Use este identificador para citar ou linkar para este item: repositorio.ufla.br/jspui/handle/1/1356
Título: Padrões espaciais e relação espécie-ambiente em ecótonos de floresta estacional decidual
Autor : Almeida, Hisaias de Souza
Primeiro orientador: Berg, Eduardo van den
Primeiro membro da banca: Silva, Ana Carolina da
Carneiro, Vilany Matilla Colares
Santos, Rubens Manoel dos
Barbosa, Ana Carolina Maiolli Campos
Área de concentração: Ciências Florestais
Palavras-chave: Gradiente latitudinal
Regressão Piecewise
Modelos OLS
Fertilidade do solo
Similaridade florística
Latitudinal gradient
Piecewise regression
OLS models
Soil fertility
Floristic similarity
Data da publicação: 13-Nov-2013
Agência(s) de fomento: Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Minas Gerais (FAPEMIG)
Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq)
Referência: ALMEIDA, H. de S. Padrões espaciais e relação espécie-ambiente em ecótonos de floresta estacional decidual. 2012. 105 p. Tese (Doutorado em Engenharia Florestal) - Universidade Federal de Lavras, Lavras, 2012.
Resumo: The deciduous forests (SDTF) are a set of remaining isolated, composed of species of seasonal phenology, scattered throughout the globe and with high levels of endemism. The agricultural and urban expansion has considerably reduced the footprint of this vegetation is found in South America and the largest nuclei in better condition. Because of this distribution in patches, these forests have close contact with several other faces ecotones resulting in poorly known to science. This study investigated the species-environment relationships in ecotones of Cerrado SDTF-and-SDTF semideciduous forests in southeastern Brazil, to understand the degree of reciprocal influence in the communities of trees, deciduous areas under ecological stress. For this, we sampled the tree species with CAP (circumference at breast height)  10 cm in 180 plots of 400 m², equally distributed in six ecotonais remaining in the São Francisco, three with transition between SDTF- cerrado and three-SDTF semideciduous forests. Besides the biotic sampling were conducted in each plot topographic data collection and composite samples of soil for analysis of micro-nutrients and fertility. In addition, climatic data were obtained from each area of the World Bank Clim. Classification of vegetation and species distribution patterns were evaluated by techniques nonmetric multidimensional scaling (NMDS) and the type piecewise regressions. The NMDSs were made for the amount of coverage (VC) and data preseça-absence (binary matrix). The realação species-environment was assessed retrospectively using multiple linear regressions that related predictor variables (variables soil, topography and climate) with the response variables (scores of axes 1 and 2 and VC-NMDSs of binary, wealth species, basal area and density). The presence of spatial was observed in the construction of all types and corrective measures are taken when needed, in order to avoid inflation of the error type I. We found a clear relationship between species composition and environmental gradient in terms of soil fertility and climatic variations. The species composition showed high spatial autocorrelation, especially within the remnant, as well as for non-stationary data resulting from geographic isolation between areas. Multiple linear regression models showed that climatic variables influence the distribution of species between areas, as well as edaphic variables conditioned the distribution of species on a local scale. The analyzes showed that ordering many species are shared by the faces and the similarities are greater between SDTFs and semideciduous seasonal forests than among SDTFs and Cerrado. These patterns were observed in both local and regional scale.
As Florestas Deciduais (SDTF) constituem um conjunto de remanescentes isolados, composto por espécies de fenologia estacional, dispersos ao longo do globo e com elevadas taxas de endemismos. A expansão agrícola e urbana tem reduzido consideravelmente a área de ocupação desta vegetação, sendo encontrados na América do Sul os maiores núcleos e em melhor estado de conservação. Por causa desta distribuição em manchas, essas florestas têm íntimo contato com diversas outras fisionomias resultando em ecótonos ainda pouco conhecidos pela ciência. Este estudo investigou as relações espécie-ambiente em ecótonos de SDTF-Cerrado e SDTF-Florestas Semideciduais no sudeste do Brasil, visando compreender o grau de influência recíproca nas comunidades arbóreas, de áreas estacionais deciduais sob tensão ecológica. Para isto, foram amostrados os indivíduos arbustivo-arbóreos com CAP (circunferência a altura do peito)  a 10 cm em 180 parcelas de 400 m², igualmente distribuídas em seis remanescentes ecotonais na bacia do rio São Francisco, sendo três com transição entre SDTF-Cerrado sensu stricto e três SDTF-Florestas semideciduais. Além da amostragem biótica, foram realizadas em cada parcela coleta de dados topográficos e amostras compostas de solo para análises de micro-nutrientes e de fertilidade. Além disso, foram obtidos dados climáticos de cada área a partir do banco de dos World Clim. A Classificação da vegetação e os padrões de distribuição das espécies foram avaliados por meio de técnicas de escalonamento multidimensional não métrico (NMDS) e regressões do tipo piecewise. As NMDSs foram realizadas para o valor de cobertura (VC) e para dados de preseça-ausência (com matriz binária). A realação espécie-ambiente foi avaliada a posteriori por meio de regressões lineares múltiplas, que relacionou as variáveis preditoras (variáveis edáficas, de relevo e climáticas) com as variáveis resposta (scores dos eixos 1 e 2 das NMDSs-VC e binária, a riqueza de espécies, área basal e densidade). A presença de autocorrelação espacial foi observada na construção de todos os modelos e medidas corretivas foram adotadas quando necessário, a fim de se evitar a inflação do erro do tipo I. Foram encontradas relações claras entre a composição de espécies e o gradiente ambiental em termos de fertilidade do solo e variações climáticas. A composição de espécies indicou autocorrelação espacial elevada, principalmente dentro dos remanescentes, bem como, não-estacionariedade para os dados, resultante do isolamento geográfico existente entre as áreas. Modelos de regressão linear múltipla mostraram que as variáveis climáticas influenciaram a distribuição das espécies entre as áreas, assim como as variáveis edáficas condicionaram a distribuição da espécie em escala local. As análises de ordenação apontaram que muitas espécies são compartilhadas pelas fisionomias e que as semelhanças são maiores entre as SDTFs e as Florestas Estacionais Semideciduais do que entre as SDTFs e o Cerrado. Estes padrões foram observados tanto em escala local quanto regional.
metadata.teses.dc.description: Tese apresentada à Universidade Federal de Lavras como parte das exigências do Programa de Pós-Graduação em Engenharia Florestal, área de concentração Ciências Florestais, para a obtenção do título de Doutor.
URI: http://repositorio.ufla.br/jspui/handle/1/1356
Publicador: UNIVERSIDADE FEDERAL DE LAVRAS
Idioma: pt_BR
Aparece nas coleções:DCF - Engenharia Florestal - Doutorado (Teses)

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
TESE_Padrões espaciais e relação espécie-ambiente em ecótonos de floresta estacional decidual.pdf941,66 kBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.