Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.ufla.br/jspui/handle/1/4196
metadata.teses.dc.title: Relação lisina digestível:Proteína bruta em dietas para frangos de corte
metadata.teses.dc.title.alternative: Digestible lysine: crude protein ratio in diets for broiler chickens
metadata.teses.dc.creator: Rodrigues, Kênia Ferreira
metadata.teses.dc.contributor.advisor1: Rodrigues, Paulo Borges
metadata.teses.dc.contributor.referee1: Freitas, Rilke Tadeu Fonseca de
Albino, Luiz Fernando Teixeira
Bertechini, Antônio Gilberto
Fassani, Édison José
metadata.teses.dc.description.concentration: Nutrição de Monogástricos
metadata.teses.dc.subject: Frango de corte - Alimentação e rações
Frango de corte - Exigência nutricional
Frango de corte - Suplementos dietéticos
Ave doméstica - Nutrição
metadata.teses.dc.date.issued: 30-Sep-2014
metadata.teses.dc.identifier.citation: RODRIGUES, K. F. Relação lisina digestível: proteína bruta em dietas para frangos de corte. 2006. 123 p. Tese (Doutorado em Zootecnia)-Universidade Federal de Lavras, Lavras, 2006.
metadata.teses.dc.description.resumo: Foram conduzidos três ensaios, dois de desempenho e um de metabolismo, para avaliar o efeito de diferentes relações lisina digestível:proteína bruta para frangos de corte na fase inicial (1 a 21 dias) e de crescimento (22 a 42 dias) sobre o desempenho das aves, rendimento de carcaça e partes, qualidade química e física da carne do peito e sobre os valores de energia metabolizável aparente corrigida pelo nitrogênio retido (EMAn), coeficientes de digestibilidade aparente da matéria seca (CDMS), consumo, excreção e coeficiente de retenção aparente de nitrogênio (N). Na fase inicial as rações foram isonutrientes, com exceção dos níveis de proteína e lisina digestível, formuladas com três níveis de PB e quatro relações lisina digestível:proteína bruta. Na fase de crescimento as rações foram isonutrientes, com exceção dos níveis de proteína e lisina digestível, formuladas com dois níveis de PB e cinco relações lisina digestível:proteína bruta. No primeiro ensaio, as rações foram fornecidas a cinco repetições de 30 aves cada e, aos 21 dias de idade, avaliou-se consumo de ração, ganho de peso, conversão alimentar e rendimento de carcaça. O consumo de ração diminuiu linearmente com as relações avaliadas dentro do nível de 21,5 % de PB. Observou-se um comportamento linear do ganho de peso nas relações de lisina dentro dos níveis de 18,5 % e 21,5 % de proteína bruta. A conversão alimentar foi influenciada linearmente (P<0,01) pelas relações de lisina dentro dos três níveis de PB estudados. O rendimento de carcaça aumentou de forma linear no nível de 15,5%. No ensaio de metabolismo de 14 a 21 dias de idade, as relações lisina digestível:proteína bruta apresentaram efeito significativo para EMAn, dentro dos três níveis de PB, com efeito quadrático nos níveis 15,5% e 18,5%, e no nível de 21,5% de PB apresentou um efeito linear.Não houve efeito significativo sobre a excreção de nitrogênio para os níveis de 15,5 e 21,5% de PB, enquanto, dentro do nível de 18,5% de PB, houve um aumento linear da excreção de nitrogênio com o aumento das relações. No ensaio na fase de crescimento, foram utilizados 1200 pintos de corte machos da linhagem Cobb, que foram criados até 21 dias de idade em um galpão experimental, recebendo uma ração à base de milho e farelo de soja com os níveis nutricionais recomendados para esta fase. Aos 21 dias de idade, as aves foram uniformizadas por peso (peso médio de 87916g) e distribuídas nos boxes a fim de se obter uma distribuição uniforme. As aves foram distribuídas em 6 repetições de 20 aves cada. Aos 42 dias avaliaram-se as características de desempenho (ganho de peso, consumo de ração e conversão alimentar), quando duas aves de cada parcela foram abatidas para determinação do rendimento (cortes e gordura abdominal) e qualidade química e física da carne do peito. No consumo de ração e conversão alimentar, as relações avaliadas apresentaram um comportamento linear para os níveis de lisina dentro do nível de 17,0% de PB. Não houve efeito significativo das diferentes relações sobre ganho de peso, rendimento de carcaça e de partes. Não foram encontrados efeitos significativos (P>0,05) dos diferentes níveis estudados sobre as características físicas da carne. Nas características químicas, observou-se um efeito significativo, dentro do nível de 19,5% de PB, com um aumento linear da deposição de proteína na carne de peito, não ocorrendo diferenças significativas (P>0,05) para os demais nutrientes. Conclui-se que não há uma relação ideal de lisina digestível:proteína bruta que atenda ao máximo desempenho nas diversas fases de criação, inicial e crescimento, cada nível de proteína bruta apresenta uma relação ideal para as diferentes variáveis estudadas. Considerando o ganho de peso, as melhores relações foram 6,8 e 5,9%, respectivamente para os níveis de 18,5 e 21,5% de PB na fase inicial, e 5,9 e 5,3% para os níveis de 17,0 e 19,5% de PB nas fases de crescimento. O nível de proteína na dieta de frangos pode ser reduzido até 18,5% de PB na fase inicial e 17,0% de PB na fase de crescimento sem afetar o desempenho, o rendimento de carcaça e a qualidade da carne do peito, dentro do conceito de proteína ideal. A redução da proteína bruta da dieta reduz o consumo de nitrogênio e reduz em 24% a excreção de nitrogênio pelas aves na fase inicial
