possibilitam um melhor estabelecimento da leguminosa em pastos consorciados com gramíneas.
The objective of this work was to develop mathematical models to estimate the leaf area of Arachis pintoi and describe morphogenetic and structural characteristics in pastures of marandugrass mixed with peanut forage subjected different canopy heights. The experiments were conducted at University of Lavras, MG. Were used 837 leaflets to define a model for predicting of leaf area of Arachis pintoi, and the symmetry of 786 pairs of leaflets was tested by measures linear and of area. In other experiment, the treatments were four canopy heights: 10, 20, 30 and 40 cm of pastures of marandugrass mixed with forage peanut cv. Belmonte in randomized blocks design with four replications in four seasons in 2012-2013. Were carried out morphogenetic evaluations in grasses and legumes, leaf area index (LAI) and the vertical distribution of canopy components. The surface area of the leaflets of A. pintoi is identical to the geometric shape of an ellipse and its effectiveness was proven by testing between equation parameters generated and the model identity: H0:β0 = 0 (P=0,6132) e H0:β1 = 1 (P=0,3109). In the same way, it was proven equality between the pairs apical and basal leaflets in the leaf. In legumes, verified a positive balance between elongation rate (LELR), and senescence (LSR) from the leaves in spring and summer seasons, as opposed to winter, in which the LSR was greater than LELR, resulting in a reduction of the mass of leaves. The LAI of legume was six times higher for the lowest height in relation to canopy of 40 cm, with a tendency to decrease with increasing heights. In canopies of 10 cm., the frequency of touches in legumes was higher than in other heights in all seasons , and reached equate 50% in some canopy strata in summer. Therefore, to measure the elongation or senescence of leaves of peanut forage, should be used the model 2 to predict the area, and evaluate the leaflets " A" and " C " of leaf. Canopies handled with smaller heights allow for better establishment of legumes in mixed pastures with grasses.
metadata.teses.dc.description: Dissertação apresentada à Universidade Federal de Lavras, como parte das exigências do Programa de Pós-Graduação em Zootecnia, área de concentração em Nutrição e Produção de Ruminantes-Forragicultura e Pastagens, para a obtenção do título de Mestre.
URI: http://repositorio.ufla.br/jspui/handle/1/4091
Publicador: UNIVERSIDADE FEDERAL DE LAVRAS
Idioma: pt_BR
Aparece nas coleções:DZO - Zootecnia - Mestrado (Dissertações)



Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.