Use este identificador para citar ou linkar para este item: repositorio.ufla.br/jspui/handle/1/11003
Título: Diversidade de inimigos naturais em cafezais sombreados
Título(s) alternativo(s): Diversity of natural enemies in shade-grown coffee
Autor : Tomazella, Vitor Barrile
Lattes: http://lattes.cnpq.br/3118238100371952
Primeiro orientador: Silveira, Luís Cláudio Paterno
Primeiro membro da banca: Fernandes, Daniell Rodrigo Rodrigues
Segundo membro da banca: Haro, Marcelo Mendes de
Palavras-chave: Vespas predadoras
Predatory wasps
Parasitóide
Parasitoid
Café - Cultivo
Controle biológico conservativo
Conservative biological control
Coffee plantations
Data da publicação: 6-Abr-2016
Agência(s) de fomento: Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES)
Referência: TOMAZELLA, V. B. Diversidade de inimigos naturais em cafezais sombreados. 2016. 69 p. Dissertação (Mestrado em Entomologia) - Universidade Federal de Lavras, Lavras, 2016.
Resumo: A cafeicultura tem grande importância para o agronegócio brasileiro, sendo o Brasil o maior produtor e exportador mundial de café, com mais de 2,2 milhões de hectares cultivados e uma renda de mais de 600 milhões de dólares no ano de 2015. Entretanto, a dinâmica da produção é muito influenciada por fatores bióticos e abióticos. O cafeeiro é atacado por diversas pragas, no entanto, existem diversos inimigos naturais que realizam o controle biológico dessas pragas, tendo destaque para Prorops nasuta, um parasitoide (Hymenoptera: Bethylidae) que parasita larvas da broca do café e Protonectarina sylveirae, uma vespa (Hymenoptera: Vespidae) que preda larvas do bicho mineiro. A diversificação das lavouras é uma importante ferramenta para manutenção desses organismos na lavoura. Uma forma de diversificação é a utilização de árvores para sombreamento, que ajudam na manutenção e incremento da diversidade nas lavouras e traz melhorias para o agroecossistema. Dessa forma, este trabalho objetivou avaliar a influência que algumas espécies arbóreas para sombreamento exercem na diversidade de parasitoides e vespas em café convencional. O presente trabalho foi realizado na Fazenda da Lagoa município de Santo Antônio do Amparo-MG, em lavouras de café convencional sombreados com diferentes espécies arbóreas, sendo elas: Teca, Acácia, Cedro e Abacate plantados em duas densidades diferentes. Para efeitos comparativos, foi utilizada uma lavoura a pleno sol como testemunha. Os parasitoides coletados foram identificados em famílias e separados em morfoespécies; as vespas coletadas foram identificadas até espécies; quando não possível a identificação, foram separadas em morfoespécies dentro do gênero. Foram coletados 3172 indivíduos distribuídos em nove superfamílias, 21 famílias e 263 morfoespécies de parasitoides; e 632 indivíduos em 23 espécies de vespas. Em relação aos parasitoides, o tratamento Acácia apresentou maior diversidade (H’ = 3,77) e, em relação às vespas, o tratamento Abacate (H’ = 1,70). As menores diversidades foram obtidas no tratamento Cedro (H’ = 0,74) para as vespas e Teca (H’ = 3,19) para parasitoides. As maiores diversidades foram encontradas em plantas com disponibilidade de recursos como néctar, pólen e abrigo. A diversificação com espécies arbóreas pode trazer ganhos significativos ao agroecossistema, auxiliando no incremento da diversidade e manutenção dos inimigos naturais, tal como no controle biológico conservativo.
Abstract: Coffee is very important for Brazilian agribusiness, Brazil is the largest producer and exporter of coffee with over 2.2 million hectares cultivated and an income of more than 600 million dollars. However, the production dynamics is greatly influenced by biotic and abiotic factors. The crop is attacked by various diseases and pests, but there are many natural enemies that perform biological control of both, with emphasis on Prorops nasuta (Hymenoptera: Bethylidae), a parasitoid of the coffee berry borer larvae and Protonectarina sylveirae (Hymenoptera: Vespidae), a wasp that feeds on larvae of leaf miner. Diversification of crops is an important tool to maintain these organisms in agriculture. One way of diversification is the utilization of trees for shading, which help in maintaining and increasing the diversity in the crop and brings improvements to the agroecosystem. Thus this study's goal is to evaluate the influence of some tree species for shading in diversity of parasitoid and wasps in conventional coffee. This study was conducted at Fazenda da Lagoa, in Santo Antonio do Amparo municipality, MG, in conventional coffee plantations shaded with different tree species, which are: Teak, Acacia, Cedar and Avocado planted in two different densities. For comparison purposes, a crop in full sun system was used as a control. The parasitoids collected were identified in families and separated into morphospecies; the wasps collected were identified to species, when not possible to identify, were separated in morphospecies within the genre. We collected 3172 parasitoid individuals belonging to nine superfamilies, 21 families and 263 morphospecies, and 632 individuals of 23 species of wasps. Regarding parasitoids, the Acacia treatment showed greater diversity (3.77) and for wasps, Avocado treatment (1.70) with the highest diversity. The lowest diversity was found in Cedar (0.74) for the wasps and Teak (3.19) for parasitoids. The higher diversity was found in plants with high availability of resources such as nectar, pollen and shelter. Diversification with tree species can bring significant gains to agroecosystem assisting in increasing diversity and maintenance of natural enemies, helping the conservation biological control.
URI: http://repositorio.ufla.br/jspui/handle/1/11003
Publicador: Universidade Federal de Lavras
Idioma: por
Aparece nas coleções:DEN - Entomologia - Mestrado (Dissertações)

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
DISSERTAÇÃO_Diversidade de inimigos naturais em cafezais sombreados.pdf1,49 MBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.