Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.ufla.br/jspui/handle/1/15396
Título: Influência do regime de alagamento sobre as variações temporais na estrutura em comunidades arbóreas
Título(s) alternativo(s): Influence of flooding regime on temporal variations in the tree community structure
Autor : Reis, Geovany Heitor
Lattes: http://lattes.cnpq.br/5111542843294562
Primeiro orientador: Santos, Rubens Manoel dos
Primeiro membro da banca: Pifano, Daniel Salgado
Segundo membro da banca: Morel, Jean Daniel
Terceiro membro da banca: Magnago, Luiz Fernando Silva
Quarto membro da banca: Garcia, Paulo Oswaldo
Palavras-chave: Florestas inundáveis – Dinâmica florestal
Mapeamento florestal
Análise de séries temporais
Flood forests – Forest dynamics
Forest mapping
Time-series analysis
Data da publicação: 15-Set-2017
Agência(s) de fomento: Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal do Ensino Superior (CAPES)
Referência: REIS, G. H. Influência do regime de alagamento sobre as variações temporais na estrutura em comunidades arbóreas. 2017. 111 p. Tese (Doutorado em Engenharia Florestal)-Universidade Federal de Lavras, Lavras, 2017.
Resumo: A dinâmica das florestas é conhecida por ser influenciada por processos de distúrbios e condições ambientais mutáveis e conjuntos de dados que proporcionam uma perspectiva em longo prazo, além de permitir a avaliação desses processos dinâmicos em gradientes topográficos que são altamente valiosos. O presente estudo consiste na avaliação da dinâmica de uma Floresta Estacional Semidecidual no município de Madre de Deus de Minas – MG – com interferência da inundação do Rio Grande, ao longo de um gradiente topográfico com um período de 23 anos (1991 – 2014) de monitoramento. Foram consideradas as seguintes hipóteses: (a) as mudanças temporais na diversidade e na estrutura da comunidade ocorrem, de acordo com os diferentes habitats, ao longo do gradiente topográfico, em função das inundações do rio que são fontes importantes de distúrbio; (b) a dinâmica da comunidade arbórea difere entre os habitats, apresentando maior instabilidade nos setores aluviais ao longo do tempo. No presente trabalho objetivou-se analisar a dinâmica da comunidade arbórea, além de identificar as variações temporais na composição, estrutura e diversidade florística entre os diferentes habitats ou também chamados de setores topográficos da Floresta. O levantamento da comunidade arbórea foi realizado em 71 parcelas permanentes e contíguas de 15x15 m com área total de 1,597. Essa comunidade está situada às margens do Rio Grande nos anos de 1991, 1998, 2001, 2006, 2009 e 2014, na qual foram medidos os indivíduos arbóreos vivos com circunferência à altura do peito (CAP) ≥ 15,7 cm. Foram calculadas taxas de mortalidade, recrutamento, perda e ganho em área basal, rotatividade e mudança líquida que expressam a dinâmica dos diferentes habitats dentro da comunidade arbórea em número de indivíduos e em área basal, além de parâmetros que caracterizam a estrutura da comunidade. Os resultados encontrados demonstram que a floresta estudada possui um gradiente vegetacional associado aos diferentes habitats dos setores topográficos. E, ao longo desse gradiente, existem diferenças significativas na riqueza e diversidade, além das diferenças nas taxas de dinâmica. Apresenta maior riqueza e diversidade nos setores de encosta e as maiores taxas de dinâmica ocorrem nos setores aluviais. Portanto os processos de dinâmica estrutural da floresta acontecem, de acordo com as características ambientais, ao longo dos gradientes vegetacionais e topográficos.
Abstract: The dynamics of forests is known to be influenced by processes of disturbances and changing environmental conditions, and data sets that provide a long-term perspective, and can allow an assessment of dynamic processes in topographic gradients are highly valuable. This study assess the dynamics of a flood-prone riverine semideciduous seasonal forest along a topographic gradient in the municipality of Madre de Deus de Minas – MG during a 23-year monitoring period (1991 - 2014). The following is hypothesized: (a) temporal changes in community diversity and structure occur according to the different habitats along the topographic gradient because river flooding are important sources of disturbance; (b) tree community dynamics is different among habitats and riverine patches are more unstable through time. The aim of the study was to analyse the tree community dynamics, focused on temporal variation in forest composition, structure and diversity within and among habitats which also reflects topographic clusters of the semideciduous seasonal forest remnant. The tree community survey was carried out at 71 contiguous permanent plots (1.597 ha) established in a Rio Grande riverside in 1991, 1998, 2001, 2006, 2009 and 2014. Trees included all alive individuals with diameter at breast height (DBH) ≥ 15.7 cm. Rates describing the dynamics of different habitats within the tree community were calculated in terms of individuals and basal area. Additionally, community structure descriptors were also included. The results suggest that the forest vegetation gradient is associated with distinct habitats within the topographic clusters as significant differences have been found in richness and diversity in addition to dynamics rates. With the highest richness and diversity in the slope sectors, the highest rates of dynamics occurred in the alluvial sectors. Therefore, processes related to the forest structural dynamics take place in accordance with environmental characteristics along the vegetation and topographic gradient.
URI: repositorio.ufla.br/jspui/handle/1/15396
Publicador: Universidade Federal de Lavras
Idioma: por
Aparece nas coleções:DCF - Engenharia Florestal - Doutorado (Teses)

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
TESE_Influência do regime de alagamento sobre as variações temporais na estrutura em comunidades arbóreas.pdf2,84 MBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.