Three trials were carried, being two of performance and one of metabolism to evaluate the effect of different digestible lysine: crude protein ratios for broiler chickens in the initial phase (1 to 21 days) and growing phase (22 to 42 days) on the birds´ performance, carcass and part yield, chemical and physical quality of the breast meat and on the values of apparent metabolizable energy corrected by retained nitrogen (EMAn), coefficients of apparent digestibility of dry matter (CDMS), intake, excretion and coefficient of apparent nitrogen retention (N). in the initial phase, the diets were isonutrient, with exception of the levels of protein and digestible lysine, formulated with three levels of CP and four digestible lysine : crude protein ratios. In the growing phase, the diets were isonutrient, with exception of the levels of protein and digestible lysine, formulated with two levels of CP and five digestible lysine: crude protein ratios. In the trial, the diets were fed to five replicates of 30 birds each and, at 21 days old, feed intake, weight gain, feed conversion and carcass yield were evaluated. Feed intake decreased linearly with the ratios evaluated within the level of the levels of 21.5 % of CP. A linear behavior of weight gain at the ratios of lysine within the levels of 18.5 % and 21.5 % of crude protein was found. Feed conversion was influenced linearly (P<0.01) by the ratios of lysine within the three levels of CP studied. Carcass yield linearly increased at the 15.5% level. In the metabolism trial of 14 to 21 days of age, the digestible lysine : crude protein ratios showed a significant quadratic effect for EMAn, within the three levels of CP, with a quadratic effect at the levels 15.5% and 18.5%, and at the level of 21.5% of CP it showed a linear effect. There were no significant effects on the nitrogen excretion for the levels of 15.5 and 21.5% of CP, whilst within the level of 18.5% of CP, there was a linear increase of nitrogen excretion with increasing ratios. In the trial in the growing phase, 1200 male broiler chicks of the Cobb strain were utilized, which were reared up to 21 days old in an experimental house, being given a corn and soybean meal-based diet with the nutrient levels recommend for this phase. At 21 days old, the birds were uniformized per weight (average weight of 87916g) and distributed into the boxes in order to obtain a uniform distribution of the birds. The birds were distributed to six replicates of 20 birds each. At 42 days, performance characteristics (weight gain, feed intake and feed conversion), when two birds of each plot were slaughtered for determining yield (cuts and abdominal fat) and chemical and physical quality of the breast meat. In feed intake and feed conversion, the ratios evaluated showed a linear behavior for the levels of lysine within the level of 17.0% of CP. There was no significant effect of the different ratios on weight gain, carcass and part yield. No significant effects (P>0.05) of the different levels of studied on the physical characteristics of meat were found. In the chemical characteristics, a significant effect was found, within the level of 19.5% of CP, with a linear increase o protein deposition in the breast meat, there being no significant differences (P>0.05) for the other nutrients. It was concluded that there is not ideal digestible lysine: crude protein ratios which should meet the maximum performance in the several phases of rearing, initial and growing; each level of crude protein presents an ideal ratio for the different variables studied. According to weight gain, the best ratios were 6.8 and 5.9% respectively for the levels of 18.5 and 21.5% of CP in the initial phase and 5.9 and 5.3% for the levels of 17.0 and 19.5% of CP, in the growing phase. The level of protein in the broiler´s diet in the initial phase can be reduced up to 18.5% of CP in the initial phase and 17.0% of CP in the growing phase, without affecting performance, carcass yield and breast meat quality, within the ideal protein concept. The reduction of crude protein in the diet reduces both consumption and nitrogen excretion by the birds in the initial phase by 24%.
metadata.teses.dc.identifier.uri: http://repositorio.ufla.br/jspui/handle/1/4196
metadata.teses.dc.publisher: UNIVERSIDADE FEDERAL DE LAVRAS
metadata.teses.dc.language: pt_BR
Appears in Collections:DZO - Zootecnia - Doutorado (Teses)

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
TESE_Relação lisina digestível proteína bruta em dietas para frangos de corte.pdf308,07 kBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.