Use este identificador para citar ou linkar para este item: repositorio.ufla.br/jspui/handle/1/10947
Título: Desenvolvimento de sementes de Sesbania virgata (Cav.) Pres.
Título(s) alternativo(s): Development Sesbania virgata (Cav.) Pres. seeds
Autor : Teixeira, Fabrício Palla
Lattes: http://lattes.cnpq.br/6473095879065810
Primeiro orientador: Faria, José Márcio Rocha
Primeiro coorientador: José, Anderson Cleiton
Segundo coorientador: Tonetti, Olívia Alvina Oliveira
Primeiro membro da banca: Nery, Fernanda Carlota
Segundo membro da banca: Pereira, Wilson Vicente Souza
Palavras-chave: Semente ortodoxa
Dessecação de sementes
Maturação
Orthodox seed
Desiccation seeds
Maturation
Data da publicação: 21-Mar-2016
Agência(s) de fomento: Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES)
Referência: TEIXEIRA, F. P. Desenvolvimento de sementes de Sesbania virgata (Cav.) Pres. 2016. 59 p. Dissertação (Mestrado em Engenharia Florestal)-Universidade Federal de Lavras, Lavras, 2016.
Resumo: A literatura apresenta uma gama de trabalhos que exploram aspectos diversos relacionados com sementes de caráter agronômico. Entretanto, ainda há uma infinidade de espécies florestais que carecem de informações sobre sua maturação. Sesbania virgata é uma espécie da família Fabaceae, e por possuir crescimento rápido e, rusticidade, entre outros fatores, é comumente utilizada em programas de reflorestamento, sendo suas mudas produzidas principalmente por sementes. Assim, os estudos relacionados à biologia de sementes dessa espécie são importantes como base para sua propagação e conservação. O presente trabalho abordou aspectos morfológicos, fisiológicos e moleculares da aquisição da tolerância à dessecação em sementes de S. virgata durante o processo de maturação. Após a marcação de flores em campo, foram coletados frutos em diferentes estádios de maturação para a caracterização da aquisição da tolerância à dessecação, envolvendo caracterização física de frutos e sementes, microscopia, estudos histoquímicos, e perfil eletroforético de proteínas totais e resistentes ao calor. As sementes atingem o máximo de massa fresca aos 44 dias após a antese (DAA). Aos 85 DAA, as sementes estão completamente maduras, possuindo em média 6,3% de conteúdo de água. Também foi possível observar deposição de lignina nos tegumentos ao final da maturação e acúmulo de proteína. A tolerância à dessecação foi evidenciada aos 44 DAA, no entanto, a obtenção de plântulas normais após a secagem só foi possível a partir de 75 DAA. Nos estádios iniciais não foi possível observar acúmulo de proteínas totais e resistentes ao calor, entretanto, a partir de 32 DAA iniciou-se a formação de proteínas totais e resistentes, permanecendo constantes em abundância até o fim da maturação. Estes resultados permitiram caracterizar o desenvolvimento e a aquisição de tolerância à dessecação em sementes de S. virgata.
Abstract: There are large amount of studies exploring diverse aspects related with agronomic seeds, however there is a lack of information about the forest seeds. Sesbania virgata is a tree species from the Fabaceae family and, due to its fast development and rusticity, among other factors, is normally used on reforestation programs, being the seedlings produced mostly from seeds. Thus, studies related to S. virgata seed biology are important as background for its propagation and conservation. This study addressed the morphological, physiological and molecular aspects of the desiccation tolerance acquisition on S. virgata seeds during the maturation process. After marking flowers on field, were collected fruits on different maturation stages for the desiccation tolerance acquisition tests, involving the physical characterization of fruits and seeds, microscopy, histochemical studies and the electrophoretic profile of total and heat resistant proteins. The seeds reached the highest fresh mass at 44 days after the anthesis (DAA). At 85 DAA, seeds are completely mature, with an average of 6.3% of water content. It was also possible to observe the lignin deposition at the end of the maturation and protein accumulation. The desiccation tolerance was observed at 44 DAA, however, only was observed normal seedlings formation after 75 DAA. In the firsts stages was not observed protein accumulation, but after 32 DAA was initiated the synthesis of both total and heat resistant proteins, being constant in its abundance until the end of the maturation. These results allowed to characterize the seed development and the desiccation tolerance of S. virgata.
URI: http://repositorio.ufla.br/jspui/handle/1/10947
Publicador: Universidade Federal de Lavras
Idioma: por
Aparece nas coleções:DCF - Engenharia Florestal - Mestrado (Dissertações)

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
DISSERTAÇÃO_Desenvolvimento de sementes de Sesbania virgata (Cav.) Pres..pdf702,88 kBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.